18 de julho de 2014
por Esmael Morais
3 Comentários

Mensalão do DEM: Janot defende impugnação do registro da candidatura de Arruda ao governo do DF

da Agência Brasil
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, defendeu hoje (18) a impugnação do registro da candidatura de José Roberto Arruda (PR) ao governo do Distrito Federal (DF). Arruda tem a candidatura contestada pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) com base na Lei da Ficha Limpa, norma que impede que condenados em segunda instância se candidatem. Janot participou de um café da manhã com jornalistas.

Segundo o procurador, mesmo se tiver o registro de candidatura aceito pelo Tribunal de Regional Eleitoral (TRE) e for eleito, Arruda poderá ter o diploma de governador cassado em função da condenação.

“Houve a impugnação do registro com base na Lei da Ficha Limpa. O que se discute é que essa ausência de condenação em segundo grau se deu em razão de um obstáculo judicial, criado pelo próprio candidato. Esse realmente é um ponto que vamos ter que discutir juridicamente. Mas, isso não impede o recurso contra expedição de diploma, porque isso é uma causa de inelegibilidade posterior!, disse Janot.

Filiado ao PR, Arruda é candidato ao governo do DF pela coligação União e Força e, apesar da condenação, pode concorrer normalmente à s eleições até o julgamento definitivo do pedido de candidatura.

No dia 9 de julho, a 2!ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF) manteve a condenação do ex-governador do Distrito Federal por improbidade administrativa, em processo iniciado como desdobramento das investigações da Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, que desvendou o esquema de corrupção conhecido como mensalão do DEM, em 2009.

O advogado do candidato, Francisco Emerenciano, contesta a ação do MPE. Segundo ele, a condenação não tem alcance sobre a candidatura, pois a jurisprudência dos tribunais eleitorais é que a inelegibilidade é aferida no momento do pedido de registro, feito antes do julgamento que manteve a conde Leia mais

10 de julho de 2014
por Esmael Morais
13 Comentários

Mesmo condenado pelo “Mensalão do DEM”, Arruda é candidato no DF. Cadê a Lei da Ficha Limpa?

da Agência BrasilA 2!ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDF) manteve hoje (9) a condenação do ex-governador do Distrito Federal (DF) José Roberto Arruda por improbidade administrativa. O processo é um dos desdobramentos das investigações da Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, que desvendou o esquema de corrupção conhecido como mensalão do DEM, em 2009.

Filiado ao PR, Arruda é candidato ao governo do DF pela coligação União e Força e pode concorrer normalmente à s eleições. A Lei da Ficha Limpa impede candidatura de condenados na segunda instância da Justiça. No entanto, a Lei das Eleições (Lei 9.504/97) diz que as condições de inelegibilidade são aferidas no momento do pedido de registro da candidatura, feito na semana passada, quando o recurso de Arruda ainda não tinha sido julgado. Além disso, a suspensão dos direitos políticos só vale após o trânsito em julgado, o fim do processo.

Em nota, o Ministério Público afirmou que vai analisar o caso. O Ministério Público Eleitoral vai examinar a decisão do TJDFT tão logo tenha conhecimento do inteiro teor dela, e verificar as consequências da condenação no processo eleitoral!, diz a nota.

A assessoria de Arruda afirmou que vai recorrer da decisão e garantiu que ele está elegível para participar das eleições.

Em nota, o diretório do PR no Distrito Federal reafirmou apoio absoluto e inabalável! ao candidato.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, o ex-secretário de Assuntos Institucionais do governo do Distrito Federal Durval Barbosa relatou ter recebido autorização do ex-governador Joaquim Roriz, em 2002, para apoiar financeiramente a campanha de Arruda. Após a autorização, Durval disse que passou a entregar dinheiro arrecadado com propinas para Arruda e para quem ele indicasse. Segundo o ex-secretário, o esquema criminoso! continuou no governo seguinte.

Como provas, Durval entregou vídeos e gravações em que diversos agentes públicos e empresários recebiam dinheiro de origem ilícita. Na mesma ação, foi condenada a ex-deputada distrital Jaqueline Roriz.

Durante o julgamento, a defesa do ex-governador negou as acusações de improbidade e afirmou que o nome de Arruda não foi citado nas gravações entregues por Barbosa.

A descoberta do suposto esquema de desvio de dinheiro p Leia mais

9 de dezembro de 2013
por Esmael Morais
18 Comentários

Veja essa: Taniguchi, secretário de Richa, leva calote de US$ 450 mil de empresários paraguaios

Parece piada pronta, mas não é. O secretário de Estado de Planejamento do Paraná, Cássio Taniguchi, braço direito do governador Beto Richa (PSDB), levou um calote de US$ 450 mil de empresários privados do Ciudad Del Este, no Paraguai.

Taniguchi é um dos principais ideólogos no governo tucano que defende o calote em fornecedores, paralisação de obras e descumprimento de acordos com os servidores públicos para resolver a crise financeira do estado.

à‰ o típico caso do feitiço se voltando contra o feiticeiro.

Segundo o site Foz Notícias, citando o diário paraguaio “Vanguardia” (clique aqui), Taniguchi teria usado sua fama de ex-prefeito de Curitiba e de urbanista para vender seu peixe aos paraguaios.

Coincidência ou não, os empresários paraguaios alegam a mesma coisa que o governo do Paraná alega quando dá calote na praça: “crise financeira”.

O site iguaçuense afirma que a Aliança Público-privado! contratou o secretário de Richa para fazer o Plano Diretor de Desenvolvimento de Ciudad Del Este, cidade paraguaia que faz fronteira com Foz do Iguaçu (PR). Detalhe: até agora nada pagou. Deu calote.

Moral da história: aqui se faz, aqui se paga.

Leia a matéria de Digão Monzon, site Foz Notícias:

Calote à  Paraguaia !“ Tanigushi espera pagamento de U$ 450 mil

Parece que a maré de azar do Secretário Cassio Tanigushi está de volta. Segundo o jornal paraguaio Vanguardia! o ex-prefeito de Curitiba levou um calote de U$ 450 mil de empresários de Ciudad Del Este, que parecem não estar preocupados com a dívida.

Tanigushi usou de sua fama de urbanista para vender seu peixe, e foi contratado por uma Aliança Público-privado! para fazer o Plano Diretor de Desenvolvimento de Ciudad Del Este, cidade paraguaia que faz fronteira com Foz do Iguaçu (PR).

A empresária Natalia Rodriguez Chan, de Ciudad Del Est, explica que o setor privado seria responsável por pagar Tanigushi. Ainda não juntamos esse dinheiro. Tampouco queremos incomodar os empresários com isso agora, pois o comércio está em crise. Por isso vamos deixar esse Plano Diretor de lado por enquanto! disse Chan, que é a atual Presidente da Associação de Desenvolvimento Comercial em entrevista para o Diário Vanguardia.

Tanigushi já ocupou os microfones da mídia paraguaia para divulgar as maravilhas que seriam realizadas no centro comercial da cidade que também é famosa pela confusão de suas ruas e aglomero de pessoas.

Leia mais