7 de Março de 2014
por esmael
13 Comentários

Assista: “Senado se acovarda diante da Rede Globo”, acusa Requião

da Agência Senado
O senador Roberto Requião (PMDB-PR) acusou a Mesa do Senado de procrastinar! o exame de dois requerimentos (RQS 1278/2013 e RQS 1279/2013), apresentados por ele em novembro passado, com o objetivo de obter informações relacionadas a dívidas das Organizações Globo e também a empréstimos concedidos pelo BNDES a empresas ligadas ao mesmo grupo empresarial.

Assista ao vídeo:

Segundo Requião, a Mesa do Senado examinou os requerimentos no começo de fevereiro e a decisão foi de que os que diziam respeito à s empresas do Sistema Globo deveriam seguir para votação no Plenário do Senado. No entanto, como informou o senador do PMDB, uma semana depois, houve uma mudança e os pedidos de informação foram remetidos para avaliação da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

!“ A leitura que qualquer jejuno faz do fato é que a Mesa se acovardou. A Mesa se acovardou e se curvou diante da Rede Globo. Mudou a decisão para procrastinar. Terá sido uma generosidade voluntária? Ou terá a Globo pedido e ordenado? !“ questionou o senador em pronunciamento no Plenário nesta quarta-feira (5).

Na presidência da sessão, o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) esclareceu que o relator dos requerimentos sobre o Sistema Globo, João Vicente Claudino (PTB-PI), pediu a análise da CCJ, porque julgou necessário esclarecer se os pedidos respeitam a legislação quanto à  proteção dos sigilos fiscal e financeiro.

Alvaro acrescentou que, embora não seja membro da Mesa, apurou com a assessoria do Senado que não houve nenhuma decisão no sentido de submeter os requerimentos ao exame do Plenário. Essa informação, disse Alvaro Dias, foi fornecida incorretamente por erro de um funcionário!.

“Respostas estapafúrdias”

Requião disse que, por temer um atraso do Senado, pediu, como cidadão, as mesmas informações ao governo federal, fazendo uso da possibilidade aberta pela Lei de Acesso à  Informação.

!“ As respostas que chegaram a mim são ainda mais estapafúrdias e furadas !“ afirmou.

Ele contou que, em um dos requerimentos, pediu ao Ministério da Fazenda que repassasse