16 de dezembro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Artigo em jornal português denuncia prisão política de Lula; leia a íntegra

Artigo em jornal português denuncia prisão política de Lula; leia a íntegra

Foto: Bruno Falci

A portuguesa Isabel Moreira, jurista e deputada do Partido Socialista, em artigo publicado no jornal Expresso, de Lisboa, afirma que o mundo sabe da farsa contra Lula. ... 

Leia mais

11 de fevereiro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em ‘Lula, bonito e gostosão’

‘Lula, bonito e gostosão’

Nem tudo é desgraça para o ex-presidente Lula na velha mídia golpista. A revista Época, da Globo, por exemplo, anota que o petista recebe, em média, cinco cartas com pedido de namoro todas as semanas. O PT confirma que são quase 200 missivas por mês. ... 

Leia mais

5 de novembro de 2013
por Esmael Morais
3 Comentários

Dilma exige que guarda de dados da internet fique no Brasil, diz João Arruda

O deputado federal João Arruda (PMDB-PR), que presidente a Comissão Especial que analisou o projeto do Marco Civil, será apreciado pela Comissão Geral da Câmara nesta quarta (6), informou nesta tarde ao blog que a presidenta Dilma Rousseff quer que os datacenters para armazenagem e gerenciamento de dados de usuários permaneçam em território nacional.

O relator na Câmara do projeto que cria o Marco Civil da Internet, deputado Alessandro Molon (PT-RJ), acatou o pedido da presidenta que, em outra ação para conter espionagem externa, publicou no Diário Oficial da União desta terça a obrigatoriedade do serviço público se comunicar através de e-mail 100% nacional — o Expresso — cuja tecnologia desenvolvida durante o governo de Roberto Requião (PMDB) no Paraná foi adotada pelo Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados).

Arruda disse que a Câmara deverá aprovar amanhã a melhor legislação de internet do mundo, pois o texto elaborado pela comissão presidida por ele assegura três pontos principais: a liberdade de expressão; a privacidade do usuário; e o ponto mais polêmico, a neutralidade da rede.

A ideia de neutralidade da rede consiste em impedir que empresas que explorem a infraestrutura de transmissão e difusão da internet possam privilegiar cliente e controlar conteúdos. Ou seja, a neutralidade veda qualquer tipo de controle !“ inclusive monetário !“ do dono do cabo sobre aquilo que transita pelo cabo.

O Marco Civil da Internet é uma espécie de Constituição para a rede.

Leia mais

5 de novembro de 2013
por Esmael Morais
2 Comentários

Dilma obriga uso de e-mail brasileiro contra espionagem de Obama

da Agência BrasilDecreto publicado na edição de hoje (5) do Diário Oficial da União determina que os serviços de telecomunicações e de tecnologia da informação de órgãos ligados à  administração pública federal direta, autárquica e fundacional ocorram por meio de redes e serviços fornecido por órgãos ou entidades da própria administração pública federal.

A iniciativa, que abrange também empresas públicas e sociedades de economia mista da União e subsidiárias, tem como objetivo evitar o acesso a informações estratégicas por terceiros. A medida entra em vigor em 120 dias, mas a partir de hoje, com a publicação do decreto, já está autorizada a dispensa de licitação desses serviços nas contratações que possam comprometer a segurança nacional.

Serão oferecidos serviços de correio eletrônico bem como funcionalidades complementares. De acordo com o decreto, no âmbito dos serviços de tecnologia da informação estão previstos serviços de desenvolvimento, implantação, manutenção, armazenamento e recuperação de dados e operação de sistemas de informação, além do projeto de infraestrutura de redes de comunicação de dados. A medida não se aplica à s comunicações feitas por meio de serviço móvel pessoal.

Em outubro, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse que a presidenta Dilma Rousseff já havia determinado a implantação de um sistema de correio eletrônico que protegesse as mensagens do governo, assegurasse a inviolabilidade de e-mails oficiais e prevenisse ação de espiões. O serviço, disse o ministro, ficará a cargo do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), que desenvolve um programa de computador (software) há algum tempo. A troca do sistema atual de e-mails, que é fornecido pela Microsoft, pelo do Serpro !“ chamado Expresso !“ resultará também em economia para os cofres públicos.

Leia mais

17 de outubro de 2013
por Esmael Morais
4 Comentários

E-mail oficial do governo será mais barato e seguro, diz Paulo Bernardo

via Blog do PlanaltoDurante entrevista para o programa Bom Dia, Ministro! desta quinta-feira (17), o titular das Comunicações, Paulo Bernardo, falou sobre as mudanças na circulação de informações entre órgãos do governo federal. A ideia é usar um sistema de processamento de dados do Serpro, que inclui um novo padrão de e-mails e de comunicação interna entre os ministérios e com a presidência, pois para o ministro, tudo que circula pela internet tem um nível de proteção muito pequeno.

O Expresso! está em fase de testes no Ministério das Comunicações, e nos próximos dias, a presidenta Dilma Rousseff deverá assinar um decreto definindo um cronograma para que ministérios, autarquias, fundações e demais entes do governo federal se adequem à  nova norma. Segundo Paulo Bernardo, além de segurança, o sistema trará uma diminuição de custo para o governo, que trabalha numa possibilidade de disponibilizar o Expresso! para a população, num convênio com os Correios.

As denuncias mostram que não temos privacidade nenhuma. Isso é um absurdo do ponto de vista democrático, porque uma correspondência tem que ser inviolável, e o e-mail nada mais é que uma correspondência. (!¦) No governo federal, estamos adotando essas medidas. A mensagem pode ser criptografada, codificada para dificultar vazamento. Além disso, estamos preparando um decreto para usar redes próprias do governo para fazer o tráfego de informações. Vamos, de certa forma, sair da internet para esse tipo de comunicação!, afirmou.

Bernardo falou também sobre telefonia móvel e conexões de internet para celulares no país. Ele anunciou investimentos para que, nos próximos dois anos, distritos que fiquem até 30 km de distância da s Leia mais