30 de julho de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Professor não recomenda profissão de professor, revela Ibope

Professor não recomenda profissão de professor, revela Ibope

A profissão de professor está em baixa entre os próprios professores, revela a pesquisa Profissão Docente realizada pelo Ibope. ... 

Leia mais

7 de maio de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Requião Filho: “Policial não existe para bater em professor”

Requião Filho: “Policial não existe para bater em professor”

O deputado Requião Filho (MDB-PR) afirma que a área da segurança pública virou refém da propaganda no extinto governo Beto Richa (PSDB). Ele critica o fato de o tucano ter usado a repressão policial contra professores no famigerado 29 de abril de 2015. ... 

Leia mais

5 de março de 2018
por Esmael Morais
1 Comentário

URGENTE: Reitor da UFPR confirma exoneração do juiz Sérgio Moro

O reitor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Ricardo Marcelo Fonseca, confirmou nesta segunda (5) que o juiz federal Sérgio Moro, da lava jato, pediu exoneração do cargo de professor de Processo Penal. ... 

Leia mais

4 de março de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Salário de R$ 5.750,83 para professor combate desigualdade no Maranhão, diz Flávio Dino

Salário de R$ 5.750,83 para professor combate desigualdade no Maranhão, diz Flávio Dino

O governador do Maranhão Flávio Dino (PCdoB), em artigo especial, explica que a redução da desigualdade no Maranhão motivou o piso de R$ R$ 5.750,83 para os professores, o do país. “Comungo da ideia de que a Educação é a única forma de enfrentarmos o maior problema do Brasil, que é a desigualdade: poucos com muito e muitos com quase nada”, escreve. ... 

Leia mais

4 de fevereiro de 2018
por Esmael Morais
34 Comentários

Governistas querem conceder reajuste só para professor que passar no “ENEM”

O Congresso Nacional deverá votar ainda este ano o projeto de lei 6.114/2009, que obriga os professores da educação básica, de escolas públicas e privadas, a fazer uma espécie de “ENEM” como parte integrante da política de reajuste salarial e de avanço na carreira.  ... 

Leia mais

8 de fevereiro de 2017
por Esmael Morais
17 Comentários

Justiça concede liminar contra redução da hora-atividade

A ação da APP-Sindicato questionando a redução da hora-atividade foi julgada procedente pelo Juiz Guilherme de Paula Rezende da 4ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba. Leia mais

17 de dezembro de 2015
por Esmael Morais
12 Comentários

Richa enseba para prorrogar contrato de 30 mil professores PSS, mas quer rapidez na prorrogação do pedágio

O governador Beto Richa (PSDB) consolida-se como o dirigente mais antipovo que o Paraná já conheceu. Nas vésperas do Natal, o tucano está ensebando para prorrogar contratos com 30 mil professores em regime PSS.

Por conta do esdrúxulo calendário de reposição da Secretaria de Estado da Educação (SEED), as aulas de 2015 não terminarão este ano. Avançarão no mês de fevereiro de 2016, em boa parte das escolas.

Se as aulas adentrarão o Ano Novo o bom senso mandaria o governante prorrogar o contrato dos PSSs, mas não, Richa não está nem aí com a educação. Se faltar professores nas salas de aula, para o tucano, pouco importa e que se dane.

Quanto à ansiedade de 30 mil famílias, pela lógica do desalmado governador do PSDB, cada um com seus problemas.

O único contrato que interessa Beto Richa prorrogar “rapidinho” é o do pedágio mais caro do mundo. Ele, inclusive, viajou diversas vezes a Brasília para dilatar até o ano de 2.050 a existência do achaque nas estradas paranaenses.

Dois pesos, duas medidas. A educação de milhões não tem pressa para o governador. O pedágio, que beneficia meia dúzia de concessionárias, tem pressa. Portanto, um descompromisso do tucano para com o futuro do estado. Uma verdadeira irresponsabilidade.

No mês passado, a SEED, em nome de Beto Richa, prometeu dar uma resposta sobre a prorrogação ou não dos contratos dos PSSs até o último dia 15 de dezembro. Como se era de esperar, deu calote em nome do chefe. Nenhuma satisfação até agora. Um total desrespeito para com o magistério paranaense.

O governo Beto Richa, conforme acordado há um mês, também apresentaria propostas de “melhorias no contrato atual”. Dentre as reivindicações que a categoria levou à mesa de negociação estão: 1- o professor PSS não pode ficar mais de cinco dias com atestado; 2- renovação dos contratos já; e 3- professor PSS só vai repor aulas em fevereiro com contrato prorrogado.

Professores denunciam que os núcleos regionais estão fazendo pressão – terrorismo, na verdade – dizendo que aqueles que não reporem aulas, mesmo sem contrato, terão os CPFs bloqueados e, consequentemente, não conseguirão pegar aulas nas distribuições.

Ou seja, Beto Richa autoriza que seus capitães do mato façam chantagem aos educadores. O governo pretende um trabalho análogo à escravidão. Um horror em pleno século XXI. Um desatino para um estado que se vangloria 4ª potência econômica do país.

Leia mais