Edward Snowden critica a a lei das fake news no Brasil: fins políticos e manipulação

Dilma Rousseff: A “inteligência” na qual não se deve acreditar

Ex-agente que denunciou espionagem de Obama contra Dilma pede asilo ao Brasil

da Opera Mundi

Em carta, Snowden sinaliza que gostaria de morar no Brasil; ex-agente da CIA promete ajudar Brasil em investigações sobre espionagens ilegais dos EUA; nesta terça, no Senado, os presidentes das comissões de Assuntos Econômicos (CAE), Lindbergh Farias (PT-RJ), e de Relações Exteriores (CRE) do Senado, Ricardo Ferraço (PMDB-ES), defenderam a concessão de asilo político ao norte-americano.
Em carta, Snowden sinaliza que gostaria de morar no Brasil; ex-agente da CIA promete ajudar Brasil em investigações sobre espionagens ilegais dos EUA; nesta terça, no Senado, os presidentes das comissões de Assuntos Econômicos (CAE), (PT-RJ), e de Relações Exteriores (CRE) do Senado, Ricardo Ferraço (PMDB-ES), defenderam a concessão de asilo político ao norte-americano.
O ex-agente norte-americano Edward Snowden escreveu uma “carta aberta ao povo brasileiro” em que promete ajudar o país na investigação sobre o escândalo de espionagem da NSA (Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos). Desde junho, Snowden tem revelado parte dos programas da agência, que incluem uma coleta massiva de informações sem autorização judicial, incluindo o monitoramento de telefonemas e e-mails de líderes mundiais como a presidente Dilma Rousseff e alguns de seus assessores, e de empresas como a Petrobras.

A carta foi publicada na edição desta terça-feira (17/12) do jornal Folha de S.Paulo e, embora Snowden não mencione diretamente, dá a entender que pede asilo político permanente em troca da ajuda. Segundo o jornal, a promessa será enviada a autoridades brasileiras e fará parte de uma campanha online em um site especializado em petições. Essa campanha será liderada pelo brasileiro David Miranda, namorado de Glenn Greenwald, o jornalista norte-americano que recebeu parte das informações de Snowden e revelou o esquema de espionagem ao mundo.

“Esses programas nunca foram motivados pela luta contra o terrorismo: são motivados por espionagem econômica, controle social e manipulação diplomática. Pela busca de poder”, diz Snowden na carta, alertando para o fato que a espionagem sem critério “ameaça tornar-se o maior desafio aos direitos humanos de nossos tempos”.

Espionagem: Aliada ao Brasil, Alemanha pode dar asilo a Snowden

do Brasil 247

Mais do que simplesmente publicar seu manifesto, a revista Der Spiegel, a mais importante da Alemanha, tomou uma posição: defendeu que a chanceler à‚ngela Merkel conceda asilo diplomático a Edward Snowden, para que seja possível protegê-lo, mas também conhecer a fundo os detalhes da espionagem; em julho deste ano, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) defendeu que o Brasil fizesse o mesmo, mas o Itamaraty preferiu manter distância dessa hipótese; Dilma e Merkel apresentarão resolução conjunta nas Nações Unidas.
Mais do que simplesmente publicar seu manifesto, a revista Der Spiegel, a mais importante da Alemanha, tomou uma posição: defendeu que a chanceler à‚ngela Merkel conceda asilo diplomático a Edward Snowden, para que seja possível protegê-lo, mas também conhecer a fundo os detalhes da espionagem; em julho deste ano, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) defendeu que o Brasil fizesse o mesmo, mas o Itamaraty preferiu manter distância dessa hipótese; Dilma e Merkel apresentarão resolução conjunta nas Nações Unidas.
A revista alemã Der Spiegel foi a publicação escolhida por Edward Snowden, técnico da Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos, a NSA, para publicar um manifesto onde afirma algo incontestável: dizer a verdade não pode ser considerado um crime (leia mais aqui).

No entanto, mais do que simplesmente publicar o texto de Snowden, enviado à  revista de forma criptografada, a Spiegel tomou uma posição editorial: defendeu, na capa, que a chanceler alemã Angela Merkel conceda o asilo diplomático a ele. Embora já tenha obtido esse benefício da Rússia, Snowden se adaptaria melhor à  Alemanha. Além disso, sua presença no país ajudaria a desvendar os segredos da espionagem norte-americana.

