Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

7 de novembro de 2014
por esmael
10 Comentários

Mino Carta: Bo-li-va-ria-no, eu?

mino_bolivar_chavez.jpg

por Mino Carta, na CartaCapital

O besteirol anda solto a serviço do mofado elitismo golpista e exibe o atraso cultural do País

Pergunto aos meus botões, tomado pela dúvida: Serei eu um bolivariano?! Em silêncio, me encaram entre atônitos e perplexos. Insisto: Seria por leviandade, inconsciência, irresponsabilidade, ou por convicta adesão ideológica?! Respondem em coro, alto e bom som: bo-li-va-ria-no. Três vezes seguidas. Ao cabo, gargalham.

De fato, a situação criada pelos derradeiros ruídos e senhas da política nativa seria simplesmente cômica se não tivesse seu lado dramático ao exibir primarismo, ignorância, grosseria, juntamente com arrogância e prepotência. Não disse trágico porque a tragédia tem outra dimensão, outra imponência em relação ao drama. Em todo caso, no palco estamos credenciados à  encenação da farsa, ou da ópera-bufa.

Entre as personagens na ribalta, grandioso o desempenho de Gilmar Mendes, a prometer em memorável entrevista de página inteira na Folha de S.Paulo de segunda 3 a iminente transformação do STF em corte bolivariana. O que ele teme é a chegada ao Supremo dos novos integrantes nomeados por Dilma Rousseff, esquecido talvez que outros indicados anteriormente por Lula ou pela presidenta jamais aparentaram fé bolivariana.