1 de Janeiro de 2018
por esmael
8 Comentários

Um ano depois, a história se repete: novo massacre em presídio brasileiro

Exato um ano após a onda de massacres nos presídios brasileiros, que vitimaram 134 apenados, este 1º de janeiro de 2018 começou com mais mortes: ao menos 13 detentos foram assassinados e tiveram seus corpos carbonizados na Colônia Agroindustrial, no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da capital de Goiás. Leia mais

10 de setembro de 2014
por esmael
15 Comentários

Gleisi Hoffmann critica nova rebelião com reféns em Cruzeiro do Oeste

A população do Paraná passa por mais uma rebelião em menos de 20 dias. Desta vez foi na Penitenciária de Cruzeiro do Oeste, no Noroeste do estado. A rebelião começou por volta das 15 horas desta quarta-feira (10).

No fim de agosto, o presídio de Cruzeiro do Oeste recebeu 124 presos que foram transferidos, vindos da Penitenciária de Cascavel , após uma rebelião que durou 45 horas onde cinco detentos foram mortos – dois deles decapitados – e 25 feridos.

No último dia (7) ocorreu um motim na carceragem da 14!ª Subdivisão Policial (SDP) de Guarapuava, no Centro-Sul do Estado.

Problemas na Segurança Pública do atual governo ganham destaque no noticiário e demonstra fragilidade nas ações internas gerando insegurança para a população.

A candidata ao governo do Paraná pela coligação Paraná Olhando Pra Frente, lamenta que o estado tenha deixado a segurança pública chegar a este nível de insegurança nas cidades onde há penitenciárias e até mesmo nas delegacias superlotadas.

Assim como todos os paranaenses, estou preocupada com a situação caótica dos presídios e das delegacias do nosso Estado, que não garantem condições mínimas para a permanência e estada dos detentos! destaca Gleisi.

Nos três casos, os presos reivindicam melhores condições de higiene, alimentação e espaço. Desde o final do ano passado, cerca de 18 rebeliões aconteceram no estado do Paraná, segundo o Sindarspen, Sindicato dos Agentes Penitenciários do Estado do Paraná.

Descaso

O caos no sistema penitenciário do Paraná mostra o descaso do governo do Estado, que não consegue garantir condições dignas para detentos, muito menos a segurança para os trabalhadores do sistema e para a população.

Rebeliões, viaturas da PM sem combustível, cachorro sem comida, estão se tornando cenas comuns no cotidiano dos paranaenses, que não aguentam mais conviver com o medo e a insegurança. Isso acontece porque falta competência e planejamento.

Os paranaenses precisam de um governo que cuide, de fato, da sua população ao invés de só fazer propaganda.