26 de Maio de 2014
por esmael
44 Comentários

Em nota, Gleisi condena Richa pela privatização de florestas no PR

A senadora Gleisi Hoffmann (PT) divulgou nesta segunda-feira (26), em Curitiba, uma nota oficial contra o leilão de florestas remanescente da Mata Atlântica, situada entre a Serra do Mar e o interior do Paraná. A partir das 14 horas de hoje, o governo Beto Richa (PSDB) pretende arrecadar R$ 100 milhões com a venda de 12 mil hectares de mata. A petista disse que a privatização tucana “representa ameaça concreta a conservação ambiental e aos direitos das gerações futuras”.

Na nota, a pré-candidata ao Palácio Iguaçu afirma que a grande crise financeira do governo “não pode continuar limitando e comprometendo o presente e o futuro dos paranaenses”. Ela também aponta “fragilidade” e “inconsistência” na justificativa para a venda da reserva florestal, que seria para fazer caixa.

Gleisi disse que o leilão de Richa põe em risco um importante patrimônio ambiental, coloca em risco um dos mais preciosos corredores da biodiversidade brasileira e “vai representar um ataque de morte à  preservação de nossas florestas”.

Leia a íntegra da nota oficial de Gleisi Hoffmann:

NOTA SOBRE LEILàƒO DE FLORESTAS PELO GOVERNO DO PARANà

Comunicado Relevante

Por considerar que a decisão do governo do Paraná de leiloar 12 mil hectares de florestas pertencentes ao Estado representa ameaça concreta a conservação ambiental e aos direitos das gerações futuras, venho a publico, como senadora da República, representante do Estado do Paraná, manifestar minha contrariedade com essa decisão, pedindo aos paranaenses que avaliem com atenção os seguintes pontos:

1. O descompasso entre despesas e receitas nas contas públicas sob a gestão da atual administração !” a verdadeira causa da grande crise financeira do governo !” não pode continuar limitando e comprometendo o presente e o futuro dos paranaenses. Já basta o que estamos sofrendo com a insegurança sobre pagamento aos fornecedores, servidores, custeio básico como combustível, manutenção de veículos, aluguéis, alimentação;

2. As razões e os argumentos apresentados para tentar justificar o leilão de nossas reservas são frágeis e inconsistentes. O objetivo do governo do estado é usar nossas florestas para fazer caixa, sem levar em conta que parte considerável desse patrimônio ambiental é composto de floresta remanescente da Mata Atlântica, situada entre a Serra do Mar e o interior do Paraná.

3. A agenda ambiental fica absolutamente comprometida com essa proposta equivocada de leilão, podendo levar a uma situação ainda mais critica de comercialização de áreas extensas de Mata Atlântica, o que vai representar um ataque de morte à  preservação de nossas florestas.

4. Ao contrário do que recomenda o bom senso e a transparência, o governo do Estado não fornece as informações devidas nem oferece garantia sobre a manutenção das