5 de dezembro de 2015
por esmael
3 Comentários

Coluna do João Alfredo: O Furacão precisa de bola na rede e faixa no peito

João Alfredo*

“Gol”. Desde muito cedo, as crianças brasileiras têm contato com a palavra mágica do futebol. E assim vamos crescendo, com a bola no pé e a cabeça no clube que aprendemos a amar, consolidando uma paixão que nasce com a gente. No meu caso, ao longo da vida, vi grande parte das minhas obrigações se misturarem com os meus compromissos com o Clube Atlético Paranaense.

Essa ligação com o Furacão só se fortaleceu ao longo dos anos, motivada pela emoção do futebol, gols e títulos. Infelizmente, as novas gerações de atleticanos não têm tido muitos motivos para comemorar. Nos últimos 10 anos, o clube ganhou apenas 1 título, sendo o último deles em 2009. Dados inadmissíveis para uma instituição do porte do Alético. Além disso, não podemos esquecer de eliminações para times semiamadores em campeonatos nacionais e internacionais. Sem contar os inúmeros fracassos em Atletibas. Temos que ganhar dos coxas!

Agora vocês me perguntam: por qual motivo nosso futebol anda tão inexpressivo? Essa pergunta tem várias respostas. O fracasso dentro das quatro linhas está relacionado ao fato do futebol estar em segundo plano no Atlético: planejamentos não são cumpridos; investimentos são destinados para outros departamentos; parcerias comerciais, e não técnicas; jogadores da base e ídolos não são valorizados; clima nada amistoso no CT; torcida e instituição convivem de maneira desarmoniosa; e elencos são montados na base da sorte. Poderia ficar até amanhã digitando os problemas encontrados na gestão do futebol atleticano.

Sério, estamos cansados desse Atlético sem alma e sem títulos. Temos que recuperar o nosso Furacão o quanto antes, pois esse marasmo está interferido no orgulho dos atleticanos. Muitos deles deixaram de ter o Atlético como uma das prioridades de suas vidas por estarem exaustos por tanto sofrimento. Na Atlético de Novo, ao lado do Henrique Gaede e muitos outros grandes atleticanos, vamos provocar o renascimento do futebol rubro-negro.

Vamos destinar um valor fixo do orçamento para ser investido exclusivamente no futebol. Ou seja, não teremos mais desculpas de que o dinheiro do clube foi aplicado em outro lugar. Traremos os profissionais mais capacitados do mercado para gerir nosso clube, acabando com o amadorismo que perpetua no CT. Vamos buscar atletas de ponta para vestir a nossa camisa. Faremos que os jogadores conheçam nossa história e tenham orgulho de defender nossas cores.

Investiremos fortemente na base para a formação de atletas que aqui permanecerão por muito tempo. Queremos criar ídolos e não produtos comerciais. Para completar, vamos entrar em todos os campeonatos para vencer, sem essa de desprezar competições.

A partir de 2016, a torcida atleticana vai soltar o grito de campeão. Podem me cobrar. Passem pelo comitê Atlético de novo (Getúlio Vargas, 2111) e conheçam todas as nossas promessas. O nosso Furacão vai v