11 de junho de 2014
por Esmael Morais
35 Comentários

Em menos de 24 horas, Porto de Paranaguá volta atrás e “demite” convencionais do PMDB pró-Richa

E-mail interno da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (APPA), que o Blog do Esmael teve acesso com exclusividade, nesta quarta (11), em menos de 24 horas depois de denúncia, informa que a "demissão" de convencionais do PMDB do Litoral; delegado e parente de peemedebistas estariam trocando voto contra Requião, na convenção do partido, por cargo comissionado de R$ 7 mil ao mês; mesmo com suspensão de contratações, deputado João Arruda avisa que vai pedir na Justiça e à  direção nacional do PMDB a suspeição dos convencionais do Litoral. (Clique na imagem para ampliar).

E-mail interno da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (APPA), que o Blog do Esmael teve acesso com exclusividade, nesta quarta (11), em menos de 24 horas depois de denúncia, informa que a “demissão” de convencionais do PMDB do Litoral; delegado e parente de peemedebistas estariam trocando voto contra Requião, na convenção do partido, por cargo comissionado de R$ 7 mil ao mês; mesmo com suspensão de contratações, deputado João Arruda avisa que vai pedir na Justiça e à  direção nacional do PMDB a suspeição dos convencionais do Litoral. (Clique na imagem para ampliar).

Menos de 24 horas depois de nomear convencionais ou pessoas ligadas a delegados do PMDB à  convenção estadual do PMDB, a superintendência do Porto de Paranaguá voltou atrás e “demitiu” nesta quarta-feira (11) Camila Roque e Ivori José Dias. ... 

Leia mais

11 de junho de 2014
por Esmael Morais
40 Comentários

Deputado apresenta provas de compra de votos contra Requião na convenção do PMDB do Paraná

Deputado João Arruda apresentou provas nesta quarta (11) de uso do Porto de Paranaguá para cabalar votos de peemedebistas contra Requião; Ivori José Dias, delegado do PMDB de Guaraqueçaba, foi nomeado hoje para exercer o cargo de chefe da seção de operações Antonina; ontem, o parlamentar já havia denunciado a contratação de Camila Roque, filha do vereador Marquinhos Roque, presidente da Câmara Municipal de Paranaguá, que é delegado à  convenção estadual do PMDB, e sobrinha de outro convencional, Mário Cezar Elias Roque, conhecido como Maruca; Se o Ministério Público precisava de provas concretas para agir, aí estão os recibos das compras de votos de convencionais do PMDB!; sobrinho de Requião adiantou que pedir na Justiça e à  direção nacional do PMDB a suspeição dos convencionais do Litoral. (Clique na imagem para ampliar).

Deputado João Arruda apresentou provas nesta quarta (11) de uso do Porto de Paranaguá para cabalar votos de peemedebistas contra Requião; Ivori José Dias, delegado do PMDB de Guaraqueçaba, foi nomeado hoje para exercer o cargo de chefe da seção de operações Antonina; ontem, o parlamentar já havia denunciado a contratação de Camila Roque, filha do vereador Marquinhos Roque, presidente da Câmara Municipal de Paranaguá, que é delegado à  convenção estadual do PMDB, e sobrinha de outro convencional, Mário Cezar Elias Roque, conhecido como Maruca; Se o Ministério Público precisava de provas concretas para agir, aí estão os recibos das compras de votos de convencionais do PMDB!; sobrinho de Requião adiantou que pedir na Justiça e à  direção nacional do PMDB a suspeição dos convencionais do Litoral. (Clique na imagem para ampliar).

“Se o Ministério Público precisava de provas concretas para agir, aí estão os recibos das compras de votos de convencionais do PMDB”. São essas as palavras do deputado federal João Arruda, que, nesta quarta-feira (11), mostrou cópias das portarias que contratam delegados do partido pela superintendência do Porto de Paranaguá (APPA). Segundo o parlamentar, cada cargo representa R$ 7 mil ao mês para os convencionais votarem, no próximo dia 20, contra a candidatura própria do senador Roberto Requião ao Palácio Iguaçu. ... 

Leia mais

24 de março de 2014
por Esmael Morais
17 Comentários

Vereador denuncia assédio moral no porto de Paranaguá

Mais de 60 pais de família estão sendo tratados como lixo!, denunciou o vereador Márcio Costa (PRP), durante pronunciamento na Câmara Municipal de Paranaguá, na semana passada. Segundo ele, o problema envolve os trabalhadores do Sindicato dos Portuários do Paraná (Sintraport).

O parlamentar apresentou na Câmara uma moção de apoio contra o assédio moral que mais de 60 homens estão passando depois que a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) determinou que voltassem à s suas funções de origem.

De acordo com o vereador, os portuários foram retirados de suas atividades de amarração, operador de shiploader, mecânico, balanceiro, etc., para retornar a varrerem os armazéns com salários reduzidos, quase pela metade.

Eles encontravam-se em desvio de função há mais de 20 anos por determinação de gestões anteriores. Quando os forasteiros aqui chegaram, não sabiam nem que o navio boiava e agora tiram o brilho dos recordes do porto dividindo o trabalhador da glória e do sucesso!, disparou o vereador em plenário.

Estarei agora dividindo a responsabilidade, não só com o governo do estado, mas também com o governo da privatização da presidente Dilma e da ex-ministra Gleisi Hoffmann (PT), a “musa da privatização”, que nos estudos realizados pela Antaq, não pensou nos TPAs ou nos portuários, nem na infraestrutura da cidade. Pensou apenas em contemplar os investidores estrangeiros, tirando o patrimônio do povo com o termo “concessão”, apelido dado pelos petistas para privatizar!.

O vereador terminou seu pronunciamento pedindo que seu discurso fosse encaminhado aos senadores, deputados federais e estaduais e lembrou que serviços que estavam sendo feitos pelos p Leia mais