4 de novembro de 2016
por esmael
25 Comentários

Por medo da estudante Ana Júlia, deputados cancelam audiência pública na Assembleia Legislativa do Paraná; assista

O deputado federal João Arruda (PMDB-PR), que havia proposto uma audiência pública para discutir as ocupações de escolas e universidades no Paraná, acusou nesta sexta-feira (4) a Assembleia Legislativa “censurar” o evento com os estudantes.

28 de outubro de 2016
por esmael
44 Comentários

URGENTE: quiproquó na desocupação do Colégio Estadual do Paraná; acompanhe

*** Atualização: a reintegração foi suspensa hoje ***

Uma decisão da Justiça para a reintegração de posse o Colégio Estadual do Paraná, o maior do estado, causa quiproquó danado em Curitiba. Há resistência. Acompanhe ao vivo.

24 de outubro de 2016
por esmael
82 Comentários

Richa organiza milícias fascistas para desocupar 900 escolas no Paraná

rossoni_richa_cepO governador Beto Richa (PSDB) estimula a criação de milícias fascistas para desocupar mais de 900 escolas da rede pública do Paraná. Há relatos de confrontos entre estudantes e membros do MBL (Movimento Brasil Livre), que estariam atuando com violência a soldo do tucano.

6 de outubro de 2016
por esmael
30 Comentários

CEP, o maior do Paraná, é a 30ª escola ocupada contra Temer e Richa

estudantes_greve_cepO Colégio Estadual do Paraná, o CEP, o maior do estado, em Curitiba, foi ocupado na noite desta quinta-feira (6). Agora já são 30 as escolas tomadas pelos estudantes que protestam contra os governos do vice Michel Temer (PMDB) e Beto Richa (PSDB).

4 de dezembro de 2015
por esmael
31 Comentários

Beto Richa sofre acachapante derrota nas eleições para diretor de escola

O governador Beto Richa (PSDB) foi o grande derrotado na primeira etapa eleitoral que começou escolher ontem (3) os novos diretores nas 2,1 mil escolas da rede pública do Paraná.

O índice de rejeição de Richa no ambiente escolar é maior do que aquele diagnosticado pela Paraná Pesquisas, que enxerga 73% dos paranaenses reprovando o governador do PSDB.

Dados preliminares que chegaram ao Blog do Esmael, na manhã desta sexta-feira (4), apontam que candidatos ligados ao tucano perderam em 98% dos estabelecimentos.

A professora Tânia Acco, da oposicionista chapa Ubuntu, por exemplo, foi eleita ontem no primeiro turno na eleição do Colégio Estadual do Paraná (CEP), o maior do estado com 5 mil alunos. A apuração dos votos se encerrou por volta da 1 hora de hoje.

No próximo dia 18, haverá segundo turno nos casos em que nenhuma das chapas inscritas tenha alcançado 44% dos votos válidos — conforme estabelece a resolução nº 3586/2015, que regulamenta a eleição para diretor de escola.

O processo eleitoral escolar foi o mais politizado dos últimos 30 anos, ou seja, desde a implantação da votação para a escolha do gestor pelo voto direto em 1984. O sufrágio envolve direta e indiretamente cerca de 6 milhões de paranaenses.

Se houve um grande perdedor, por óbvio, também houve um grande vencedor. Nesse caso, trata-se do senador Roberto Requião (PMDB) que há 10 dias divulgou um vídeo nas redes sociais pedindo para que a comunidade escolar não votasse em candidatos ligados a Beto Richa.

“Vamos dar uma resposta agora, e eleger chapas de diretores que prestigiem a liberdade da educação, a importância do ensino público do Paraná. É a hora de darmos demonstração clara que temos vergonha na cara”, pregou Requião em vídeo viralizado na internet (clique aqui para rever o vídeo).

