11 de setembro de 2014
por Esmael Morais
4 Comentários

Gleisi critica fim do atendimento ao câncer infantil em Maringá

A candidata ao governo Gleisi Hoffmann (PT) esteve em Maringá nesta quarta-feira (10) onde participou do Fórum Paraná com os candidatos ao governo do Paraná, organizado pela Arquidiocese Municipal. O evento reuniu cerca de 500 católicos e lideranças religiosas que lotaram o auditório Dona Guilhermina para conhecer as ideias e propostas da candidata da coligação Paraná Olhando Pra Frente.

Entre os três principais candidatos, Gleisi foi a única a participar.!  Ela apresentou seus projetos para as áreas de saúde, educação e estímulo ao desenvolvimento local. Ela parabenizou a Arquidiocese e o bispo Dom Anuar Battisti pela iniciativa de abrir o espaço para os candidatos.

Ela lamentou que a falta de repasses estaduais tenha causado a interrupção do atendimento de oncologia infantil pelo Hospital Universitário. Se já tem infraestrutura pronta, não tem justificativa que Maringá não esteja pronta para fazer o atendimento de oncologia infantil.!

Segundo a candidata, é uma crueldade obrigar as famílias a viajarem até Curitiba em busca de atendimento, sendo que a cidade dispõe de um hospital com infraestrutura pronta para receber os pacientes.

Ainda sobre a crise nos hospitais universitários, Gleisi garantiu que seu governo vai investir o mínimo de 12% em saúde conforme determina a Constituição.

à‰ inadmissível que o Paraná, sendo a 5!ª economia brasileira, seja apenas o 23!º estado em investimento em saúde. Temos uma rede estruturada de hospitais e unidades de saúde e poderíamos fazer a diferença no atendimento para a população! disse Gleisi.

Gleisi enfatizou que é contra a federalização das universidades estaduais paranaenses. De acordo com a candidata, seu governo vai retomar o protagonismo das universidades no desenvolvimento regional.

Nossas universidades são um diferencial competitivo muito importante para o Paraná. Aqui em Maringá, a UEM pode servir de referência no desenvolvimento de tecnologias e pesquisas para o crescimento regional!.

A candidata ainda recebeu da Arquidiocese uma carta de reivindicações da comunidade local. Ela esteve acompanhada do candidato ao Senado, Ricardo Gomyde e do deputado Enio Verri.

Leia mais

22 de abril de 2014
por Esmael Morais
55 Comentários

Coluna do Enio Verri: Beto Richa não trabalha aqui no Paraná

Enio Verri*

Amanhã vai completar seis meses de um dos episódios mais baixos do governo Beto Richa. No dia 23 de outubro do ano passado o governador esteve em Maringá para inaugurar a ala de oncologia pediátrica, para o tratamento de crianças com câncer, do Hospital Universitário.

A inauguração, porém, não passou de uma farsa eleitoreira montada pela gestão estadual para enganar a população de Maringá e região metropolitana. A ala de para atendimento a crianças com câncer do HU nunca esteve pronta e jamais entrou em funcionamento.

Seis meses depois do descerramento da placa de inauguração, crianças maringaenses continuam buscando tratamento nos hospitais Pequeno Príncipe e Erasto Gaertner, em Curitiba(clique aqui) .

Mais grave do que a falsa inauguração foi a explicação dada pelo governador para o episódio. Na ocasião, questionado pela reportagem da RPC TV sobre o porquê do governo inaugurar um hospital para crianças com câncer que não estava pronto para funcionar, Beto Richa respondeu: Eu não trabalho aqui, estou apenas inaugurando. Pergunte ali para a Magda [Magda de Oliveira, superintendente do HU].! (Clique aqui para assistir a reportagem).

Sem o filtro da sua assessoria de comunicação, Richa revelou-se por inteiro aos paranaenses: é um governador espantosamente desinformado e desinteressado com as ações de sua própria gestão, além de insensível com um tema tão importante quanto o tratamento de crianças com câncer.

Quando confrontado com a realidade pela jornalista da RPC, o governador ainda mostrou-se covardemente exitante: em vez de enfrentar a situação, procurou imediatamente alguém para atribuir a culpa pela malfadada inauguração.

Sem querer, de supetão, certamente à  revelia de seus estrategistas, Beto Richa desnudou o maior dos sintomas de seu próprio governo: ele simplesmente não trabalha.

Por esta razão, o Paraná atravessa a maior crise financeira de sua história, com graves implicações para as áreas de segurança e saúde. A ala para tratamento de crianças com câncer do HU de Maringá, inaugurada há seis meses e que nunca entrou em f Leia mais