28 de junho de 2018
por esmael
Comentários desativados em Temer acredita que privatiza tudo, antes de ir para o xilindró

Temer acredita que privatiza tudo, antes de ir para o xilindró

Michel Temer tem pressa para privatizar tudo. Quer carimbar o passaporte para o xilindró antes de dezembro, quando deixará o cargo. ... 

Leia mais

18 de novembro de 2017
por esmael
7 Comentários

O neoliberalismo descamba para a corrupção, ensina “Caso Alerj”

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) foi bastante obediente à ideia de reduzir o Estado e, em nome da “eficiência” gerencial, privatizar ativos, massacrar os servidores públicos, como reza a cartilha neoliberal. Tal modelo fluminense é o mesmo que no mundo todo — e noutras partes do país — também descambou em corrupção. Leia mais

12 de setembro de 2016
por esmael
6 Comentários

Blog do Esmael transmite AO VIVO sessão da Alep para vender Copel e Sanepar; acompanhe

O Blog do Esmael, em parceria com a TV 15, a partir das 14h30, transmite ao vivo para o Brasil e o mundo a sessão da Assembleia Legislativa do Paraná que discute a venda das estatais Copel (energia) e Sanepar (água e esgoto). Leia mais

27 de junho de 2015
por esmael
26 Comentários

Coluna do Jorge Bernardi: Governo Richa é exemplo da corrupção tucana

Jorge Bernardi*

“Ou restaure-se a moralidade, ou nos locupletemos todos”. A frase Stanislaw Ponte Preta, pseudônimo do jornalista e humorista Sérgio Porto, nunca refletiu tanto a realidade brasileira como nos dias atuais. A corrupção é a mãe de todos os males da nação, vai da administração pública ao futebol. Só nos primeiros cinco meses deste ano cerca de 250 mil trabalhadores perderam seus empregos.

A corrupção não é privilégio dos governos do PT, mas de vários partidos. Ela comeu solta no governo de FHC (leia o Príncipe da Privataria, de Palmério Doria). Mas nos governos do PT, pela primeira vez, empresários e políticos foram e estão na cadeia. Em termos de corrupção, os governos do PT e do PSDB são as duas faces da mesma moeda: a cara e a coroa.

O mensalão foi uma invenção tucana em Minas Gerais, aperfeiçoado pelo PT de José Dirceu. Marcos Valério, operador dos dois mensalões, foi condenado a 37 anos de prisão pelo mensalão petista. No mensalão do PSDB mineiro, ainda não foi julgado. O processo tramita há mais de 10 anos sem previsão de julgamento.

Os dois partidos que governaram o Brasil nos últimos anos, disputam entre si, com acusações mútuas, o privilégio de serem campeões na corrupção. Calcula-se que a corrupção custa à nação R$ 200 bilhões por ano. Enquanto isto, os brasileiros torcem ora por um partido ora para o outro como num jogo de futebol: no Atletiba, Grenal ou Fla-Flu da corrupção.

Os governos do PT estão manchados pelo Mensalão e Petrolão, os dois maiores casos de corrupção da política nacional. Diante deste quadro, Lula chegou a dizer que ele e a presidenta Dilma estão no volume morto, e o PT abaixo do volume morto, envelheceu, só pensa em cargos.
Os governos do PSDB colecionam escândalos, como o cartel do metrô em São Paulo, desde o governo Mario Covas, ao mensalão mineiro. Mas ainda não fizeram a autocritica.

O governo Beto Richa, está enlameado na corrupção. A quadrilha dos fiscais da Receita Estadual, comandada pelo primo do governador Luiz Abi, desmantelada na Operação Publicano, que se locupletavam em R$ 50 milhões por ano, e exploravam sexualmente menores, é o exemplo recente da corrupção tucana. Agora surge o escândalo no Instituto Ambiental do Paraná, IAP. Outros mais (o melhor) estão por vir.

O Brasil do jeitinho, dos privilégios, das mordomias, da propina, e da roubalheira, não tem mais espaço neste século 21. Os brasileiros querem apenas viver e trabalhar em paz. Basta de corrupção.

*Jorge Bernardi, vereador de Curitiba pelo PDT, é advogado e jornalista. Mestre e doutorando em gestão urbana, ele escreve aos sábados no Blog do Esmael.

Leia mais

13 de setembro de 2014
por esmael
13 Comentários

Coluna do Ricardo Gomyde: Rua, lei e cadeia para os entreguistas

Ricardo Gomyde, em sua coluna deste sábado, radicaliza o discurso ao propor "rua, lei e cadeia" para a turma que incomodou o país vendendo estatais, pondo fim ao monopólio do petróleo, acabando com a estabilidade para os servidores, atacando a Previdência Social e implodindo postos de trabalho!; colunista denuncia que economistas conservadores agem como se fossem professores de Deus!, no terrorismo eleitoral, porque seriam beneficiários diretos da especulação financeira e da privataria com a disputa política; Gomyde afirma ainda que eleitorado aprendeu com a experiência que votar em pessoas críveis, que não são de duas caras, que não falam uma coisa e fazem outra, é uma boa iniciativa!; leia o texto e compartilhe.

Ricardo Gomyde, em sua coluna deste sábado, radicaliza o discurso ao propor “rua, lei e cadeia” para a turma que incomodou o país vendendo estatais, pondo fim ao monopólio do petróleo, acabando com a estabilidade para os servidores, atacando a Previdência Social e implodindo postos de trabalho!; colunista denuncia que economistas conservadores agem como se fossem professores de Deus!, no terrorismo eleitoral, porque seriam beneficiários diretos da especulação financeira e da privataria com a disputa política; Gomyde afirma ainda que eleitorado aprendeu com a experiência que votar em pessoas críveis, que não são de duas caras, que não falam uma coisa e fazem outra, é uma boa iniciativa!; leia o texto e compartilhe.

Ricardo Gomyde* ... 

Leia mais