22 de janeiro de 2019
por Esmael Morais
Comentários desativados em Assembleia Nacional tenta golpe contra Maduro ‘nomeando’ embaixador para OEA

Assembleia Nacional tenta golpe contra Maduro ‘nomeando’ embaixador para OEA

A Assembleia Nacional da Venezuela, de maioria antigovernista, “nomeou”, nesta terça-feira (22), Gustavo Tarre Briceño como “embaixador especial” do país na Organização dos Estados Americanos (OEA). Uma atribuição e competência legal somente do Poder Executivo, segundo a constituição vigente no país. ... 

Leia mais

18 de janeiro de 2019
por Esmael Morais
Comentários desativados em Movimentos publicam nota contra interferência de Bolsonaro na Venezuela

Movimentos publicam nota contra interferência de Bolsonaro na Venezuela

Movimentos sociais populares do Brasil divulgaram nesta sexta-feira (18) uma nota de repúdio ao posicionamento do Itamaraty sobre o governo recém-empossado de Nicolás Maduro na Venezuela.

O texto

publicado pelo portal Brasil de Fato ... 

Leia mais

18 de janeiro de 2019
por Esmael Morais
Comentários desativados em Quem vai cair: Maduro ou Bolsonaro?

Quem vai cair: Maduro ou Bolsonaro?

O governo brasileiro tenta assumir o papel de xerife do continente para derrubar o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro. Mas, depois da pataquada no STF de Flávio Bolsonaro no escândalo Queiroz, quem começa a balançar é o presidente Bolsonaro. Isso no 17° dia de mandato.

Muitos aliados e integrantes do próprio PSL reprovaram a liminar concedida pelo ministro Luiz Fux.

LEIA TAMBÉM:

Globo declara guerra a Bolsonaro; assista ... 

Leia mais

17 de janeiro de 2019
por Esmael Morais
Comentários desativados em Por ideologia, chanceler de Bolsonaro ‘conspira’ em reunião com opositores de Maduro

Por ideologia, chanceler de Bolsonaro ‘conspira’ em reunião com opositores de Maduro


O chanceler do governo Bolsonaro, Ernesto Araújo, recebe nesta quinta-feira (17), em Brasília, três lideranças da oposição golpista venezuelana que defendem a derrubada violenta do presidente Constitucional do país, Nicolás Maduro.

Integram a delegação golpista o ex-prefeito de Caracas Antonio Ledezma, o ex-presidente da Assembleia Nacional (AN) Julio Borges, o número dois do partido Vontade Popular (VP), Carlos Vecchio e o foragido da Justiça venezuelana, o ex-presidente do Tribunal Supremo de Justiça (TSJ), Miguel Ángel Martín.

A reunião é algo sem precedentes na história da diplomacia brasileira. Araújo se reúne com uma facção da oposição política ao governo da Venezuela, um precedente perigoso e nefasto, que rompe com a tradição do Itamaray de não intervenção e ingerência interna nos assuntos de outros países.

Bolsonaro durante a campanha eleitoral dizia que sua política externa não seria baseada em conceitos ideológicos. Uma falácia completa desmentida pela ação conspirativa de Ernesto Araújo e o alinhamento automático a agenda de Trump para o continente latino-americano.

A reunião contará também com assessores do chamado grupo de Lima, uma articulação golpista de governos de direita da América Latina. Leia mais

14 de janeiro de 2019
por Esmael Morais
Comentários desativados em Agenda entre Macri e Bolsonaro é mais ‘lenha na fogueira’ na crise da Venezuela

Agenda entre Macri e Bolsonaro é mais ‘lenha na fogueira’ na crise da Venezuela

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, irá se encontrar, pela primeira vez, com o presidente Jair Bolsonaro na próxima quarta-feira (16), em Brasília. Um dos temas centrais da agenda entre os dois presidentes é a discussão sobre a crise na Venezuela.

Os governos do Brasil e da Argentina assinaram no âmbito do “Grupo de Lima”, uma articulação informal que reúne 14 países, declaração conjunta em que não reconhecem a legitimidade do segundo mandato do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e defendem novas eleições.

O chamado “Grupo de Lima” tem operado como braço político da ação intervencionista do governo dos EUA, que tem hostilizado permanentemente a Venezuela, aprovando bloqueio econômico, congelamento de bens e a derrubada do presidente constitucional Nicolás Maduro.

O encontro servirá de palanque para o discurso contra o governo da Venezuela e seu presidente, ampliando a ingerência nos assuntos internos do país vizinho. É mais uma ação que eleva a temperatura da crise. É mais lenha na fogueira.

A nova orientação do Itamaraty rompe com a secular tradição da diplomacia brasileira de respeitar a autodeterminação dos povos, da não intervenção nos assuntos internos dos países e da busca de solução pacífica para os conflitos, como lembrou a presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), Gleisi Hoffmann.

