16 de junho de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em “Lula é o caminho, Moro é o pedágio”

“Lula é o caminho, Moro é o pedágio”

O juiz Sérgio Moro abriu mão esta semana de julgar políticos tucanos e empresas de pedágio envolvidos em mais um escândalo bilionário de propinas. Antes, porém, anulou depoimentos que poderiam comprometer o ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB) e concessionárias de outras praças (estados). ... 

Leia mais

29 de dezembro de 2015
por Esmael Morais
8 Comentários

Prefeito Gustavo Fruet também “afrouxou a tanga” para a máfia do ICI

O prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), esperou o início das festas de fim de ano para renovar o milionário – e não menos polêmico – contrato com o Instituto Curitiba de Informática (ICI), organização social responsável pela manutenção de diversos serviços de tecnologia de informação e comunicação da administração municipal.

Na campanha de 2012, quando ainda era candidato, Fruet propunha abrir a caixa preta do ICI. Agora, no entanto, mudou de ideia ao renovar o contrato com órgão privado pela bagatela de R$ 8,5 milhões.

Portanto, a Prefeitura de Curitiba continua refém da “máfia da informática”, ou seja, os curitibanos dependem e confiam seus dados pessoais a um grupo que sistematicamente faz chantagens ao poder público municipal.

Não foi só do ICI que a gestão Gustavo Fruet renovou laços de amizade.

A máfia do transporte coletivo também vai bem, obrigado. Segundo a Paraná Pesquisas, é a área pior avaliada com 65% de reprovação.

Nos últimos dois meses, a Prefeitura de Curitiba realizou dois aportes financeiros via Urbs – órgão que gerencia o sistema de transporte na capital – para as empresas concessionárias pagarem férias e 13º salário de motoristas e cobradores sob pena delas realizarem “locaute”.

O primeiro adiantamento da Urbs para a máfia dos ônibus foi de R$ 5 milhões e, na surdinha, houve outra transferência de R$ 8 milhões triangulada pela Câmara Municipal de Curitiba, que devolveu orçamento “carimbado” para “socorrer” essas  concessionárias.

O diabo é que esse dinheiro da Urbs, portanto público, que irrigou o caixa das empresas do transporte coletivo fez falta para os 1,5 mil trabalhadores na própria Urbs. Na véspera de Natal, em ato de desespero, eles chegaram a bloquear o tráfego de ônibus que saiam de Curitiba para o interior.

E o pior de tudo isso: vem aí, no período do Carnaval, mais um reajuste na tarifa do ônibus.

Essas relações promíscuas entre a administração Gustavo Fruet, ICI e máfia do transporte, fatalmente, serão o recheio nos debates eleitorais de 2016.

Leia mais

3 de dezembro de 2015
por Esmael Morais
7 Comentários

‘Pelo fim dos privilégios para a máfia do transporte coletivo de Curitiba’

mafia_onibus_fruetNo último dia 30 de novembro, Urbs — empresa que gerencia o sistema de transporte público em Curitiba — antecipou R$ 5 milhões da receita para que as empresas de ônibus pagassem a primeira parcela do 13º salário de motoristas e cobradores.

As concessionárias ameaçavam demitir 2 mil motoristas e cobradores para arrancar o dinheiro da Urbs. Os funcionários das empresas de ônibus, por óbvio, fizeram uma espécie de “locaute” — uma greve para ajudar os patrões — e para que a gestão do prefeito Gustavo Fruet (PDT) pudesse justificar publicamente tamanha benevolência.

Abro aqui um parêntese para falar da campanha da Prefeitura de Curitiba que pedia “fim dos privilégios para deficientes”. Ora, por que Fruet não desenvolve uma campanha similar — a arte já está pronta, virilizada nas redes sociais — pedindo o “fim dos privilégios para a máfia do transporte coletivo”. Fecho parêntese.

A gestão Gustavo Fruet, por meio da Urbs, deverá antecipar mais receitas dos movimentos diários às empresas de ônibus na próxima segunda-feira (7). Leia mais

13 de novembro de 2015
por Esmael Morais
8 Comentários

Tarifa cara do ônibus gera bate-boca, gritaria, choro e ranger de dentes na Câmara de Curitiba; assista ao quiproquó

fruet_bruxo_salamuniO k-suco ferveu na tarde de ontem (12), na Câmara de Vereadores de Curitiba, durante audiência pública do transporte coletivo. A oposição deitou e rolou na sessão aberta.

O bruxo Chik Jeitoso e o ex-presidente da Casa, Paulo Salamuni (PV), bateram boca e quase chegaram às vias de fato. Foi preciso a providencial intervenção do time deixa-disso.

“O senhor é o pior prefeito de Curitiba. Está cara essa passagem, sim. Os ladrões dessa Urbs têm que ir para a cadeia porque o povo está sofrendo”, discursava Chik Jeitoso.

Assista ao vídeo

O macumbeiro mais famoso do Hemisfério fora aplaudido em pé quando falou que Gustavo Fruet (PDT) era o mais incompetente que já passara pela Prefeitura. Foi aí que Salamuni tomou as dores do colega e partiu para cima do feiticeiro, que usava a tribuna da Câmara.

“Eu estou com a palavra, me respeite. Por favor, o senhor cale a sua boca”, reagiu Chik Jeitoso. Leia mais