22 de junho de 2015
por esmael
42 Comentários

Coluna do Luiz Claudio Romanelli: Fora aos profetas do caos

“Isso de a gente querer ser exatamente o que a gente é, ainda vai nos levar além” – Paulo Leminski

Luiz Claudio Romanelli*

Em uma conjuntura nacional adversa marcada pela inflação e juros altos, que corroem salários e impedem novos investimentos nos setores público e privado, há pelo menos três boas notícias para começar a semana, nas quais o Paraná aparece na frente no campo econômico e social.

O Paraná é o Estado que mais criou empregos com carteira assinada no país nos cinco primeiros meses de 2015. De janeiro a maio, o Estado criou 22.723 novos postos de trabalho, enquanto isso o Brasil perdeu 243.948 vagas. O Paraná acumula saldos positivos na criação de empregos, devido em grande parte à diversidade econômica que viabiliza as contratações, principalmente, nas cidades do interior.

Vejo notícias que apontam o Paraná na contramão do cenário nacional, mas na verdade, quem está na contramão na criação de empregos e na indução do desenvolvimento é o país e não o nosso estado. Somos realmente um estado diferenciado e estamos trabalhando, tomando as medidas necessárias, para manter a excelência neste desempenho, o que reflete, sobremaneira, na qualidade de vida de todos nós, paranaenses.

Outra boa notícia. O Paraná registrou o maior crescimento no número de empresas entre os estados das regiões Sul e Sudeste. A pesquisa do IBGE, divulgada nesta semana, mostra que entre 2012 e 2013 o Estado registrou um aumento de 3,91% no volume de novas empresas, passando de 411.348 para 427.429. Segundo os dados da Junta Comercial, de janeiro a maio deste ano, foram criadas 17.779 novas empresas e filiais, sem considerar os Micros Empreendedores Individuais (MEI), de qualquer forma o balanço será no final do ano.

O resultado supera os Estados do Rio de Janeiro (3,85%), Espírito Santo (3,57%), Minas Gerais (3,33%), São Paulo (3,13%), Santa Catarina (3,07%) e Rio Grande do Sul (2,85%). O levantamento também revela que houve um aumento de 2,8% na taxa de ocupação da mão de obra nas empresas do Paraná em 2013, passando para 3,49 milhões de pessoas.

O desempenho na ampliação da oferta de trabalho e na criação de novas empresas está ligado, de forma exponencial à segurança jurídica, cenários e programas como o Paraná Competitivo, criados nos últimos anos no Estado. E, antes de qualquer menção, que o governo prioriza a atração de grandes investimentos, vale dizer que o Paraná também se destaca na criação de empresas que empregam até 19 pessoas, com crescimento de 3,93% em 2013, também à frente dos demais estados d