25 de setembro de 2015
por admin
6 Comentários

Estudantes do CEP lançam curta-metragem inspirado no massacre de professores em 29 de abril

29cepUm grupo de estudantes do Curso Técnico de Áudio e Vídeo do Colégio Estadual do Paraná (CEP), de Curitiba, se inspirou no massacre 29 de abril para a criação de um filme de curta-metragem.

O curta “29: A verdade está lá fora” mostra o massacre de professores e servidores promovido pelo governo Beto Richa (PSDB) do ponto de vista de uma estudante. A obra explora a a realidade dramática com elementos de suspense e ficção científica.

A exibição de lançamento será nesta sexta-feira (25), às 19 horas, na Cinemateca de Curitiba (Rua Carlos Cavalcanti, 1174).

Veja a seguir o teaser do Curta:

15 de outubro de 2014
por esmael
85 Comentários

No Dia do Professor, educadores lançam manifesto em apoio a Dilma

“Nenhum voto em Aécio!”. Essa é uma das primeiras frases da Carta Aberta de Educadores do Colégio Estadual do Paraná (CEP), o maior do estado, que neste dia 15 de outubro, Dia do Professor, lançaram o documento em apoio à  reeleição da presidenta Dilma Rousseff (PT).

“Muitos de nós votamos em Dilma no 1!° turno. Outros aderentes desta carta votaram em outros candidatos. Porém, há algo que nos unifica: a rejeição completa de tudo o que representa Aécio Neves e seu partido, o PSDB!”, diz um trecho da carta-manifesto subscrito por 80 profissionais da educação, que ainda pode receber adesões de todo o país por meio de comentários neste tópico do Blog do Esmael.

Os profissionais da educação do CEP veem risco de retrocesso em caso de vitória do PSDB no segundo turno. Eles apontam o desejo do presidenciável Aécio Neves cobrar mensalidades em universidades públicas e risco para o Piso Nacional do Magistério, bem como os investimentos previstos para área pelo governo Dilma.

O manifestado dos educadores também vê um novo Congresso Nacional eleito mais conservador dos últimos 50 anos, com futuros parlamentares sem vínculos com as lutas sociais, o que seria uma contradição com os protestos que sacudiram o país em junho de 2013.

Abaixo, leia a íntegra da Carta Aberta e confira quais educadores do CEP já estão com Dilma:

CARTA ABERTA DE EDUCADORES DO COLà‰GIO ESTADUAL DO PARANà (CEP)
O futuro da educação e do país está em nossas mãos!
NESTE 2!° TURNO, NENHUM VOTO EM Aà‰CIO! VOTAMOS DILMA!

Ano passado, durante as manifestações de junho, iniciadas pelo descontentamento de milhares de jovens e trabalhadores contra o aumento das passagens de ônibus e que transbordaram para diversos temas como melhorias nos serviços públicos em geral, uma onda espalhou-se pelo país. O sentimento de mudança e descontentamento com as nossas instituições políticas foi a tônica. O sentimento era: com esse Congresso e com nossas atuais instituições, não dá!

Contraditoriamente a esse sentimento de mudança, foi eleito o Congresso Nacional menos ligado as lutas sociais e mais conservador desde 1964 (dados do DIAP), passando de 220 para 280 parlamentares empresários (+27%), 130 para 160 ruralistas (+23%). Já os sindicalistas caíram de 83 para 46 (-44%). Houve crescimento de deputados ligados a setores homofóbicos e militares (do lobby da indústria de armas).

A presidenta Dilma, à  época das manifestações de junho de 2013, respondeu que para mudar é preciso mudar as instituições! e propôs uma Constituinte para uma reforma política.

A reforma política é fundamental para mudarmos os atuais mecanismos de representação no Congresso dominado pelo poder econômico e que trava pautas como reforma agrária, reestatizações, mais verbas para -e apenas- os serviços públicos, desmilitarização das PM’s.

No entanto, sem uma reforma política que acabe, por exemplo, com o financiamento privado de campanhas, estabelecendo o financiamento igualitário e público de campanha ou o voto em lista partidári