9 de maio de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Prefeito de Curitiba, Rafael Greca, tem 15 minutos de fama na desgraça de Lula

Prefeito de Curitiba, Rafael Greca, tem 15 minutos de fama na desgraça de Lula

O prefeito de Curitiba Rafael Greca (PMN) tem seus 15 minutos de fama na desgraça alheia ao fazer uma cruzada pela transferência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde 7 de abril na Polícia Federal do Paraná. ... 

Leia mais

30 de abril de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Sobre a transferência de Lula para a penitenciária de Pinhais

Sobre a transferência de Lula para a penitenciária de Pinhais

Após o atentado a tiros no acampamento Marisa Letícia, em Curitiba, no fim de semana, voltou-se a discutir a possibilidade de transferir o ex-presidente Lula da Superintendência da Polícia Federal para o Complexo Médico Penal de Pinhais. Mas o assunto é polêmico entre advogados, militantes e políticos. ... 

Leia mais

17 de junho de 2015
por Esmael Morais
20 Comentários

Coluna do Reinaldo Almeida César: ‘Gaeco dê uma olhada nos contratos de alimentação para os presos’

Reinaldo Almeida César*

Certa feita, o Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse que preferia morrer a cumprir pena nos presídios medievais brasileiros. Se ele conhecesse as carceragens da Polícia Civil no Paraná, certamente pediria para abreviar ainda mais esta morte.

O preso em delegacia de polícia deve lá permanecer, apenas e tão somente por um tempo mínimo, enquanto o inquérito policial não for concluído ou interessar para a investigação.

Passado este tempo mínimo, o detento deve ser imediatamente transferido para uma unidade prisional mantida pelo Estado, no sistema prisional.

Para isso, o governo deve investir no sistema, construir presídios, abrir concursos e estruturar, com segurança e boa remuneração, a carreira do agente penitencário. Deve liberar os investigadores da Polícia Civil para as atividades que lhes são próprias, na polícia judiciária, na investigação e no cumprimento dos mandados de prisão. No Paraná, já são mais de 25.000 mandados de prisão em aberto.

Delegacia de polícia deve ser local para acolher pessoas aflitas que buscam atendimento. Ninguém vai à distrito policial para fazer turismo ou tirar selfie. Vai porque está em desespero, em busca do amparo policial. A delegacia de polícia não pode ser um mini-presídio, sempre pronto à convulsões, enquanto a sociedade assiste, apavorada, fugas de encarcerados saindo pelos telhados e muros das delegacias, a todo instante.

Sempre me posicionei de forma pública e muito crítica pelo descaso do governo do Paraná com esta questão.

A imprensa registrou, no dia da minha saída da SESP, que ela tinha sido motivada também por acentuadas divergências que eu tinha, nesta questão, com a equipe da Secretaria de Justiça. Pura verdade.

Lembro-me de certa ocasião, um final de tarde de sábado, quando recebi um telefonema do então delegado-geral da Polícia Civil, Marcus Michelotto, me relatando indignado que acabara de haver recebido, também por telefone, uma reprimenda do ajudante de ordens do Governador, o Capitão PM Zancan, porque o governador tinha acabado de passar em frente ao 9º Distrito policial na Santa Quitéria e não tinha gostado de ver faixas do sindicato protestando contra o excesso de presos na carceragem.

Na segunda-feira pela manhã, de forma respeitosa mas muito firme, foi a minha vez de apresentar queixa e reflexão ao governador. Queixa, porque não se recomenda, na liturgia de cargos, que um ajudante de ordens chame às falas o chefe da Polícia Civil. Reflexão, porque disse à Sua Excelência, que os sindicalistas da Polícia Civil estavam certos.

Fico agora, feliz e entusiasmado com a posição do Ministério Público do Paraná, em vias de colocar um freio de arrumação neste descalabro, expedindo recomendações e cobrando cronograma de solução da SESP.

Aliás, agora depende somente da SESP, pois ela tem a faca e o queijo na mão, na medida em que o governo reuniu, numa canetada só, segurança pública e execução penal num único lugar. Basta a SESP, ela mesma, mais ninguém, abrir as portas do sistema penitenciário e esv Leia mais

17 de setembro de 2014
por Esmael Morais
9 Comentários

Rebelião em Piraquara termina, mas agentes penitenciários decretam greve para o dia 29

Depois de mais de 30 horas, foi selado um acordo que pôs fim à  rebelião na Penitenciária Estadual de Piraquara(PEP II), ! a vigésima no sistema penitenciário estadual neste ano. ! O acordo inclui reforço na separação entre facções rivais, troca de colchões destruídos e retorno a visitação.

