9 de setembro de 2014
por esmael
20 Comentários

Dilma bate-boca com Marina: Não tenho banqueiro me sustentando!

do Brasil 247 A proposta de independência do Banco Central da candidata Marina Silva (PSB) rendeu um bate-boca entre ela e a presidente Dilma Rousseff nesta terça-feira 9. Depois de um comercial da campanha do PT ter acusado Marina de dar aos banqueiros um poder de decisão de presidente e do Congresso, Marina rebateu dizendo que Dilma foi quem beneficiou os bancos em sua gestão, criando o “bolsa banqueiro”.

No final desta tarde, a candidata à  reeleição alfinetou a adversária, que tem como coordenadora de seu programa de governo Neca Setubal, herdeira do Itaú, e recentemente ganhou voto declarado do presidente da instituição financeira, Roberto Setubal. “Não adianta querer falar que eu fiz bolsa banqueiro. Eu não tenho banqueiro me apoiando. Eu não tenho banqueiro, você entende, me sustentando”, atacou Dilma Rousseff.

A petista voltou a criticar a proposta de independência do Banco Central de Marina. “O Banco Central, como qualquer outra instituição, não é eleito por tecnocrata nem por banqueiros”, mas por “quem tem voto direto. E o que o Congresso faz com o Banco Central? Chama e manda prestar contas”, disse.

Ela fez depois referência direta ao programa da presidenciável pelo PSB: “eu não digo isso porque sonhei com isso, está escrito no programa: autonomia do Banco Central e todo mundo sabe o que é autonomia do Banco Central”. Segundo Dilma, se autônomo, o Banco Central vai tomar decisões como definir a taxa de juros e a política de créditos “sem prestar contas ao Executivo e nem sequer ao Legislativo”.

7 de setembro de 2014
por esmael
23 Comentários

Neca Setúbal, do Itaú, bancou 83% do Instituto de Marina Silva

do Brasil 247
Uma reportagem deste domingo da Folha de S. Paulo confirma o que já parecia evidente. à‰ Maria Alice Setúbal, a Neca, herdeira do banco Itaú, a principal financiadora da candidata do PSB à  presidência da República, Marina Silva.

De acordo com o texto de Aguirre Talento e Fernanda Odilla (leia aqui a íntegra), Neca doou R$ 1 milhão em 2013 para o instituto criado por Marina Silva para promover a sustentabilidade. Isso representa nada menos que 83% dos custos da entidade, o que significa que Marina é quase que integralmente bancada por Neca.

Nesta condição, de principal financiadora da candidata, Neca passou a coordenar seu programa de governo e a falar em nome da candidata. Ela foi a primeira a anunciar a independência formal do Banco Central, uma medida defendida pela família Setubal.

O programa de Marina tem ainda outros ingredientes que interessam ao banco dos Setúbal, como a redução do papel de instituições públicas, como Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e BNDES, no mercado de crédito.

As despesas do instituto de Marina, na prática, atendem a projetos de interesse da própria candidata, como a digitalização de seu próprio acervo pessoal, além de gastos administrativos.

Além desse R$ 1 milhão recebido da amiga Neca Setúbal, Marina também faturou R$ 1,6 milhão com palestras. No entanto, ele se negou a revelar a identidade de seus clientes, alegando cláusulas de confidencialidade.

A empresa de Marina teve lucro de R$ 1 milhão no ano passado, mas ela declarou ao Tribunal Superior Eleitoral um patrimônio pouco superior a R$ 100 mil.

O Itaú, que financia por meio de uma de suas herdeiras a candidatura de Marina, encontra-se em litígio com a União, por ter sido multado pela Receita Federal em R$ 18,7 bilhões, sob a alegação de sonegação fiscal na compra do Unibanco.