Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

27 de setembro de 2014
por esmael
4 Comentários

Coluna do Ricardo Gomyde: Agricultura, mais comida e mais renda

Ricardo Gomyde*

A Conferência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento (Unctad) prevê que o Brasil logo será o maior país agrícola do mundo. O ritmo de crescimento da produção brasileira de alimentos deixa claro que a virada está prestes a ocorrer; a receita com as exportações do setor foi de US$ 101,5 bilhões em 2013, valor 4% superior ao do ano anterior e novo recorde !” em termos nominais !”, segundo levantamento do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

Os pesquisadores da entidade dizem que nos últimos 14 anos (de 2000 a 2013) a agricultura brasileira tem contribuído fortemente para a geração de divisas para o país. No período, o volume exportado cresceu quase 230% e os preços externos, 101%. O saldo comercial (receitas das exportações menos gastos com importações) mais que quintuplicou, com crescimento de 468%.

Em 2000, o país ocupava o sexto lugar no ranking e hoje já é o terceiro maior exportador de produtos agrícolas do mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos e União Europeia. Os dados merecem ser comemorados, mas é preciso fazer uma profunda reflexão sobre esse fenômeno. Nesse período, sem descuidar da necessidade de aumentar a distribuição da produção brasileira internamente, combatendo a fome com vigor, os produtos que saíram do país levaram consigo mais valor agregado.

Até então, o Brasil era um exportador medíocre, um perna-de-pau que vendia lá fora muito menos do que podia. Não dávamos a devida importância para o setor, a ponto de promover, nos anos 1990, um verdadeiro desmonte da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), um dos principais institutos de produção de conhecimento do país. O empenho para recuperar a capacidade da empresa desde os anos 2000 foi um dos grandes responsáveis por essa posição de destaque que o Brasil conquistou no mercado agrícola mundial.

Também não construímos uma competência brasileira no comércio exterior. Era fácil para uns poucos de sempre produzir qualquer coisa e vender de qualquer jeito para qualquer um. Hoje damos mostra de que temos condições de encarar gente que sempre causou medo no competitivo mercado mundial por sermos a única grande agricultura tropical do planeta. Aqui no Paraná essa vantagem é maior ainda, pois é possível duas boas safras ao ano.

Esses e outros resultados mostram que, com nossa agricultura farta e historicamente subaproveitada, a fome no país era resultado de má-fé ou de mau gerenciamento do Estado. Ela nunca foi uma impossib

15 de março de 2014
por esmael
7 Comentários

Coluna do Ricardo Gomyde: “Racismo: esta discussão não pode esfriar”

Ricardo Gomyde, neste sábado, retoma em sua coluna a questão do racismo nos estádios de futebol nas vésperas da Copa do Mundo; o organizador do campeonato mundial revela que o governo federal baterá duro contra o preconceito e antecipa medidas como relançamento do livro O Negro no Futebol Brasileiro!, publicado originalmente em 1947 pelo jornalista Mário Filho e elevado como um estudo clássico do esporte no País; a presidenta Dilma e o Ministério do Esporte também articulam junto à  Fifa e ONU a transformação do mundial na "Copa da Paz"; "O Brasil é fortemente miscigenado. Um branco que hostiliza um negro ou um negro que discrimina um branco deveriam saber que carregam em seu DNA genes que determinaram a cor da pele do outro", ensina o colunista; "Por isso vamos dar um cartão vermelho ao racismo durante a Copa"; leia o texto.

Ricardo Gomyde, neste sábado, retoma em sua coluna a questão do racismo nos estádios de futebol nas vésperas da Copa do Mundo; o organizador do campeonato mundial revela que o governo federal baterá duro contra o preconceito e antecipa medidas como relançamento do livro O Negro no Futebol Brasileiro!, publicado originalmente em 1947 pelo jornalista Mário Filho e elevado como um estudo clássico do esporte no País; a presidenta Dilma e o Ministério do Esporte também articulam junto à  Fifa e ONU a transformação do mundial na “Copa da Paz”; “O Brasil é fortemente miscigenado. Um branco que hostiliza um negro ou um negro que discrimina um branco deveriam saber que carregam em seu DNA genes que determinaram a cor da pele do outro”, ensina o colunista; “Por isso vamos dar um cartão vermelho ao racismo durante a Copa”; leia o texto.

Ricardo Gomyde*

Na última quinta-feira (13.03), a presidenta Dilma Rousseff e o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, receberam o volante Tinga e o árbitro gaúcho Marcio Chagas. Mais do que mostrar solidariedade à s recentes vítimas de racismo em partidas de futebol, eles também reiteraram a disposição do governo federal em combater este tipo de crime e o preconceito de maneira geral. à‰ muito importante não deixarmos a discussão esfriar porque é necessária uma mudança de postura de toda a sociedade. Leia mais

8 de março de 2014
por esmael
6 Comentários

Coluna do Ricardo Gomyde: “Não ao racismo e à  intolerância no futebol!”

