9 de setembro de 2013
por admin
2 Comentários

Greve em Araucária: servidores permanecem paralisados

Os servidores da Prefeitura Municipal de Araucária na RMC até o momento permanecem paralisados. Na última sexta-feira, a Justiça determinou que pelo menos 50% dos três mil funcionários voltem à s atividades sob pena de multa caso descumprida a ordem judicial assinada pelo desembargador Nilson Mizuta, do TJ-PR.

Ainda de acordo com informações, a assembleia dos servidores decide nesta segunda quem serão os 50% que devem voltar a trabalhar.

Leia a íntegra da nota enviada pela Prefeitura de Araucária:

O desembargador Nilson Mizuta, do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná, determinou aos sindicatos envolvidos na greve que 50% dos servidores municipais de Araucária sejam mantidos no trabalho durante os dias de paralisação até que seja apreciada a legalidade desta. A decisão exclui os exercentes de cargos e funções de confiança. Em caso de descumprimento da determinação, cada um dos sindicatos receberá multa diária de R$ 25 mil. A decisão vale a partir desta sexta-feira (06) quando ocorreu a intimação dos sindicatos através de oficial de Justiça. Na decisão, o relator ressalta o direito de greve assegurado na Constituição Federal, mas ressalva que os direitos da sociedade têm prevalência sobre os direitos da categoria dos servidores públicos municipais.

Sobre a paralisação na educação, o desembargador citou a!  Carta aos Pais e Estudantes! em que o Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Araucária (Sismmar) solicita que os estudantes não fossem encaminhados à s escolas e CMEIs do município e argumentou que, além das aulas, os alunos não podem ficar privados de outros serviços prestados pela escola, como a merenda. A escola, na rede pública de ensino, exerce papel não apenas de educar, mas também de nutrir e desenvolver crianças e adolescentes e, por tal razão