9 de julho de 2015
por esmael
12 Comentários

Com “peso na consciência”, Assembleia isenta doentes crônicos do pedágio mais caro do mundo no Paraná

alep_pedagioPara enrolar o distinto público, a Assembleia Legislativa aprovou projeto ontem (8) isentando portadores de doenças crônica da cobrança do pedágio mais caro do mundo nas rodovias do Paraná.

Efetivamente, não se sabe quantos “cristãos” serão beneficiados pela proposta do deputado Missionário Ricardo Arruda (PSC). Provavelmente nenhum, por isso passou com muita facilidade no plenário.

A Assembleia há muito está com “peso na consciência”, desde que assou uma enorme pizza na CPI do Pedágio. O parlamento não cumpre seu papel de fiscalizar a máfia que opera nas estradas do estado.

Além da adesão de mais parlamentares à bancada do pedágio, o Palácio Iguaçu se transformou em um balcão de defesa da prorrogação do contrato com as concessionárias. O governo Beto Richa (PSDB) advoga sem pejo contra os usuários das rodovias.

Um relatório do Conselho Regional de Engenharia (Crea), de março de 2013, em poder do Fiep (Federação das Indústrias) e Fecoopar (Federação e Organização das Cooperativas do Paraná), acusa as concessionárias de ter feito nos últimos 15 anos paisagismo nas rodovias pedagiadas ao invés de engenharia.

Abaixo, leia a íntegra o relatório do Crea recomendando a não renovação da concessão do pedágio mais caro do mundo no Paraná: