5 de abril de 2015
por Esmael Morais
29 Comentários

Homens da Lava Jato posam como semideuses para Folha. Arrogância?

Brasil 247
lavajato_folhaOs procuradores que integram a força-tarefa da Operação Lava Jato posaram para uma foto que promete dar o que falar. Estampada na primeira página da Folha de S. Paulo, a imagem contribui para espetacularização do Poder Judiciário e retrata os representantes do Ministério Público como os heróis de “Os Intocáveis”, personagens de um filme que fez sucesso em Hollywood, na década de 90.

Na imagem atual, o procurador Deltan Dellagnol, aparece ao centro, ladeado por seus colegas na investigação – ao todo, são nove os investigadores. No filme hollywoodiano, o mocinho era Kevin Costner, que lutava contra o poder de Al Capone.

A reportagem traz também declarações interessantes dos procuradores. Carlos Fernando Lima, um dos principais nomes da investigação, diz que o blefe foi uma das táticas para convencer alguns empresários a fazer delação premiada. “No começo, lançamos um grande 171: espalhar que já tinha gente na fila para colaborar, deixamos as pessoas saberem que já tinha uma pessoa ou empresa interessada, mas a gente não tinha nada. Aí começaram a bater na nossa porta”, disse ele. Leia mais

4 de abril de 2015
por Esmael Morais
9 Comentários

Santayanna questiona Moro e a Lava Jato: cadê o bom senso?

santayannaDa Justiça, o que principalmente se espera é bom senso

Por Mauro Santayanna, na Rede Brasil Atual, via Brasil 247

Quando suas decisões afetam não apenas o réu e sua vítima, mas centenas, milhares de cidadãos, o promotor deve acusar e o juiz, julgar, com a mente e o coração voltados para o que ocorrerá, in consequentia.

Nos últimos anos, a nação tem tido, na área de obras públicas, bilhões de reais em prejuízo. E isso não apenas devido a falhas de gestão – que, com a exceção dos Tribunais de Contas, não devem ser analisadas pelo Judiciário – ou de casos de corrupção, alguns com mais de 20 anos.

Houve também a paralisação – a caneta – de grandes obras de infraestrutura. Belo Monte, a terceira maior hidrelétrica do mundo, em construção na Amazônia em um momento que o país precisa desesperadamente de energia, teve suas obras judicialmente suspensas por dezenas de vezes, o que também contribuiu para que se somassem meses, anos de atraso ao seu prazo de entrega; e também para a multiplicação de seus custos. Leia mais