4 de agosto de 2014
por esmael
26 Comentários

“As pessoas não querem ficar escutando lamentações, que a culpa é do outro”, diz Gleisi Hoffmann

via Metro

Leia a seguir a íntegra da entrevista publicada na edição de hoje do Jornal Metro. Ao final, há um perfil da candidata.! 

Porque o eleitor deve votar na senhora? Penso que o Paraná, por ser a quinta economia do país, está deixando de aproveitar oportunidades de desenvolvimento de políticas públicas. O Paraná tem hoje um governo tímido, que não tem ação nem iniciativa, e depende muito da atuação dos outros. Todas as vezes que eu vejo o governador falar sobre o Paraná é sempre colocando responsabilidade em outro. Ou no governo passado, ou no governo federal, ou nas condições adversas. Quando nós queremos fazer as coisas, temos que tomar as rédeas da situação e fazer acontecer. O Paraná pode responder a ações e estímulos para ser referência de políticas nacionais, inclusive. Poderíamos ser uma referência no desenvolvimento da saúde. Somos o 23!º Estado em investimentos na saúde, sequer investimos os 12% que manda a legislação.

O governador Richa diz que outros Estados governados pela oposição não tiveram uma adversária na chefia da Casa Civil e que o Paraná sofreu com isso. O que a senhora diz sobre isso? Eu lamento, por que é uma desculpa para justificar a incompetência administrativa, a inoperância a que o Estado foi submetido. à‰ um governador que prometeu um choque de gestão e está entregando aos paranaenses uma gestão chocante. Eu não me lembro, como paranaense, nos últimos 15, 20 anos, de que o Estado tenha sido notícia em jornais nacionais por calote de fornecedores, faltar gasolina em carro de polícia, ter uma desarticulação em políticas educacionais, não cumprir os recursos que tem que cumprir em relação à  saúde. E não me consta que isso seja resolvido com operação de crédito. Investimentos federais têm muitos no Paraná, a começar pelas rodovias federais.

Nós temos mais de R$ 5 bilhões de investimentos em rodovias federais no Paraná. Essas rodovias não servem ao povo do Paraná? Não podem ser tidas como um grande investimento do governo federal? Só em programas habitacionais, como o “Minha Casa, Minha Vida”, nós temos mais de R$ 15 bilhões investidos no Paraná. Nós distribuímos 1.100 máq

12 de dezembro de 2013
por esmael
27 Comentários

Gleisi Hoffmann libera empréstimo de US$ 350 milhões ao Paraná

Seguindo a lógica do Palácio Iguaçu, a qual denunciava que os ministros paranaenses vinham travando empréstimos ao Paraná, poder-se-á afirmar que hoje Gleisi Hoffmann liberou US$ 350 milhões (cerca de R$ 815 milhões) do Banco Mundial (Bird); governador Beto Richa, com a testemunha da secretária da Fazenda, Jozélia Nogueira, assinou contrato da transferência do numerário os cofres estaduais; tucanos só omitiram nesse enredo todo que o "choque de gestão" deixou o estado no Seproc por muito tempo, por isso a demora na tomada de dinheiro de instituições financeiras internacionais.

Seguindo a lógica do Palácio Iguaçu, a qual denunciava que os ministros paranaenses vinham travando empréstimos ao Paraná, poder-se-á afirmar que hoje Gleisi Hoffmann liberou US$ 350 milhões (cerca de R$ 815 milhões) do Banco Mundial (Bird); governador Beto Richa, com a testemunha da secretária da Fazenda, Jozélia Nogueira, assinou contrato da transferência do numerário os cofres estaduais; tucanos só omitiram nesse enredo todo que o “choque de gestão” deixou o estado no Seproc por muito tempo, por isso a demora na tomada de dinheiro de instituições financeiras internacionais.

Se a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, estava travando empréstimos internacionais ao Paraná, como acusaram várias vezes os principais arqueiros do governador Beto Richa (PSDB), então podemos supor que, a partir da assinatura do tucano no contrato de financiamento com o Banco Mundial (Bird), hoje, em Brasília, a petista liberou a tomada de dinheiro ao estado. Leia mais