2 de fevereiro de 2019
por Esmael Morais
Comentários desativados em Filho de João de Deus é preso por coação e corrupção de testemunha

Filho de João de Deus é preso por coação e corrupção de testemunha

O filho do médium João de Deus, Sandro Teixeira de Oliveira, foi preso na manhã de hoje (2), em Anápolis (GO). A prisão foi decretada ontem (1º) pela juíza Rosângela Rodrigues, da comarca de Abadiânia.   ... 

Leia mais

6 de novembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Bolsonaro indica condenado por estelionato para compor equipe de transição

Bolsonaro indica condenado por estelionato para compor equipe de transição

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) indicou para compor a recém anunciada equipe de transição de governo um correligionário condenado por estelionato que já esteve preso três vezes com base na Lei Maria da Penha.

Trata-se do vice-presidente nacional do PSL e deputado federal eleito pela Paraíba, Julian Lemos, que foi coordenador da campanha de Bolsonaro na região nordeste.

Sócio de uma empresa de segurança, a acusação de de estelionato está relacionada ao uso de certidões falsas num contrato para prestação de serviços à Secretaria de Educação e Cultura da Paraíba, em 2004. Em 2011 ele foi condenado a prisão, mas o caso prescreveu antes da análise em segunda instância.

Já o enquadramento do deputado na Lei Maria da Penha foi consequência das agressões que praticou contra a ex-esposa e irmã, que ocorreram entre 2013 e 2016.

No entanto, o deputado afirma que todos as todas acusações não são verdadeiras e que foi vítima dos sócios e da “fragilidade emocional” das mulheres. Leia mais

11 de setembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Beto Richa e os presos pela lava jato; veja a lista

Beto Richa e os presos pela lava jato; veja a lista

A Operação Piloto, na 53ª fase da lava jato, prendeu hoje (11) o ex-governador Beto Richa (PSDB) e seu núcleo político que era formado pela esposa, o irmão, o primo e dois braços direitos.

“Piloto” era o codinome de Beto Richa na lista de propina da Odebrecht, segundo a Polícia Federal.

Segundo informações preliminares, Richa será encaminhado à Superintendência da Polícia Federal de Curitiba onde é mantido preso político o ex-presidente Lula.

Na manhã desta terça, na capital paranaense, houve duas operações simultâneas: 1- da PF que investiga propina em obras da PR-323 envolvendo a Odebrecht; e 2- da GAECO que investiga desvios no programa “Patrulha do Campo”.

Abaixo, veja a lista dos presos:

Beto Richa – ex-governador do Paraná
Fernanda Richa – esposa de Beto Richa e ex-secretária da Família e Desenvolvimento Social
Deonilson Roldo – ex-chefe de gabinete do ex-governador
Pepe Richa – irmão de Beto Richa e ex-secretario de Infraestrutura
Ezequias Moreira – ex-secretário de cerimonial de Beto Richa
Luiz Abib Antoun – parente do ex-governador. Ele foi preso em Londrina, no norte do Paraná. Leia mais

25 de julho de 2016
por Esmael Morais
34 Comentários

Suplicy nos representa; assista ao vídeo

suplicyO ex-senador Eduardo Suplicy, 75 anos, foi detido na manhã desta segunda (25), em São Paulo, quando tentava impedir a reintegração de uma área ocupada por moradores na Zona Oeste. Suplicy nos representa por que é gente. Abaixo, assista ao vídeo: Leia mais

7 de fevereiro de 2014
por Esmael Morais
2 Comentários

Itália teme fuga e nega liberdade a Pizzolato

do Brasil 247
A Justiça italiana negou nesta sexta-feira 6, depois de uma audiência que durou cerca de duas horas no Tribunal de Bolonha, o pedido de liberdade provisória apresentado pela defesa de Henrique Pizzolato, enquanto aguarda a decisão sobre a extradição para o Brasil.

Apesar de o advogado de Pizzolato, Lorenzo Bergami, ter negado o fato, os juízes concluíram que “há risco de fuga” por parte do brasileiro com cidadania italiana, condenado a 12 anos e sete meses de prisão na Ação Penal 470 no ano passado. Com a decisão, ele deve ficar preso na cidade de Módena.

Pesou para a decisão também o fato de o ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil ter entrado em território italiano portando documentos falsos. Quando foi preso, na última quarta-feira, Pizzolato portava RG, CPF, título de eleitor e passaporte do irmão Celso Pizzolato, morto há 35 anos. O crime pode levá-lo a cumprir pena de até três anos na Itália.

Foragido desde novembro, Pizzolato fugiu para a Itália para não cumprir a pena imputada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Hoje, ele respondeu, em italiano, à s perguntas dos juízes sobre sua condenação no Brasil. Com base na fuga do Brasil e no porte de documentos falsos, as autoridades italianas consideraram impossível conceder liberdade provisória ou prisão domiciliar. Leia mais