Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

20 de março de 2018
por Eugênio Aragão
Comentários desativados em Com presença de quatro ex-presidentes, caravana de Lula avança pelo Sul

Com presença de quatro ex-presidentes, caravana de Lula avança pelo Sul


A caravana do ex-presidente Lula pelo Rio Grande do Sul promoveu o reencontro com os ex-presidentes Mujica, do Uruguai; Rafael Correa, do Equador; e Dilma Rousseff, deposta pelo golpe de 2016. Mesmo com algumas manifestações contrárias de fãs do Bolsonaro, a caravana segue reunindo multidões. Hoje (20) Lula estará em Santa Maria. Leia mais

1 de dezembro de 2014
por esmael
14 Comentários

Uruguaios elegem Tabaré Vasquez sucessor de Mujica

via Agência Brasil

MujicayVasquez

Os uruguaios elegeram nesse domingo (30) o sucessor do presidente José Pepe Mujica: no dia 1!º de março, o médico socialista Tabaré Vasquez será reconduzido ao cargo, que ocupou de 2005 a 2010. Este vai ser o terceiro governo consecutivo da coligação de partidos de esquerda, Frente Ampla.

No discurso em que festejou a vitória, Tabaré convocou a oposição a um diálogo. Convoco todos os uruguaios, não para que me sigam, mas para que me guiem e me acompanhem!, disse. Ao mesmo tempo prometeu que seu retorno ao poder não representará mais do mesmo! porque o país que vai presidir nos próximos cinco anos não é o mesmo de 2005 nem de 2010!.

Tabaré Vasquez disputou o segundo turno das eleições presidenciais com o candidato do tradicional Partido Nacional (ou Blanco), Luis Lacalle Pou. Ele obteve 53,6% dos votos, enquanto seu adversário ficou com 41,1%. A Frente Ampla ainda assegurou a maioria no Congresso, no primeiro turno das eleições, em outubro passado.

25 de dezembro de 2013
por esmael
37 Comentários

O Brasil deve seguir o Uruguai na liberação da maconha?

do Brasil 247
O Uruguai iniciou oficialmente, a partir da terça-feira 24, uma experiência inédita na América Latina. O presidente José Pepe Mujica sancionou a legislação aprovada pelo Congresso do País que descriminaliza e libera para plantio, uso e comercialização controlada a canabis, a conhecida maconha.

à‰ a primeira vez que um país da região adota uma lei que não é punitiva sobre o produtor e o usuário da planta. Nos Estados Unidos, a permissão para o uso recreativo ou medicinal da maconha já está consagrada em estados como Califórnia, Colorado e Washington. No Brasil, a iniciativa do Uruguai despertou a ira dos fundamentalistas na mídia familiar, que já indicam que o país vizinho passará a ser uma base segura para o narcotráfico do continente.

Não se tem notícia de que Pepe Mujica tenha sido ou seja um maconheiro, como se chama, de modo pejorativo, o usuário de canabis. Muito menos que ele tenha algum vestígio de ligação com o narcotráfico, que perdeu seus chefões como Pablo Escobar mas realiza negócios bilionários de produção, distribuição e comercialização de drogas pesadas como a heroína, a cocaína e seus subprodutos, como o crack, todos os anos na América do Sul.

Na história de Pepe Mujica há um passado de guerrilheiro contra a sanguinária ditadura uruguaia e um presente de perfil discreto e nada afeito a mordomias. Na economia e na política, o presidente toca o país sem solavancos, numa placidez que nada tem a ver com as pirotecnias fracassadas de sua colega argentina Cristina Kirchner. Até aqui, pela soma desses fatores, Pepe Mujica era um exemplo de governante bem centrado no desempenho do cargo, mas passou a ser execrado pelo conservadorismo em razão da lei da maconha.

Pressa atrasada

A pressa em julgar Mujica e sua iniciativa é inútil. Iniciada agora, a experiência do Uruguai só vai dar resultados, positivos ou negativos, em médio e longo prazos. à‰ difícil imaginar que, em razão de uma lei, legiões de usuários atravessem o rio da Prata em busca de sua Meca ou poderosos chefões do tráfico de drogas pesadas mudem suas estratégias apenas porque agora se pode ter até seis pés de canabis num jardim. Igualmente não se deve registrar uma adesão em massa à  prática de fumar maconha dentro do próprio Uruguai, até mesmo porque o tabaco sempre foi liberado e seu consumo se dá com estabilidade.

Para quem enxerga na lei uma iniciativa corajosa e moderna, a legisla

10 de dezembro de 2013
por esmael
3 Comentários

Uruguai deve aprovar hoje Lei da Maconha

da Agência Brasil/EBC

O Uruguai deve se converter, nesta terça-feira (10), no primeiro país a legalizar e a regulamentar a produção, a venda e o consumo da marijuana (maconha). O polêmico projeto de lei, defendido pelo presidente uruguaio Jose Pepe! Mujica e aprovado pela Câmara dos Deputados, será votado pelo Senado, onde o governo tem 17 dos 30 legisladores.

Vinte e oito mil uruguaios !“ 5% da população entre 15 e 65 anos !“ fumam um cigarro de maconha por dia. Segundo a Junta Nacional de Drogas do Uruguai, 22 toneladas de marijuana são vendidas anualmente no Uruguai !“ o dobro do ano passado.

Consumir drogas (mesmo as mais fortes, como a cocaína ou o crack) não é considerado crime no Uruguai. Foi permitido, por decreto, há 40 anos. A lei só proíbe comprar e vender.

Essa contradição beneficia os narcotraficantes. Como o consumo é permitido e o comércio é proibido, criamos um mercado cativo para o crime organizado, que comercializa a droga sem qualquer controle!, explicou, em entrevista á Agência Brasil, o deputado governista Julio Bango, autor do projeto. Com a venda de maconha, os traficantes faturam US$ 40 milhões anuais.

Segundo Bango, o governo tinha duas opções para combater o narcotráfico: proibir o consumo de maconha (algo que dificilmente conseguiria implementar) ou legalizar e regulamentar o comércio. à‰ melhor que o Estado assuma o controle e coloque limites, do que os narcotraficantes ditem as regras!.

No Uruguai, a maconha é a quarta droga mais consumida, depois do álcool, do tabaco e dos psicofármacos. Nenhuma das quatro faz bem á saúde e a ideia não é promover o consumo da maconha!, explicou. O que queremos é justamente regulamentar o comércio da maconha, como fazemos com as outras três!.

Com a nova lei, qualquer pessoa residente no Uruguai, maior de 18 anos, terá direito a comprar até 40 gramas de maconha por mês na farmácia !“ a preços inferiores aos do narcotraficantes. Mas precisa se registrar, se quiser ter acesso á droga