13 de fevereiro de 2016
por Esmael Morais
10 Comentários

Coluna do Jorge Bernardi: Governo Richa e o cartel do pedágio

Download áudio

Jorge Bernardi*

Pior que os capitalistas que nos compram são os governantes que nos vendem. Em várias setores da administração pública, onde serviços, deveriam ter caráter público, são explorados por grupos financeiros empresariais, que formam cartel, com só um objetivo: o lucro fácil.

O pedágio é um destes exemplos. Com pode os valores serem tão inconsistentes? De Curitiba a Paranaguá, R$ 18 reais, percurso 90 km; Curitiba a Balneário Camboriú, R$ 1,90 x 3, ou R$ 5,80, percurso 200 km (Rodovias 376 e 101). Há algo de estranhos e incompreensível nesta equação.

O transporte coletivo, a coleta do lixo, iluminação pública são outros exemplos desta exploração a que estão submetidos os brasileiros. O objetivo destes grupos não é oferecer aos usuários serviços de qualidade, mas usufruir lucros e mais lucros.

Em todo o Brasil, o pedágio mais caro e o mais predatório a economia popular, é do Paraná, que foi implantado em 1997, pelo Governo Jaime Lerner. O chamado “Anel de Integração” foi um verdadeiro engodo à população paranaense, com 2.500 km de rodovias federais e estaduais concedidas a um grupo de seis empresas que, por 24 anos, estão a explorar milhares de usuários.

Os governos que sucederam a Lerner, começando com Requião, nada fizeram para mudar esta realidade a não ser discursos. Os órgãos que deveriam fiscalizar, pouco fazem para defender os interesses dos usuários: DENIT e DER-PR, não possuem a menor credibilidade junto a opinião pública. Frequentemente estes entes são envolvidos em denúncias de corrupção.

As obras de manutenção executadas pelas pedageiras não terminam nunca. São executadas numa velocidade de fazer inveja as tartarugas, principalmente às vésperas de feriados, quando aumenta o tráfego. As concessionárias fazem questão que interromper a rodovia, causando transtornos a milhares de pessoas, para demonstrar que estão trabalhando. Me engana que eu gosto.

Faltando 5 anos para o fim da concessão no Paraná, as empresas e o Governo Beto Richa, querem prorrogar o pe Leia mais

21 de dezembro de 2014
por Esmael Morais
7 Comentários

Verão começa com obras inacabadas e promessas não cumpridas no Litoral

via Blog Balanço da Canoa

verao.jpgO Verão começa oficialmente hoje à s 21 horas e 3 minutos. à‰ a estação mais alegre do ano. Boa parte da população entra em férias e desce para o Litoral. A estimativa é de que as praias do Paraná recebam 9 milhões de visitantes até o final da temporada.

O Jornal Gazeta do Povo traz na edição deste domingo (21) uma matéria sobre os problemas de infraestrutura da orla, relembrando promessas do governador do Estado, Beto Richa (PSDB), que não foram cumpridas a tempo. Seriam intervenções nos calçadões, obras de esgoto, construção de quiosques, proteção da restinga, entre outras obras mais que necessárias para o conforto dos veranistas e a preservação ambiental.

Isso sem falar nas estradas, como a PR 407 que há décadas pede duplicação. Os engarrafamentos na rodovia que liga a BR 277 à s praias de Pontal do Paraná já começaram no sábado (20) e vão se repetir até o carnaval. A duplicação iniciada há alguns meses será somente do trecho urbano da rodovia em Paranaguá e deve resolver o problema dos moradores daquela cidade. O restante da rodovia permanecerá simples e engarrafada. Leia mais

28 de julho de 2014
por Esmael Morais
2 Comentários

Moradores de Pontal se mobilizam por nova estrada de acesso ao município

O Paraná tem um litoral muito bonito e cada vez mais frequentado por veranistas daqui do Estado, de outros estados e de diversos países mundo. Num breve passeio pela Ilha do Mel é possível encontrar turistas europeus, orientais, norte-americanos e de outros países da nossa América Latina. Pontal do Paraná, o jovem município de belíssimas praias, é reconhecido pela preservação de uma ampla faixa de restinga ao longo de toda a sua costa e recebe centenas de milhares de veranistas todos os anos. Mas Pontal do Paraná e o acesso à  Ilha do Mel sofrem de um problema crônico que é a falta de uma estrada apropriada. Os moradores e veranistas sofrem com os constantes congestionamentos que duram horas na única estrada que margeia as praias, a PR 412.

Cansados de esperar, os moradores e empresários locais estão se organizando no movimento Eu Amo Pontal !“ Estrada Já!! sob a liderança da Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Pontal do Paraná (ACIAPAR). O movimento fará coletas de assinaturas dos moradores e veranistas em apoio à  construção da estrada. Também será buscado o apoio e o compromisso dos candidatos a governador e parlamentares oriundos e! com base no litoral.

Segundo Gilberto Espinosa, presidente da ACIAPAR, a falta de acesso adequado faz com que as pousadas percam turistas, os restaurantes percam clientes, e em casos mais graves, como acidentes ou emergências médicas, a dificuldade de transporte pode matar. A ausência de uma estrada transitável estrangula o desenvolvimento local, fazendo com que muitas praias continuem desertas, dificultando a geração de emprego e renda para a população local!, afirmou Espinosa.

g414523

O Governo do Estado já elaborou o planejamento para a construção de uma nova estrada, chamada de faixa de infraestrutura, pois inclui ferrovia, rede elétrica, rede de gás e canal. O projeto está na fase do estudo de impacto ambiental, com edital aberto desde o dia 17 de julho e no dia 03 de setembro será feita a abertura dos envelopes com as propostas. Por isso, a primeira fase da campanha será a intensa coleta de assinaturas durante o mês Leia mais