19 de março de 2015
por Esmael Morais
12 Comentários

Trabalhadores da limpeza pública de Curitiba mantêm greve

coleta.jpgReunidos em assembleia geral na tarde de quarta-feira (18), os trabalhadores da limpeza pública de Curitiba decidiram manter a greve por melhores salários e melhores condições de trabalho.

Eles rejeitaram a proposta intermediada pelo Ministério Público do Trabalho que oferecia reajuste de 9,7% nos salários e 16% nos tíquetes (10% em março e 6% em setembro). Nova rodada de negociação está marcada para a tarde de hoje, quinta-feira (19/3), com a intermediação do MPT.

Representados pelo Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio e Conservação (Siemaco) e pelo Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários (Sitro), ambos filiados à UGT, são mais 3 mil trabalhadores em greve. Leia mais

17 de março de 2015
por Esmael Morais
5 Comentários

Em Curitiba, greve dos trabalhadores da limpeza pública avança para o 2º dia

siemaco.jpgOs coletores de lixo, varredores, roçadores e serventes da limpeza pública de Curitiba iniciaram na manhã desta terça-feira (17) uma greve por tempo indeterminado. Eles reivindicam aumento salarial e melhores condições de trabalho.

Os 2.500 trabalhadores rejeitaram a proposta de empresa Cavo, de reajuste salarial de 4% para 7,7% em março e mais 1,3% em setembro nos salários e 10% de reajuste nos tíquetes.

O presidente do Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio e Conservação (Siemaco), Manassés de Oliveira, ao Blog do Esmael, disse agora à noite que a categoria continuará em greve nesta terça. Segundo ele, o Ministério do Trabalho está intermediando as negociações com a Cavo, empresa responsável pelo serviço de limpeza da cidade. Leia mais

26 de dezembro de 2013
por Esmael Morais
17 Comentários

Com R$ 30 mi em caixa, UGT de Paulo Rossi quer formar bancada federal

Com 1,2 mil sindicatos e prevendo embolsar mais de R$ 30 milhões com imposto sindical no ano que vem, a UGT também vai aumentar sua musculatura política; segundo o presidente da central no Paraná, Paulo Rossi,  a entidade vai apostar em um candidato à   Assembleia Legislativa (Márcio Costa  e em três à  Câmara Federal (Fernando Vicentine, Manassés de Oliveira e Chico Brasileiro); a entidade flerta muito com a reeleição do governador Beto Richa.

Com 1,2 mil sindicatos e prevendo embolsar mais de R$ 30 milhões com imposto sindical no ano que vem, a UGT também vai aumentar sua musculatura política; segundo o presidente da central no Paraná, Paulo Rossi, a entidade vai apostar em um candidato à  Assembleia Legislativa (Márcio Costa e em três à  Câmara Federal (Fernando Vicentine, Manassés de Oliveira e Chico Brasileiro); a entidade flerta muito com a reeleição do governador Beto Richa.

O presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), seção Paraná, informa que a central já ameaça o segundo lugar ocupado pela Força Sindical. Na semana passada, informa o líder sindical, tesoureiro nacional da Força, Luiz Motta, que também preside a poderosa Federação dos Comerciários de São Paulo, deixou a central rumo à  UGT, ligada ao PSD, partido que já anunciou apoio à  reeleição de Dilma Rousseff (PT). ... 

Leia mais