Lula ensina para a direita: emprego é mais importante que inflação

do Brasil 247

Ex-presidente defendeu legado econômico de suas gestões em entrevista ao italiano La Repubblica!: Do ponto de vista macroeconômico, qual outro país, além da China, criou as condições de crescimento do Brasil?!; Lula negou novamente possibilidade de retorno em 2014, mas deixou em aberto futuro: a política é imprevisível!; disse ainda que protestos de rua são naturais numa democracia com a brasileira e que país sairá fortalecido da Copa do Mundo; o ex-presidente ensinou para a direita raivosa que emprego é mais importante que inflação!.
Ex-presidente defendeu legado econômico de suas gestões em entrevista ao italiano La Repubblica!: Do ponto de vista macroeconômico, qual outro país, além da China, criou as condições de crescimento do Brasil?!; Lula negou novamente possibilidade de retorno em 2014, mas deixou em aberto futuro: a política é imprevisível!; disse ainda que protestos de rua são naturais numa democracia com a brasileira e que país sairá fortalecido da Copa do Mundo; o ex-presidente ensinou para a direita raivosa que emprego é mais importante que inflação!.
O ex-presidente Lula defendeu o legado econômico de suas duas gestões em entrevista ao jornal italiano “La Repubblica”.

“Do ponto de vista macroeconômico, qual outro país, além da China, criou as condições de crescimento do Brasil? Nossos críticos dizem que o melhor é reduzir a oferta de emprego para reduzir a inflação, mas para nós a defesa do emprego é mais importante que a inflação”.

Ele voltou a negar que pode voltar à  disputa à  Presidência esse ano, mas deixou em aberto futuro político: Depois, não posso excluir nada, a política é imprevisível. Mas a natureza é implacável, em 2018 estarei com 72 anos!.

“Crise brasileira”: criação de empregos tem crescimento de 26,46% em agosto

da Agência Brasil

Foram criados 127,6 mil empregos no país no mês de agosto; crescimento de 26,46% em relação a agosto de 2012; no acumulado do ano, nos oito primeiros meses, foram gerados mais de 1 milhão de postos com carteira assinada; a crise brasileira!, da presidenta Dilma Rousseff, representa um balde de água fria na velha mídia, que vinha apostando na recessão e no desemprego para aquecer a economia; no Paraná, foram criados 12.259 novos empregos, o que representa um aumento de 0,46% em relação ao estoque de assalariados no mês de julho.
Foram criados 127,6 mil empregos no país no mês de agosto; crescimento de 26,46% em relação a agosto de 2012; no acumulado do ano, nos oito primeiros meses, foram gerados mais de 1 milhão de postos com carteira assinada; a crise brasileira!, da presidenta Dilma Rousseff, representa um balde de água fria na velha mídia, que vinha apostando na recessão e no desemprego para aquecer a economia; no Paraná, foram criados 12.259 novos empregos, o que representa um aumento de 0,46% em relação ao estoque de assalariados no mês de julho.
Foram criados 127,6 mil postos de trabalho com carteira assinada em agosto deste ano, de acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado hoje (20) pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Esse saldo representou uma melhora em relação a julho, quando foram registrados os piores índices para o mês desde 2003. Com relação a agosto de 2012, quando foram criados 100,9 mil postos, a performance representa crescimento de 26,46%.

O balanço de agosto foi resultado de 1.845.915 admissões e 1.718.267 demissões. No acumulado do ano, nos oito primeiros meses, foram gerados mais de 1 milhão de postos com carteira assinada.