3 de Maio de 2014
por esmael
21 Comentários

Black Blocs saem à s ruas no dia que Curitiba recebe taça da Fifa; assista ao vivo

Movimento "Não Vai Ter Copa", originado com os Black Blocs, volta à s ruas de Curitiba neste sábado (3) contra a Copa do Mundo; protesto transmitido ao vivo pelo Blog do Esmael mostra insatisfação do grupo ligado ao PSOL, PSTU, DEM e PSDB com os jogos na Arena da Baixada; hoje, também na capital paranaense, o troféu da Fifa permanece em exposição até as 21 horas no Park Shopping Barigui; assista ao vivo a manifestação.

Movimento “Não Vai Ter Copa”, originado com os Black Blocs, volta à s ruas de Curitiba neste sábado (3) contra a Copa do Mundo; protesto transmitido ao vivo pelo Blog do Esmael mostra insatisfação do grupo ligado ao PSOL, PSTU, DEM e PSDB com os jogos na Arena da Baixada; hoje, também na capital paranaense, o troféu da Fifa permanece em exposição até as 21 horas no Park Shopping Barigui; assista ao vivo a manifestação.

O Blog do Esmael transmite ao vivo, direto do Centro de Curitiba, protesto dos Black Blocs contra a realização da Copa do Mundo no Brasil. O movimento rebatizado como “Não Vai Ter Copa” tem simpatia do PSOL, PSTU, DEM e PSDB. Leia mais

14 de Fevereiro de 2014
por esmael
32 Comentários

Segundo a velha mídia, Curitiba #NãoVaiTerCopa

Velha mídia aposta que Curitiba ficará de fora da Copa do Mundo; ontem, Tribunal de Contas recomendou suspensão de repasse de recursos públicos à  CAP/S.A., empresa privada que gerencia as obras na Arena da Baixada, por falta de prestação de contas; quando a capital paranaense fora escolhida como subsede do campeonato, Mario Celso Petraglia, presidente do Atlético, jurava que não botaria a mão em nenhum "tostão" público; hoje, conclusão da Arena depende de mais R$ 65 milhões do BNDES e custo total já bate na casa de R$ 330 milhões; diante de tanta trapalhada e contradições, segure a velha mídia, para quê black blocs e sua palavra de ordem #NãoVaiTerCopa?; assista ao vídeo.

Velha mídia aposta que Curitiba ficará de fora da Copa do Mundo; ontem, Tribunal de Contas recomendou suspensão de repasse de recursos públicos à  CAP/S.A., empresa privada que gerencia as obras na Arena da Baixada, por falta de prestação de contas; quando a capital paranaense fora escolhida como subsede do campeonato, Mario Celso Petraglia, presidente do Atlético, jurava que não botaria a mão em nenhum “tostão” público; hoje, conclusão da Arena depende de mais R$ 65 milhões do BNDES e custo total já bate na casa de R$ 330 milhões; diante de tanta trapalhada e contradições, segure a velha mídia, para quê black blocs e sua palavra de ordem #NãoVaiTerCopa?; assista ao vídeo.

Não é por causa de protestos violentos dos black blocs, que foram transformados em gatinhos inofensivos pela atenta torcida fanáticos do Clube Atlético Paranaense. A velha mídia nacional e local dá já dão Curitiba como fora da Copa do Mundo em virtude de impasse sobre o empréstimo de R$ 65 milhões para a conclusão da Arena da Baixada. Leia mais

13 de Fevereiro de 2014
por esmael
26 Comentários

Prisão de black blocs deve esvaziar protestos no País #NãoVaiTerCopa

do Brasil 247 Com a morte do cinegrafista da TV Bandeirantes Santiago Andrade, durante uma manifestação, e a prisão dos jovens Caio Silva de Souza e Fábio Raposo, que responderão por homicídio doloso qualificado por uso de artefato explosivo e crime de explosão, a expectativa é que a onda de manifestações no País, que vinha sendo protagonizada por atos de vandalismo e violência, seja, temporariamente, contida.

Com isso, perde força o movimento Não Vai Ter Copa, que, no dia 25 de janeiro, deixou rastros de destruição em diversas cidades. Neste dia, houve inclusive o incêndio de um Fusca, que pertencia ao serralheiro Itamar Santos, em São Paulo, mais um exemplo de prejuízo da violência contra a sociedade.

