18 de março de 2018
por Eugênio Aragão
Comentários desativados em Beto Richa fecha universidades públicas do Paraná: UEL e Unicentro suspendem calendário

Beto Richa fecha universidades públicas do Paraná: UEL e Unicentro suspendem calendário


O governador do Paraná inimigo da Educação, Beto Richa (PSDB), continua o desmonte das universidades públicas estaduais. Nesta semana a Unicentro e a UEL anunciaram a suspensão dos seus calendários de aulas. Richa não autorizou a contratação dos docentes necessários para o funcionamento dos cursos. Leia mais

9 de novembro de 2015
por admin
8 Comentários

Professores e estudantes rejeitam golpes de Richa contra a educação

audienciaA Audiência Pública realizada na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) na manhã de hoje (9) refutou uma série de ataques do governador Beto Richa (PSDB) contra a educação estadual.

Foram discutidos o fechamento de escolas e de turmas, o projeto “Escola sem Partido” e o projeto de terceirização da educação chamado “Adote uma Escola”. Durante a reunião, houve protesto de estudantes (abaixo, assista ao vídeo).

O projeto de lei nº 748/2015, chamado “Programa Escola Sem Partido”, foi o tema mais debatido na audiência convocada pelos deputados Professor Lemos e Tadeu Veneri — ambos do PT.

Representantes do Ministério Público do Paraná, do Conselho Estadual de Educação e da APP-Sindicato se colocaram integralmente contra a proposta em tramitação no legislativo.

17 de setembro de 2015
por admin
46 Comentários

Deputado governista protocola projeto para privatizar escolas do Paraná

Essa história é antiga, vira e mexe a ideia da privatização e terceirização da educação pública retorna com as mais diversas formas e contornos. Já foi assim no governo Jaime Lerner, em que a contratação de professores e funcionários de escola foi delegada a uma empresa, a Paraná Educação, cujos prejuízos são pagos até hoje pelo estado.

Desta vez a iniciativa partiu do deputado governista Marcio Nunes (PSC), partido de Ratinho Júnior, que protocolou ontem (16) um projeto de lei na Assembleia Legislativa que institui o programa “Adote uma Escola”, para que empresas “invistam” nas escolas públicas e possam usar esse “investimento” para fins publicitários.

Leia também:

Bancada de Ratinho Jr derrotou na Assembleia reajuste de 8,17% para os professores e servidores

O projeto é curto e grosso, e delega ao chefe do Poder Executivo o poder de regulamentar o programa.

Não é preciso lembrar aos leitores que os empresários de sucesso não fazem investimentos para ter prejuízo. Tampouco o projeto delimita até onde as empresas podem investir. Logo podem estar contratando professores e servidores para as escolas, substituindo o poder público, e, por que não?, cobrando uma mensalidade dos pais de alunos.

A APP-Sindicato publicou uma nota em seu site afirmando que esse projeto representa “uma terceirização da escola com intervenção direta do setor privado. Uma lógica do neoliberalismo. Os empresários de sucesso são os que sabem administrar e assim intervir diretamente na escola.”

A entidade defende “uma escola pública e de qualidade e por isso é contra essa intervenção. Mais uma vez é necessário a organização da categoria para o debate com o deputado, para retirada deste PL.”

Leia a seguir a íntegra do projeto de privatização das escolas: 

http://s3.amazonaws.com/static.esmaelmorais.com.br/wp-content/uploads/2015/09/20190815/Proj_304_Dep_Marcio_Nunes.pdf