22 de março de 2015
por Esmael Morais
71 Comentários

Professora consegue direito de resposta na Folha de S. Paulo para desmentir artigo de Beto Richa

richa_juliana_resposta.jpgCoube à professora Juliana Bayex Dascal, professora do departamento de Educação Física da UEL (Universidade Estadual de Londrina), a tarefa de desmentir ontem (21) o artigo do governador Beto Richa (PSDB) publicado no jornal Folha de S. Paulo no dia 16 de março.

Além de confirmar sua intenção de confiscar R$ 8 bilhões da Paranáprevidência, Richa também pediu no artigo da semana passada “cota de sacrifício” dos servidores públicos.

“Por que ele, como governador, não se digna a ser o primeiro a dar sua cota de sacrifício?”, perguntou a professora, ao recordar que o tucano aumentou seu salário e concedeu auxílio-moradia de R$ 4,2 mil a membros do Tribunal de Contas da do Estado.

Juliana desmente Richa sobre “reajuste de 60% aos professores” que ele “concedeu” nos últimos 4 anos. “Isso nada mais é do que o dissídio, obrigatório por lei”.

Segundo ela, o tucano ainda não pagou o terço de férias, garantido por lei. “Nosso governador, ‘prometeu’ fazê-lo até dia 31 de março (sendo que devíamos tê-lo recebido em dezembro de 2014)”.

A APP-Sindicato também deu uma sapecada no governador durante a semana. A entidade denunciou que Beto Richa não está cumprindo a Lei do Piso. A lei federal obriga o pagamento do piso de R$ 1.917,78, mas o governo do Paraná paga apenas R$ 1.731,88.

A seguir, leia a íntegra do direito de resposta da professora Juliana Bayex Dascal na Folha: Leia mais