Caso Merkel tome essa decisão, ela poderá fazer por Snowden algo que esteve diante também do Brasil. Em julho deste ano, quando vieram à  tona as primeiras informações sobre a espionagem americana sobre o governo Dilma, alguns senadores defenderam que o Brasil lhe desse asilo diplomático.

“A reação mais lógica e mais séria em relação a essa história da espionagem americana seria imediatamente conceder asilo ao Snowden. E nós teríamos condição de saber, nós e o mundo, com mais seriedade e transparência, o que realmente significou a espionagem. O Snowden é um herói dos Estados Unidos. Amanhã ou depois, a história vai se lembrar do Snowden, e não do Obama, que foi quem acabou sendo responsável pela espionagem na internet no mundo inteiro. à‰ uma vergonha que alguns países latino-americanos tenham oferecido, e nós fiquemos enrolando esse assunto”, disse o senador Roberto Requião (PMDB-PR).

Espionados, Brasil e Alemanha se unem por resolução para a internet

Monitorados pelos Estados Unidos, de acordo com revelações dos documentos de Edward Snowden, líderes dos dois países estão preparando uma resolução para a Assembleia-Geral da ONU que vai exigir o fim da espionagem excessiva e da invasão de privacidade (foto: Roberto Stuckert Filho/PR).
Monitorados pelos Estados Unidos, de acordo com revelações dos documentos de Edward Snowden, líderes dos dois países estão preparando uma resolução para a Assembleia-Geral da ONU que vai exigir o fim da espionagem excessiva e da invasão de privacidade (foto: Roberto Stuckert Filho/PR).
NAà‡à•ES UNIDAS, 26 Out (Reuters) – Brasil e Alemanha estão preparando uma resolução para a Assembleia-Geral da ONU que vai exigir o fim da espionagem excessiva e da invasão de privacidade, depois que um ex-prestador de serviços da agência de inteligência dos Estados Unidas revelou grandes programas de vigilância internacionais, disseram diplomatas da ONU na sexta-feira.

A presidente Dilma Rousseff e a chanceler alemã, Angela Merkel, condenaram a espionagem generalizada feita pela Agência de Segurança Nacional (NSA) dos EUA.

Acusações de que a NSA acessou dezenas de milhares de registros telefônicos franceses e monitorou o celular de Merkel têm causado indignação na Europa. A Alemanha disse na sexta-feira que vai enviar seus chefes de inteligência para Washington na próxima semana para buscar explicações da Casa Branca.

Snowden: Canadá espionou Ministério de Minas e Energias

do Brasil 247

Segundo reportagem do "Fantástico", Agência Canadense de Segurança em Comunicação (CSEC) rastreou telefonemas e e-mails da Pasta com outros países; celular do ex-embaixador do Brasil no Canadá, Paulo Cordeiro, foi mantido sob escuta; ministro Edison Lobão disse que ato merece repúdio; Ele reconheceu que o Canadá tem "interesse no Brasil, sobretudo nesse setor mineral"; "Se daí vai o interesse em espionagem pra servir empresarialmente a determinados grupos, eu não posso dizer"; pela manhã, a presidente Dilma Rousseff disse, pelo Twitter, que o Congresso deve votar nas próximas semanas a proposta de Marco Civil da Internet, lei para proteger as comunicações no Brasil.
Segundo reportagem do “Fantástico”, Agência Canadense de Segurança em Comunicação (CSEC) rastreou telefonemas e e-mails da Pasta com outros países; celular do ex-embaixador do Brasil no Canadá, Paulo Cordeiro, foi mantido sob escuta; ministro Edison Lobão disse que ato merece repúdio; Ele reconheceu que o Canadá tem “interesse no Brasil, sobretudo nesse setor mineral”; “Se daí vai o interesse em espionagem pra servir empresarialmente a determinados grupos, eu não posso dizer”; pela manhã, a presidente Dilma Rousseff disse, pelo Twitter, que o Congresso deve votar nas próximas semanas a proposta de Marco Civil da Internet, lei para proteger as comunicações no Brasil.
O Brasil também foi espionado pelo Canadá. à‰ o que apontam novos documentos vazados pelo ex-técnico da americana NSA (Agência de Segurança Nacional) Edward Snowden e revelados neste domingo pelo programa Fantástico, da Rede Globo.

