26 de dezembro de 2013
por esmael
9 Comentários

Alô, Paulo Bernardo! Pesquisa diz que 58% dos clientes acham operadoras de telecomunicações um horror

A Paraná Pesquisas, de Murilo Hidalgo, foi à s ruas para saber o humor dos brasileiros acerca das operadoras de telecomunicações. A maioria — 58% dos entrevistados — considera a qualidade dos serviços de tevê por assinatura, telefonia fixa, telefonia móvel e internet/banda larga regular ou ruim.

Segundo a pesquisa, que ouviu 2.250 pessoas em 158 municípios brasileiros, 35% dos entrevistados acham que os serviços são bons ou ótimos. Outros 7% não souberam avaliar.

As empresas concessionárias de telecomunicações estão subordinadas ao Ministério das Comunicações cujo titular da pasta é o ministro Paulo Bernardo, marido da ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann (PT), pré-candidata ao governo do Paraná.

De acordo com o levantamento, 67,5% dos consumidores consideram um “escárnio” o preço cobrado pelas operadoras. O valor da conta da internet/banda larga é apontado como “roubo” por 70% dos entrevistados.

O diretor da Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo, afirma que 15,3% dos consumidores trocaram de operadora por causa dos preços abusivos nas tarifas.

Imagine uma empresa perder 15% dos seus clientes ao longo de um ano. O impacto da troca só não é sentido mais profundamente porque, enquanto perdem clientes de um lado, as operadoras ganham clientes vindos da concorrência!, analisa Hidalgo.

O serviço de TV por assinatura foi o melhor avaliado com 43% de aprovação. Na sequência, telefonia fixa (34%); telefonia móvel (32%); e internet/banda larga (31%).

A principal causa de descontentamento dos consumidores ainda é a telefonia móvel, mal avaliada por 37% dos entrevistados. à‰ justamente nesse segmento que estão os clientes mais insatisfeitos e infiéis. Nos últimos 12 meses, quase 18% trocaram de operadora em busca de mais qualidade e melhor custo-benefício, contra 14,8% da tevê por assinatura e 13,5% da telefonia fixa.

Veja o infográfico com a pesquisa:

Com informações da Paraná Pesquisas/Gazeta do Povo.