5 de julho de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em STF afasta ministro do Trabalho

STF afasta ministro do Trabalho

A reforma trabalhista de Michel Temer deixou uma maldição no Ministério do Trabalho, pois, nesta quinta (5), o titular da pasta Helton Yomura foi afastado do cargo pelo Supremo e a Polícia Federal faz busca e apreensão no gabinete do deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP). ... 

Leia mais

12 de setembro de 2016
por Esmael Morais
25 Comentários

Requião Filho diz que Greca é “usufrutuário” de corrupção no governo Richa, mas elogia atuação de Fruet; assista ao vídeo

requiao_grecaO candidato do PMDB à Prefeitura de Curitiba, Requião Filho, usou as redes sociais para acusar o adversário Rafael Greca (PMN) de ser “usufrutuário” de esquemas de corrupção no governo Beto Richa (PSDB). Abaixo, assista ao vídeo: Leia mais

24 de agosto de 2016
por Esmael Morais
16 Comentários

Alvaro: governo deveria coibir fraudes em fundos de pensão, antes de prejudicar trabalhadores com mudanças na previdência

alvaro_diasO senador Alvaro Dias (PV-PR), em sua coluna desta quarta (23), dá um peteleco no governo interino de Michel Temer (PMDB) ao relacionar fraudes em fundos de pensão com o aumento para 70 anos a idade de aposentaria. Leia mais

11 de agosto de 2015
por Esmael Morais
15 Comentários

“Tenda Digital” tenta segurar Gaeco nas investigações de corrupção no governo Richa

A promotora de Justiça Leila Schimiti, subitamente, no último fim de semana, foi transformada em vilã graças à parceria infernal entre a “Tenda Digital” e setores da velha mídia paranaense.

Nesta terça-feira (11), do nada, o jornal Gazeta do Povo produziu uma “belíssima” reportagem acerca da “redução de pessoas alcoolizadas ao volante devido à Lei Seca”. Para um bom entendedor, meia palavra basta…

Leila Schimiti é coordenadora do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), braço policial do Ministério Público do Paraná. Ela está à frente de investigações de pedofilia, corrupção e cobrança de propina na Receita Estadual do governo do Paraná.

Coincidentemente, um dos investigados, Luiz Abi Antoun, primo do governador Beto Richa (PSDB), que esteve preso duas vezes, é apontado como “patrono” da tal “Tenda Digital”. Por isso o cavalo de batalha nas redes sociais e setores da velha mídia.

A “Tenda Digital” é um grupo clandestino formado por “cibercomissionados” que atuam no submundo a partir de comandos do Palácio Iguaçu. Os membros dessa organização criminosa seriam pagos com cargos DAS, ou seja, dinheiro público.

Ao demonizar a promotora Leila, a ideia é desqualificar os membros do Ministério Público nas investigações das operações Publicano e Voldemort.

O Gaeco já tem em mãos uma lista de “cibertucanos” da “Tenda Digital” que são lotados no Palácio Iguaçu, e-Paraná e Secretaria de Comunicação.

A promotora Leila Schimiti bateu seu carro em outros dois veículos, no sábado (8) à noite. Não houve feridos, mas a “Tenda Digital” e setores da velha mídia espalham que ela fora privilegiada no atendimento da ocorrência de trânsito. A Associação Paranaense do Ministério Público contesta essa versão (leia abaixo).

NOTA DE ESCLARECIMENTO DA ASSOCIAÇÃO PARANAENSE DO MINISTÉRIO PÚBLICO

A ASSOCIAÇÃO PARANAENSE DO MINISTÉRIO PÚBLICO, entidade de classe que congrega promotores e procuradores de Justiça do Estado do Paraná, por força do disposto nos artigos 1º, alíneas “a” e “f” e 37, alínea “d”, do seu Estatuto Social, vem a público ESCLARECER os fatos ocorridos na Cidade de Londrina/PR, no dia 08 de agosto do corrente ano, envolvendo a promotora de Justiça Leila Schimiti.

Considerando que a divulgação realizada por alguns meios de comunicação não corresponde à plena realidade dos fatos, importante esclarecer que a APMP procedeu ao acompanhamento do ocorrido desde o seu início, podendo assegurar que todas as medidas legais cabíveis foram adotadas pelas autoridades competentes para o seu adequado registro e posterior apuração. Não houve qualquer tentativa de interferência da aludida agente ministerial, ou de quaisquer outros integrantes do Ministério Público, com o objetivo de obstar ou dificultar a atuação das autoridades.

A APMP destaca, ainda, que a presença, no local da ocorrência, de outros membros da Instituição, deu-se em virtude de solicitação desta Associação e de designação expressa do Sr. Procurador-Geral de Justiça, com vistas a permitir a fiel observância do comando contido no art. 152, III da Lei Complementar nº 85/99, além de garantir a lisura do trabalho policial e a preservação das demais prerrogativas institucionais.

Digno de registro, ainda, que a promotora de Justiça Leila Schimiti emitiu no Leia mais