Macri atravessa uma fase de amplo desgaste político em decorrência da inflação alta, do desemprego crescente e da desvalorização do peso argentino. No ano passado, recorreu a empréstimos do Fundo Monetário Internacional (FMI), que impôs exigências ao governo, como corte de gastos e contenção de despesas sociais. Leia mais

11 de janeiro de 2019
por Esmael Morais
Comentários desativados em Governo Bolsonaro reconhece Assembleia de oposição como governo da Venezuela

Governo Bolsonaro reconhece Assembleia de oposição como governo da Venezuela

O governo Bolsonaro, em um ato intervencionista, reconheceu a a Assembleia Nacional da Venezuela, de maioria oposicionista, como o governo daquele país. O presidente Nicolás Maduro, que tomou posse nesta quinta-feira (10). agora tem oposição internacional.

Em nota divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores, o governo brasileiro deixou claro seu apoio à oposição daquele país:

“O Brasil reafirma seu pleno apoio à Assembleia Nacional, órgão constitucional democraticamente eleito, ao qual neste momento incumbe a autoridade executiva na Venezuela, de acordo com o Tribunal Supremo de Justiça legítimo daquele país”, diz um trecho do comunicado.

“O Brasil confirma seu compromisso de continuar trabalhando para a restauração da democracia e do estado de direito na Venezuela, e seguirá coordenando-se com todos os atores comprometidos com a liberdade do povo venezuelano”, finalizou o Itamaraty.

Com informações do Estadão. Leia mais

10 de janeiro de 2019
por Esmael Morais
Comentários desativados em Gleisi cita sete motivos para participar da posse de Maduro

Gleisi cita sete motivos para participar da posse de Maduro

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann elencou sete motivos que justificam sua participação da posse do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ocorrida nesta quinta (10).

LEIA TAMBÉM:

Deu chabu na Venezuela: ‘Grupo de Lima’ tenta derrubar Nicolás Maduro ... 

Leia mais

9 de janeiro de 2019
por Esmael Morais
Comentários desativados em Gleisi leva apoio do PT ao povo da Venezuela na posse de Maduro

Gleisi leva apoio do PT ao povo da Venezuela na posse de Maduro


A presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, participa nesta quinta-feira (10) da posse do presidente constitucional da Venezuela, Nicolás Maduro. “O Partido dos Trabalhadores (PT) rechaça o intervencionismo e a posição agressiva do atual governo brasileiro contra o país”, diz a nota assinada pela dirigente petista.

O documento denuncia também a “política intervencionista e golpista incentivada pelos Estados Unidos”, com a adesão do atual governo brasileiro e de outros governos reacionários da região.

Leia a nota do PT de repúdio à posição de Bolsonaro sobre a Venezuela.

1. Para mostrar que a posição agressiva do governo Bolsonaro contra a Venezuela tem forte oposição no Brasil e contraria nossa tradição diplomática.

2. Para deixar claro que não concordamos com a política intervencionista e golpista incentivada pelos Estados Unidos, com a adesão do atual governo brasileiro e outros governos reacionários. Bloqueios, sanções e manobras de sabotagem ferem o direito internacional, levando o povo venezuelano a sofrimentos brutais.

3. Porque é inaceitável que se vire as costas ou se tente tirar proveito político quando uma nação enfrenta dificuldades. Trata-se de um país que tem relações diplomáticas e comerciais importantes com o Brasil. Impor castigos ideológicos aos venezuelanos também resultará em graves problemas imigratórios, comerciais e financeiros para os brasileiros.

4. Porque o PT defende, como é próprio da melhor história diplomática de nosso país, o princípio inalienável da autodeterminação dos povos. Nossa Constituição se posiciona pela não-intervenção e a solução pacífica dos conflitos. Os governos liderados por nosso partido sempre foram protagonistas de mediações e negociações para buscar soluções pacíficas e marcadas pelo respeito à autonomia de todas as nações.

5. Porque somos solidários à posição do governo mexicano e de outros Estados latino-americanos que recusaram claramente a posição do chamado Grupo de Lima, abertamente alinhada com a postura belicista da Casa Branca.

6. Porque reconhecemos o voto popular pelo qual Nicolás Maduro foi eleito, conforme regras constitucionais vigentes, enfrentando candidaturas legítimas da oposição democrática.

7. Em qualquer país em que os direitos do povo estiverem ameaçados, por interesses das elites e dos interesses econômicos externos, o PT estará sempre solidário ao povo, aos que mais precisam de apoio. O respeito à soberania dos países e a solidariedade internacional são princípios dos quais não vamos abrir mão.

Gleisi Hoffmann
Presidenta do PT Leia mais