24 de dezembro de 2013
por esmael
30 Comentários

Insensível, Richa deixa faltar ‘Leite das Crianças’ na véspera de Natal

Mais uma vez, o governo Beto Richa (PSDB) vai deixando sua indelével marca: falta de sensibilidade e emoção ante o sofrimento de outrem. Nesta véspera de Natal, mães de crianças em situação de vulnerabilidade social podem ficar novamente sem três litros de leite que têm direito pelo Programa Leite das Crianças (PLC).

O Programa Leite das Crianças (PLC), criado no governo Roberto Requião (PMDB), tem por objetivo auxiliar o combate à  desnutrição infantil por meio da distribuição gratuita e diária de um litro de leite à s crianças de 06 a 36 meses.

O blog teve acesso a e-mails dos Laticínios Kase (São Miguel do Iguaçu) e Laticínios Naturalat LTDA (Lapa) relatando que não recebem do governo do estado pelo fornecimento do produto. Se as empresas não veem a cor do dinheiro os produtores também não. à‰ o calote natalino do tucano com repercussão na mesa das famílias pobres, que deixarão suas crianças sem o alimento.

Não é a primeira vez que Richa deixa faltar leite para as crianças. Em setembro passado, conforme registro deste blogueiro, o governador deu calote em pequenos agricultores familiares, que interromperam o fornecimento do produto à s cooperativas e, consequentemente, as mães ficaram sem o ‘Leite das Crianças’.

Se as cooperativas e laticínios levaram calote neste Natal, não é o caso das agências de propaganda que distribuem farta verba à s jornalões, jornalecos e emissoras de tevê. O Palácio Iguaçu pagou R$ 300 milhões antecipados para a farra publicitária (clique aqui para relembrar). Os barões da mídia estão mamando na teta do erário antecipadamente, enquanto as mães assistem seus filhos sem o sagrado leitinho.

A seguir, leia a íntegra dos e-mails de laticínios relatando o calote de Richa no programa ‘Leite das Crianças’:

E-mail 1:! Laticínios Kase

Bom dia

Estou expressando as minhas preocupações, quanto ao pagamento do leite das crianças, porque com o atraso do mês passado que foi realizado no dia 02/12/13 ref. ao mês de outubro, perdi 3 excelentes produtores, com isso reduziu o volume do leite, mas as despesas continuam, e ainda nos dias quando a entrega é de 3 litros por criança tenho que voltar em algumas propriedades para buscar mais leite.

Vocês exigem o cumprimento do contrato com relação as negativas, qualidade, entregas, etc., mas no entanto com a parte que é dos senhores, em especial prazo de pagamento, tem nos causado grandes problemas com os produtores, pois os mesmos duvidam que o governo não nos pagou, e com isso se transferem para outras empresas que não participam do programa.

Hoje 60% da nossa produção vai para o programa. Eu corro o risco de ficar sem produtor, pois não tem como comprar sem pagar em dia, eles também tem seus compromissos.
Durante todos esses anos nunca houve atraso iguais a estes e agora já é a 2!ª vez que acontece.

Este programa é muito importante para as mães, produtores e indústria, não se pode deixar sem a atenção devida a um trabalho que vem dando resultado positivo a muitos anos.

Att,

Almir Zardinello
Laticínios Kase

***************************************

E-mail 2:! Laticínios Naturalat LTDA

Vimos através deste manifestar nossa preocupação

13 de setembro de 2013
por esmael
54 Comentários

Richa torra R$ 300 milhões em propaganda, mas suspende o leite das crianças em região pobre do PR

Beto Richa paga adiantado R$ 300 mi a seis agências que fazem a propaganda do governo, mas deixa faltar dinheiro para o sagrado leite das criancinhas pobres da região do Alto Ribeira; pequenos produtores, da agricultura familiar, reclamam de calote desde julho. Que fazer?

Beto Richa paga adiantado R$ 300 mi a seis agências que fazem a propaganda do governo, mas deixa faltar dinheiro para o sagrado leite das criancinhas pobres da região do Alto Ribeira; pequenos produtores, da agricultura familiar, reclamam de calote desde julho. Que fazer?

Dois fatos inusitados no governo Beto Richa (PSDB), no Paraná, causaram-nos perplexidade nesta sexta-feira 13: Leia mais