Segundo os papéis, a Agência Canadense de Segurança em Comunicação (CSEC, em inglês) usou um programa de computador, chamado Olympia, que fez um mapeamento das comunicações telefônicas e de computador do ministério, incluindo e-mails. O objetivo é descobrir os contatos realizados para outros órgãos, dentro e fora do Brasil, além de empresas como a Petrobras e a Eletrobrás.

O método foi tema de uma apresentação feita durante encontro de analistas de espionagem de cinco países (EUA, Reino Unido, Canadá, Austrália e Nova Zelândia) em junho de 2012. Snowden esteve na reunião de 2012 e entregou os papéis ao jornalista americano Glenn Greenwald.

Foram rastreadas ligações com a Olade (Organização Latino-americana de Energia), com sede no Equador, e trocas de emails entre computadores do ministério e de países do Oriente Médio, da àfrica do Sul e do Canadá.

A ferramenta também identificou números de celulares, registro dos chips e até marcas e modelos dos aparelhos. Um deles foi o do ex-embaixador do Brasil no Canadá, hoje no departamento de Oriente Médio do Ministério das Relações Exteriores, embaixador Paulo Cordeiro.

Na sexta-feira (4), o ministro Edison Lobão comentou o conteúdo da reportagem. Questionado sobre como reage aos documentos, ele disse: “Eu acho que configura um fato grave que merece repúdio. Aliás a presidenta Dilma já o fez amplamente na ONU”, disse. Ele reconheceu que o Canadá tem “interesse no Brasil, sobretudo nesse setor mineral”. “Se daí vai o interesse em espionagem pra servir empresarialmente a determinados grupos, eu não posso dizer.”

Neste domingo, pela manhã, a presidente Dilma Rousseff disse, pelo Twitter, que o Congresso deve votar nas próximas semanas a proposta de Marco Civil da Internet, lei para proteger as comunicações no Brasil, que, segundo ela, “irá ampliar a proteção da privacidade dos brasileiros”.

Leia a matéria sobre o assunto, publicada no Portal Brasil:

Dilma: espionagem foi por “interesses econômicos”

Sabrina Craide
Repórter da Agência Brasil, via Brasil 247

"Se confirmados os fatos veiculados pela imprensa, fica evidenciado que o motivo das tentativas de violação e de espionagem não é a segurança ou o combate ao terrorismo, mas interesses econômicos e estratégicos", diz a presidente, em nota divulgada nesta tarde sobre a denúncia de que o sistema de computadores da Petrobras é monitorado pelos EUA; por isso, prossegue Dilma Rousseff, "o governo brasileiro está empenhado em obter esclarecimentos do governo norte-americano sobre todas as violações eventualmente praticadas"; segundo ela, serão tomadas todas as medidas para proteger o País; leia nota.
“Se confirmados os fatos veiculados pela imprensa, fica evidenciado que o motivo das tentativas de violação e de espionagem não é a segurança ou o combate ao terrorismo, mas interesses econômicos e estratégicos”, diz a presidente, em nota divulgada nesta tarde sobre a denúncia de que o sistema de computadores da Petrobras é monitorado pelos EUA; por isso, prossegue Dilma Rousseff, “o governo brasileiro está empenhado em obter esclarecimentos do governo norte-americano sobre todas as violações eventualmente praticadas”; segundo ela, serão tomadas todas as medidas para proteger o País; leia nota.
Brasília !“ A presidenta Dilma Rousseff divulgou uma nota oficial nesta segunda-feira 9 dizendo que, se forem confirmados os fatos veiculados pela imprensa, fica evidenciado que o motivo das tentativas de violação e de espionagem de dados do Brasil, que agora têm como alvo a Petrobras, não é a segurança ou o combate ao terrorismo, mas interesses econômicos e estratégicos.

“Sem dúvida, a Petrobras não representa ameaça à  segurança de qualquer país. Representa, sim, um dos maiores ativos de petróleo do mundo e um patrimônio do povo brasileiro”, disse.

Reportagem veiculada neste domingo 8 pelo programa Fantástico, da TV Globo, mostrou que documentos vazados pelo ex-consultor de informática Edward Snowden indicam que a rede privada de computadores da Petrobras foi monitorada pela Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (NSA).

“Por isso, o governo brasileiro está empenhado em obter esclarecimentos do governo norte-americano sobre todas as violações eventualmente praticadas, bem como exigir medidas concretas que afastem em definitivo a possibilidades de espionagem ofensiva aos direitos humanos, à  nossa soberania e aos nossos interesses econômicos”, diz a nota.