21 de junho de 2016
por Esmael Morais
25 Comentários

Bolsonaro vira réu no Supremo por apologia ao estupro

maria_rosario_estupro_jair_bolsonaroO deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) virou réu no Supremo Tribunal Federal em virtude de uma queixa-crime da deputada Maria do Rosário (PT-RS), que o denunciou por apologia ao crime de estupro.

A velha mídia conservadora atribuiu a decisão do STF à “frase” do parlamentar conhecido por sua militância homofóbica, diminuindo a gravidade do crime. Leia mais

1 de junho de 2016
por Esmael Morais
4 Comentários

Ao vivo: mulheres também saem às ruas de SP pelo Fora Temer; assista

por_elas_todasCerca de 3 mil mulheres marcham na Avenida Paulista, em São Paulo, contra o machismo, a cultura do estupro e contra o golpe de Estado. Elas tem como palavra de ordem Fora Temer. Abaixo, assista ao vivo: Leia mais

31 de maio de 2016
por Esmael Morais
7 Comentários

Quiproquó no Congresso; ao vivo

mensagensMulheres ocupam neste instante as dependências do Congresso Nacional. Elas protestam contra a cultura do estupro e o machismo no país. Dentre as manifestantes estão as parlamentares Maria do Rosário (PT-RS), Luiza Erondina (Rede), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e Gleisi Hoffmann (PT-PR). Leia mais

27 de maio de 2016
por Esmael Morais
7 Comentários

Bruno Meirinho: Precisamos falar sobre a cultura do estupro

bruno_estupro_frota_mendonca

Bruno Meirinho (PSol), em sua coluna desta sexta (27), anota que há uma cultura do estupro impregnada na sociedade, que despreza a integridade e a autonomia do corpo da mulher, especificamente. Ele cita como exemplo dessa banalização uma entrevista do ator pornô Alexandre Frota, novo conselheiro para a Educação do interino Michel Temer (PMDB), na qual descreveu de “forma engraçada” como estuprou uma mulher. Colunista afirma que não se trata de ser politicamente correto considerar abominável a cultura do estupro, muitas vezes tolerada pelas Globo da vida. “…vejo que a conduta de deputados e senadores sempre se chamaram de “excelência” mesmo quando estão se xingando, me parece um desses apegos ao politicamente correto que poderiam ser abolidos. Xinguem-se com liberdade!”, escreve Meirinho. Abaixo, leia, comente e compartilhe a íntegra do excelente texto: Leia mais