17 de julho de 2015
por esmael
14 Comentários

Entidades do G7 devolvem a Beto Richa batata quente da prorrogação do ‘pedágio mais caro do mundo’

campagnolo_pedagio_richaAs entidades do setor produtivo que compõem o G7 — Fiep, Faep, Fecomercio, Faciap, Fetranspar, Fecoopar e ACP — emitiram nota de esclarecimento, nesta sexta-feira (17), negando que tenham passado uma procuração para o governador Beto Richa (PSDB) discutir em nome delas a prorrogação dos contratos de pedágio nas rodovias do Paraná até 2050.

Segundo o presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Edson Campagnolo, porta-voz das agremiações empresariais, não há consenso no G7 sobre o tema.

“Por conta dessa ausência de consenso, não devem ser emitidas opiniões ou informações que deem a entender que se tratam de posicionamentos de todo o grupo”, desautorizou o presidente da Fiep, que também coordena o G7.

Na quarta-feira, Richa deixou o G7 e integrantes do governo com a broxa na mão ao dizer que “ninguém estava tratando do assunto”. No entanto, o chefe da Casa Civil, Eduardo Sciarra (PSD), e a vice-governadora Cida Borghetti (PROS), até foram a Brasília justamente para discutir a prorrogação do ‘pedágio mais caro do mundo’ levando, inclusive, algumas entidades do grupo a tiracolo.

A posição dúbia do governador teria irritado o deputado federal Ricardo Barros (PP), marido da vice-governadora, que estava à frente das negociações no Ministério dos Transportes.

Desde o princípio, a Fiep e a Fecoopar (Federação e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná) se posicionaram contrárias à continuidade do pedágio.

O documento de Campagnolo é importante porque ajuda afastar a nuvem negra sobre esse tema, pois em qualquer lugar no mundo entidade de classe que joga contra os interesses dos associados seria defenestrada.

Pedágio é contraproducente para dizer o mínimo. Faz os produtos paranaenses perderem competitividade perante os de fora. Só é bom para quem faz lobby e nada produz.

A seguir, leia a íntegra da nota reparadora do G7: Leia mais