17 de outubro de 2013
por Esmael Morais
7 Comentários

Contra a privatização de Libra, greve dos petroleiros atinge 18 plataformas na Bacia de Campos

Agência Brasil

A greve nacional dos petroleiros, que começou à  0h de hoje (17), atinge 18 das 42 plataformas de produção de petróleo da Bacia de Campos, a maior província petrolífera do Brasil, localizada no norte fluminense. As informações são do diretor do Sindicato de Petroleiros do Norte Fluminense (Sind-NF), Marcelo Abraão.

De acordo com Abraão, funcionários de refinarias em todo o estado e da parte administrativa da estatal interromperam o serviço de forma parcial. Os profissionais estão atrasando a entrada no serviço ou trabalhando meio-expediente, inclusive no edifício-sede da Petrobras, no centro da cidade. Nas plataformas, equipes de contingência da estatal estão substituindo os petroleiros que aderiram á greve.

“Os profissionais dessas equipes de contingência não têm experiência para operar nas plataformas. Eles representam um risco para todos que estão nas plataformas. Mas, para manter a produção, a Petrobras os convoca quando há greve”, contou Abraão.

A principal reivindicação dos petroleiros é a suspensão imediata do leilão do Campo de Libra no pré-sal, previsto para o dia 21. Além disso, a categoria é contra a terceirização de mão de obra e exige reajuste de 16,53% no salário-base o que, segundo os trabalhadores, não ocorre há 17 anos.

Para marcar o Dia Nacional de Greve, os petroleiros farão, no fim da tarde, um ato no centro do Rio. A concentração será na Candelária, e os grevistas seguirão em caminhada para a Cinelândia. Os manifestantes pretendem se concentrar em frente á Câmara de Vereadores.

Há mais de 20 dias, mais de 100 pessoas, entre funcionários da Petrobras e representantes de movimentos sociais, estão acampados em frente ao edifício-sede da estatal. Desde então, a Polícia Militar reforçou o efetivo em torno do prédio, mas não há registro de confrontos.

Lobão diz que leilão do Campo de Libra está mantido no dia 21

da Agência Brasil

Brasília – O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, descartou hoje (17) qualquer alteração na data do leilão do Campo de Libra, apesar das manifestações contrárias que ocorrem em todo o país. Desde cedo, manifestantes ligados á Federação Única dos Petroleiros (FUP) e á Via Campesina ocupam o Ministério de Minas e Energia na área central de Brasília e exigem que o governo federal cancele a licitação. O que será feito com a legislação que instituiu o regime de partilha é o primeiro leilão, que será feito na segunda feira [21]!, gara Leia mais