15 de novembro de 2013
por esmael
9 Comentários

Dirceu se entrega à  Polícia Federal

"Fui condenado sem ato de oficio ou provas, num julgamento transmitido dia e noite pela TV, sob pressão da grande imprensa", protestou Dirceu em "carta aos brasileiros" divulgada na tarde de hoje; ex-ministro José Dirceu se entregou à  Polícia Federal de São Paulo na noite desta sexta; mandado de prisão foi expedido pelo ministro Joaquim Barbosa, presidente do STF.

“Fui condenado sem ato de oficio ou provas, num julgamento transmitido dia e noite pela TV, sob pressão da grande imprensa”, protestou Dirceu em “carta aos brasileiros” divulgada na tarde de hoje; ex-ministro José Dirceu se entregou à  Polícia Federal de São Paulo na noite desta sexta; mandado de prisão foi expedido pelo ministro Joaquim Barbosa, presidente do STF.

O ex-ministro José Dirceu acabou de se entregar à  Polícia Federal de São Paulo. Ele teve o mandado de prisão expedido pelo ministro Joaquim Barbosa, presidente do STF. Leia mais

14 de novembro de 2013
por esmael
16 Comentários

José Dirceu vai se entregar à  polícia, diz advogado

do Brasil 247 O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu deve se entregar à  polícia, segundo seu advogado, José Luiz de Oliveira Lima. De acordo com ele, Dirceu deixou o resort de luxo onde estava hospedado, em Itacaré, na Bahia, e chegou nesta quinta-feira 14 a São Paulo. Os dois se reúnem ainda nesta manhã para decidir como ele deverá se entregar. “Ele vai se apresentar, mas vamos esperar como vai ser a decisão à  tarde”, disse Lima, em referência à  sessão do STF.

Antes, o ex-ministro concedeu entrevista à  Fundação Perseu Abramo e disse ser alvo da “inveja da elite”. Infelizmente, eu fui transformado em principal alvo da inveja da elite brasileira, que não se conforma com o papel do presidente Lula no crescimento do Brasil. Eu acabei sendo escolhido para ser um pouco o símbolo desse ressentimento, uma inveja, um ódio que eles procuram disseminar na sociedade contra nós (o PT)!, disse ele.

Em entrevista à  Rádio Estadão na manhã desta quinta-feira, Oliveira Lima contou ter recebido “com surpresa” a decisão do Supremo, que após uma questão de ordem apresentada pelo presidente da corte, ministro Joaquim Barbosa, determinou que as penas dos réus condenados na Ação Penal 470 começassem a ser executadas de imediato. Como advogado, ele afirma que deve respeitar uma decisão do STF, o que não significa, no entanto, que ele concorde.

“Pela primeira vez na história do Supremo Tribunal Federal, houve um fracionamento do trânsito em julgado, ou seja, uma parcela da decisão transita, e a outra segue o seu caminho regular, uma vez que o ex-ministro José Dirceu ainda tem os embargos infringentes”, disse o advogado, em referência aos recursos a que seu cliente ainda tem direito. Segundo ele, porém, cabe aguardar a sessão desta tarde, em que algumas questões serão esclarecidas, e “cumprir a determinação”.