Carlos Augusto Montenegro, do Instituto Ibope, prevê, de acordo com nota do colunista Ilimar Franco, que, com a morte de Santiago, “vai se ampliar o medo, já presente nos setores médios, de apoiar essas marchas”. Montenegro avalia ainda que o esvaziamento das mesmas vai se intensificar e que a sociedade está mais crítica diante de sua ação. “Por isso, acredita que haverá um recuo desses grupos, que não terão a mesma audiência na Copa”, diz Ilimar.

Para interlocutores do governo, a avaliação não é a de que os protestos acabem, nem que os mascarados abandonem sua forma violenta de protestar, mas que os recentes episódios sirvam, ao menos, para desmoralizá-la. A expectativa do governo é que o apoio da população aos black blocs, agora, reduza “drasticamente”. Pesquisa Datafolha divulgada em outubro do ano passado já apontava que 95% dos paulistanos desaprovavam os atos violentos durante as manifestações.

Legislação mais dura

Outras consequências que a morte e a prisão de Caio podem trazer são a investigação sobre quem estará por trás dos protestos e aliciando jovens violentos para que pratiquem atos como o do jovem, que recebeu R$ 150 para participar daquela manifestação em especial, segundo seu advogado. De acordo com ele, há partidos políticos, vereadores e deputados estaduais envolvidos nessa estratégia.

Assim como as manifestações de junho levaram os legisladores a aprovar leis como a que transforma a corrupção em crime hediondo, neste momento o Congresso

31 de Janeiro de 2014
por esmael
14 Comentários

Governo prepara ofensiva contra críticos da Copa do Mundo

da Agência Brasil, com Reuters e 247Preocupado com as manifestações contra a Copa do Mundo no Brasil, o Palácio do Planalto estuda um plano para deixar os gastos com o Mundial mais transparentes. Diante da reação popular e dos vários episódios de vandalismo, a avaliação do governo é que com a população melhor informada e esclarecida, as manifestações fiquem menos violentas.

A ideia é mostrar quanto custou cada arena e as obras de infraestrutura do mundial e até compará-las com as que foram feitas em outros países. A estratégia de comunicação ainda está sendo montada e será apresentada à  presidenta Dilma Rousseff nos próximos dias.

Leia reportagem da Reuters sobre a ofensiva do governo:

Governo prepara ofensiva contra críticas à  Copa do Mundo

Por Jeferson Ribeiro

BRASàLIA, 31 Jan (Reuters) – Preocupado com o movimento “não vai ter Copa” e com as críticas sobre a organização e os gastos para realização da Copa do Mundo, o governo prepara uma ofensiva com foco publicitário para reagir e transformar o evento em dividendo político para a presidente Dilma Rousseff, disse uma fonte do Executivo nesta sexta-feira.

O plano vem sendo estudado por várias áreas do governo nas últimas semanas e deve ser apresentado a Dilma nos próximos dias. Segundo a fonte, que falou sob condição de anonimato, a presidente definirá a amplitude das ações.

“Nós temos que esclarecer quanto está sendo gasto com os estádios, quanto está sendo gasto com infraestrutura, que é muito mais, dizer qual a importância da Copa para o Brasil”, disse a fonte a jornalistas.

Apesar de reconhecer o atraso na reação do governo, meses após as manifestações em diversas cidades do país em junho do ano passado, durante a Copa das Confederações, o membro do Executivo considera que é possível, com mais transparência, reduzir as críticas aos gastos com a preparação para o Mundial.

“Essa campanha pode ajudar a isolar ou reduzir a presença (nas manifestações) daqueles que são contra a Copa”, disse.

O orçamento consolidado da Copa do Mundo aponta gastos de 25,5 bilhões de reais com a realização do evento, incluindo obras de infraestrutura como aeroportos e corredores de ônibus, mas também a reforma ou construção das 12 arenas do Mundial. Desse total, 3,7 bilhões são provenientes da iniciativa privada.

O investimento em estádios chega a 8 bilhões de reais, dos quais apenas 133,2 milhões são de investimento privado, de acordo com a matriz de responsabilidade da Copa.

O movimento “não vai ter Copa”, que começou nas redes sociai