Ricardo Gomyde, neste sábado, lamenta em sua coluna recentes crimes de racismo nos campos de futebol do país e da América Latina; ele destaca a existência da Justiça Desportiva brasileira que prevê punições severas, mas também recomenda a Justiça comum nesses casos de injúria racial que podem resultar em reclusão de um a três anos, além de multa; Senhor Copa!, como é conhecido Gomyde, bate firme: criminoso tem que ser tratado como criminoso com todo o rigor da lei! ao destacar que o santista Arouca, jogando o paulista, e o árbitro Márcio Chagas da Silva, no Gauchão, foram xingados de macacos! pelos torcedores; Vamos fazer da Copa um momento de luta contra o racismo e a intolerância!!, conclama o colunista; leia o texto.

Ricardo Gomyde, neste sábado, lamenta em sua coluna recentes crimes de racismo nos campos de futebol do país e da América Latina; ele destaca a existência da Justiça Desportiva brasileira que prevê punições severas, mas também recomenda a Justiça comum nesses casos de injúria racial que podem resultar em reclusão de um a três anos, além de multa; Senhor Copa!, como é conhecido Gomyde, bate firme: criminoso tem que ser tratado como criminoso com todo o rigor da lei! ao destacar que o santista Arouca, jogando o paulista, e o árbitro Márcio Chagas da Silva, no Gauchão, foram xingados de macacos! pelos torcedores; Vamos fazer da Copa um momento de luta contra o racismo e a intolerância!!, conclama o colunista; leia o texto.

Ricardo Gomyde*

Lamentavelmente, voltamos a testemunhar nesta semana novos casos de racismo no futebol. Não faz nem um mês que o cruzeirense Tinga, jogando no Peru contra o Real Gagliasso pela libertadores, foi insultado por torcedores. A cada vez que o brasileiro tocava na bola, alguns peruanos imitavam um macaco. Desta feita, os casos aconteceram no Brasil e as vítimas foram o santista Arouca, jogando o paulista e o árbitro Márcio Chagas da Silva, no Gauchão. Leia mais

22 de fevereiro de 2014
por esmael
3 Comentários

Coluna do Ricardo Gomyde: “Juntos sempre podemos mais”

Ricardo Gomyde, em sua coluna deste sábado, relata que Foz do Iguaçu vai ganhar um Centro Esportivo de 43 mil metros quadrados destinados à  prática do futebol feminino e sediar delegações internacionais durante nos jogos olímpicos Rio 2016; ele destaca a parceria entre Ministério do Esporte, Prefeitura e Itaipu; "Trabalhando juntos sempre podemos mais", frisa o colunista; leia o texto.

Ricardo Gomyde, em sua coluna deste sábado, relata que Foz do Iguaçu vai ganhar um Centro Esportivo de 43 mil metros quadrados destinados à  prática do futebol feminino e sediar delegações internacionais durante nos jogos olímpicos Rio 2016; ele destaca a parceria entre Ministério do Esporte, Prefeitura e Itaipu; “Trabalhando juntos sempre podemos mais”, frisa o colunista; leia o texto.

Ricardo Gomyde*

Não é de hoje que o ministério do Esporte tem dado atenção especial ao futebol feminino no país. Ano passado, nós trabalhamos para trazer de volta a realização do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino, algo que não acontecia desde 2001. Também articulamos a realização da Copa Libertadores da modalidade em Foz do Iguaçu, quando o São José (SP) foi campeão. E nessa semana nós demos mais um passo grande no desenvolvimento do esporte no Brasil e principalmente em nosso estado. Leia mais

15 de fevereiro de 2014
por esmael
16 Comentários

Coluna do Ricardo Gomyde: “Não há boa-fé e cordialidade nos grupos que são contra a Copa no Brasil”

Ricardo Gomyde, em sua coluna de hoje, reafirma as riquezas sociais e patrimoniais que a  Copa deixará no Brasil; com números oficiais, o executivo do Ministério do Esporte aponta  orçamento-teto de R$ 33 bilhões, mas revela que  R$ 112 bilhões adicionais circularão na economia brasileira; segundo o colunista, Serão criados 3,6 milhões de empregos e a população vai auferir renda extra de R$ 63,48 bilhões; "Não há boa-fé nem cordialidade intelectual nos grupos que boicotam o torneio da Fifa", critica Gomyde, se referir aos violentos protestos dos Black Blocs; leia o texto.

Ricardo Gomyde, em sua coluna de hoje, reafirma as riquezas sociais e patrimoniais que a Copa deixará no Brasil; com números oficiais, o executivo do Ministério do Esporte aponta orçamento-teto de R$ 33 bilhões, mas revela que R$ 112 bilhões adicionais circularão na economia brasileira; segundo o colunista, Serão criados 3,6 milhões de empregos e a população vai auferir renda extra de R$ 63,48 bilhões; “Não há boa-fé nem cordialidade intelectual nos grupos que boicotam o torneio da Fifa”, critica Gomyde, se referir aos violentos protestos dos Black Blocs; leia o texto.

Ricardo Gomyde*

Dias atrás, falamos aqui daquele brasileiro que insiste em não acreditar em nosso país, não só como potência do futebol, mas também como nação em pleno desenvolvimento. Isso tem se demonstrado de forma mais pulsante de uns meses para cá. Há quem ache que os investimentos feitos pelo Governo Federal na Copa, por exemplo, seriam mais bem aplicados em saúde e educação. Leia mais