17 de novembro de 2014
por esmael
157 Comentários

De volta das férias, Beto Richa manda fechar escolas no Paraná

richa_eja_educacao.jpg“Se arrependimento matasse…”. Este foi o desabafo da professora Maristela Piccin, do município de Palotina, Oeste do Paraná, onde a escola CEEBJA, destinada a jovens e adultos (EJA), fechará definitivamente as portas para 491 alunos e 36 funcionários no próximo dia 31 de dezembro. ... 

Leia mais

24 de março de 2014
por esmael
34 Comentários

Professores do Paraná podem deflagrar greve por tempo indeterminado a partir deste sábado 29

Cerca de 100 mil educadores paranaenses poderão entrar em greve por tempo indeterminado a partir da semana que vem; antes, porém, segundo a APP-Sindicato, nesta semana, ainda haverá uma nova rodada com o governo Beto Richa; categoria realiza assembleia geral neste sábado, dia 29; tucanos Flávio Arns e Richa vêm enrolando a categoria há mais de três anos, no entanto, diretoria do sindicato tem privilegiado a política do cafezinho!; professores cobram 33% de hora-atividade, como prevê a Lei do Piso, e pagamento de R$ 100 milhões referentes a avanços e progressões atrasados; magistério também exige mudança no plano de carreira dos funcionários, reforma física nas escolas, discussão da grade curricular, respeito aos PSS, atendimento das demandas do CEBEJA e dos educandários, mudança no SAS (Sistema de Assistência à  Saúde).

Cerca de 100 mil educadores paranaenses poderão entrar em greve por tempo indeterminado a partir da semana que vem; antes, porém, segundo a APP-Sindicato, nesta semana, ainda haverá uma nova rodada com o governo Beto Richa; categoria realiza assembleia geral neste sábado, dia 29; tucanos Flávio Arns e Richa vêm enrolando a categoria há mais de três anos, no entanto, diretoria do sindicato tem privilegiado a política do cafezinho!; professores cobram 33% de hora-atividade, como prevê a Lei do Piso, e pagamento de R$ 100 milhões referentes a avanços e progressões atrasados; magistério também exige mudança no plano de carreira dos funcionários, reforma física nas escolas, discussão da grade curricular, respeito aos PSS, atendimento das demandas do CEBEJA e dos educandários, mudança no SAS (Sistema de Assistência à  Saúde).

A “política do cafezinho” adotada pela atual diretoria da APP-Sindicato (Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Paraná) em relação ao governo de Beto Richa (PSDB) e seu vice, Flávio Arns (PSDB), secretário da Educação, depois de mais de três anos, parece que chegará ao fim neste sábado, dia 29 de março, quando a categoria realizará nova uma assembleia geral para decidir se deflagra ou não greve por tempo indeterminado nas 2,1 mil escolas da rede pública estadual.  ... 

Leia mais