27 de agosto de 2014
por esmael
2 Comentários

Candidato do PSTU defende estatização geral em sabatina

Defendendo a estatização das empresas, a participação dos trabalhadores no Executivo e as manifestações de rua, Rodrigo Tomazini, o candidato do PSTU ao governo do Estado, foi o penúltimo entrevistado do ciclo de sabatinas da Rede Mercosul/Record News Paraná, na noite da última terça-feira, 26.

O PSTU apoia as manifestações do último ano, tanto que fomos nós que começamos com o movimento Passe Livre, em São Paulo. Só não achávamos que iam tomar as proporções que tiveram!, disse o candidato que foi entrevistado por uma hora pela diretora de Jornalismo da emissora, Ligia Gabrielli, o colunista da Rede, Eduardo Simões, e os jornalistas de política Roger Pereira e Elizabete Castro, do portal Vanguarda Política. A sabatina foi assistida por alunos da PUCPR e da Uninter.

O candidato explicou que o PSTU fazia parte do PT, mas que foi expulso! do partido, tornando-se independente em 1993.

Temos muito orgulho em dizer que o homem que assinou a expulsão do PSTU pelo PT está atrás das grades. Obrigado, José Dirceu!, ironizou e afirmou que os pensamentos dos partidos já estavam divergentes.

Nós saímos à s ruas para pedir o impeachment do Collor, em 1992. Nós sempre prezamos pela população e uma melhor condição para o governo.! Para Tomazini, o PT é controverso.

O presidente Lula entrou antes das privatizações e afirmou que reverteria a situação. A Dilma falou que não privatizaria e o que ela fez com os portos e aeroportos?!, questionou.

Tomazini defende a estatização de vários setores: da educação à  saúde, do transporte coletivo à  agricultura e pecuária.

Vamos confiscar as empresas de agronegócios. O Estado é quem deve ter controle dos produtos que chegam à  mesa do consumidor!, comenta e acredita que o MST está muito soft!.

O governo da Dilma fez menos reforma agrária que os outros governos!, atacou. A educação foi deixada de lado pelo Estado e é por isso que os pais procuram as escolas particulares para seus filhos. Queremos mudar esse quadro.!

O candidato é favorável ao transporte gratuito para o estudante.

Todos chamam de transporte público, mas de público não tem nada. Para que subsidiar se quem vai lucrar são as empresas?!, questionou e complementou: Hoje, sabemos que as empresas ganham rios de dinheiro e é

19 de Março de 2014
por esmael
27 Comentários

Beto Richa repete ‘chororô’ em entrevista à  rede nacional de TV; assista

Beto Richa, em entrevista ontem ao telejornal Record News, expôs as vísceras de seu governo em rede nacional; aos jornalistas Ricardo Kotscho e Heródoto Barbeiro repetiu chororô ao dizer que a culpa da crise financeira do Paraná é da senadora "loura malvada" Gleisi Hoffmann, adversária dele em 2014; o tucano afirmou não acreditar na candidatura do senador Roberto Requião pelo PMDB, que espera na sua chapa de reeleição; o governador ainda explicou o empréstimo de R$ 65 milhões para concluir a Arena da Baixada; assista ao vídeo.

Beto Richa, em entrevista ontem ao telejornal Record News, expôs as vísceras de seu governo em rede nacional; aos jornalistas Ricardo Kotscho e Heródoto Barbeiro repetiu chororô ao dizer que a culpa da crise financeira do Paraná é da senadora “loura malvada” Gleisi Hoffmann, adversária dele em 2014; o tucano afirmou não acreditar na candidatura do senador Roberto Requião pelo PMDB, que espera na sua chapa de reeleição; o governador ainda explicou o empréstimo de R$ 65 milhões para concluir a Arena da Baixada; assista ao vídeo.

O governador Beto Richa (PSDB) foi entrevistado ontem pelos jornalistas Ricardo Kotscho e Heródoto Barbeiro, no telejornal Record News. Nada de novo. A mesma cantilena que o leitor deste blog está acostumado a ouvir: O Paraná está quebrado, mas a culpa é da Gleisi. Leia mais