A rebelião, que ocorreu no bloco 3 da Penitenciária, teve início por volta das 7h45 da terça-feira (16), na entrega do café da manhã dos presos. O motivo seria o medo de parte dos presos de serem mortos ou torturados por uma facção rival.

Agentes penitenciários de todo o Parana, reunidos em assembléia na manhã de hoje decidiram entrar em greve no dia 29 de setembro. A data coincide com a licença que o governador Beto Richa (PSDB) vai tirar para se dedicar à  campanha eleitoral pela reeleição, que terá a votação em primeiro turno no dia 05 de outubro.

Segundo o Sindicato dos Agentes Penitenciários do Paraná (Sindarspen), entre as reivindicações estão o aumento do quadro de agentes penitenciários, regulamentação da aposentadoria especial e plano de carreira da categoria, retorno da capacidade de lotação original das unidades penais, ampliação do grupo de intervenção tática em todo o Estado e a implementação de equipamentos de segurança para os agentes (como rádios comunicadores, algemas e cadeados).

A reivindicação dos Agentes Penitenciários é por segurança dentro das unidades penais. A insegurança dentro dos presídios está insustentável. Por isso, infelizmente, não vimos outra opção a não ser deflagrar greve geral para que o governador invista no Sistema Penitenciário do Paraná e que tome medidas de segurança!, explica Antony Johnson, presidente do SINDARSPEN.

Além disso, o Conselho Nacional de Políticas Criminais e Penitenciárias (CNPCP), juntamente com os órgãos de execução penal e entidades estaduais de Direitos Humanos do Paraná, realizará uma reunião de emergência na próxima sexta-feira (19) para discutir a situação.

As entidades dos Direitos Humanos não descartam pedir intervenção federal nas penitenciárias paranaenses que, em menos de um ano, enfrentaram vinte rebeliões de presos.

Leia mais

16 de setembro de 2014
por Esmael Morais
27 Comentários

Mais uma rebelião na Penitenciária de Piraquara em menos de três dias

via BandNews FM

Dois agentes penitenciários são feitos reféns em uma rebelião, na Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP II), nesta terça-feira. O motim começou por volta das 8 horas, quando o café da manhã era servido aos presos. De acordo com as informações iniciais, quando os agentes entraram na terceira galeria do bloco três, algumas celas estavam abertas e os detentos, soltos, amarraram os dois funcionários.

Um repórter da Band News FM conseguiu ouvir um dos presos rebelados e este afirmou que os agentes estariam apanhando e seriam mortos caso as reivindicações não fossem atendidas.

Este é o segundo motim na mesma penitenciária em um intervalo de pouco mais de dois dias. Na sexta-feira, presos tomaram conta da PEP II e também fizeram reféns. O tumulto só terminou no sábado à  tarde, com a transferência de 43 criminosos.! 

Amanhã de manhã, os agentes penitenciários realizam uma assembleia em frente ao Palácio Iguaçu, quando podem decidir pela greve em todo o Estado. Esta é a quinta rebelião no estado em poucas semanas. Por enquanto, a Secretaria de Justiça ainda não se manifestou. A!  rebelião de hoje é a quinta em menos de um mês no Paraná, incluindo a da Penitenciária de Cascavel que deixou cinco presos mortos e 25 feridos.

Leia mais

13 de setembro de 2014
por Esmael Morais
38 Comentários

Depois da 20!ª rebelião, Richa vê “orquestração” nos presídios do PR

Governador Beto Richa levou incríveis 10 meses para descobrir que já houve vinte rebeliões nos presídios do Paraná; neste sábado (13), ele disse suspeitar de "orquestração" e muita coincidência desses eventos com o ano eleitoral; entretanto, desde 2012 o PCC (Primeiro Comando da Capital), o partido do crime organizado, dá as ordens no sistema carcerário do estado; Gleisi e Requião veem incompetência! do adversário tucano.

Governador Beto Richa levou incríveis 10 meses para descobrir que já houve vinte rebeliões nos presídios do Paraná; neste sábado (13), ele disse suspeitar de “orquestração” e muita coincidência desses eventos com o ano eleitoral; entretanto, desde 2012 o PCC (Primeiro Comando da Capital), o partido do crime organizado, dá as ordens no sistema carcerário do estado; Gleisi e Requião veem incompetência! do adversário tucano.

Foram precisos 10 meses e vinte rebeliões nas penitenciárias do Paraná para que o governador Beto Richa (PSDB) percebesse que há uma “orquestração” nos recentes motins de presos em Cascavel, Guarapuava, Cruzeiro do Oeste e agora Piraquara. ... 

Leia mais