22 de outubro de 2014
por esmael
27 Comentários

Engenheiros, jornalistas e professores lançam manifestos em apoio a Dilma

apoios.jpg

Nesta reta final da campanha eleitoral, diversas categorias profissionais estão se organizando e lançando manifestos e cartas de apoio à  reeleição de Dilma Rousseff (PT). O Blog do Esmael já publicou manifestos dos geógrafos, de servidores da UFPR Litoral, juristas, professores e sindicalistas. Agora é a vez dos engenheiros de todo o país, jornalistas do Paraná, professores e servidores da Unicentro. Leia mais

15 de outubro de 2014
por esmael
85 Comentários

No Dia do Professor, educadores lançam manifesto em apoio a Dilma

“Nenhum voto em Aécio!”. Essa é uma das primeiras frases da Carta Aberta de Educadores do Colégio Estadual do Paraná (CEP), o maior do estado, que neste dia 15 de outubro, Dia do Professor, lançaram o documento em apoio à  reeleição da presidenta Dilma Rousseff (PT).

“Muitos de nós votamos em Dilma no 1!° turno. Outros aderentes desta carta votaram em outros candidatos. Porém, há algo que nos unifica: a rejeição completa de tudo o que representa Aécio Neves e seu partido, o PSDB!”, diz um trecho da carta-manifesto subscrito por 80 profissionais da educação, que ainda pode receber adesões de todo o país por meio de comentários neste tópico do Blog do Esmael.

Os profissionais da educação do CEP veem risco de retrocesso em caso de vitória do PSDB no segundo turno. Eles apontam o desejo do presidenciável Aécio Neves cobrar mensalidades em universidades públicas e risco para o Piso Nacional do Magistério, bem como os investimentos previstos para área pelo governo Dilma.

O manifestado dos educadores também vê um novo Congresso Nacional eleito mais conservador dos últimos 50 anos, com futuros parlamentares sem vínculos com as lutas sociais, o que seria uma contradição com os protestos que sacudiram o país em junho de 2013.

Abaixo, leia a íntegra da Carta Aberta e confira quais educadores do CEP já estão com Dilma:

CARTA ABERTA DE EDUCADORES DO COLà‰GIO ESTADUAL DO PARANà (CEP)
O futuro da educação e do país está em nossas mãos!
NESTE 2!° TURNO, NENHUM VOTO EM Aà‰CIO! VOTAMOS DILMA!

Ano passado, durante as manifestações de junho, iniciadas pelo descontentamento de milhares de jovens e trabalhadores contra o aumento das passagens de ônibus e que transbordaram para diversos temas como melhorias nos serviços públicos em geral, uma onda espalhou-se pelo país. O sentimento de mudança e descontentamento com as nossas instituições políticas foi a tônica. O sentimento era: com esse Congresso e com nossas atuais instituições, não dá!

Contraditoriamente a esse sentimento de mudança, foi eleito o Congresso Nacional menos ligado as lutas sociais e mais conservador desde 1964 (dados do DIAP), passando de 220 para 280 parlamentares empresários (+27%), 130 para 160 ruralistas (+23%). Já os sindicalistas caíram de 83 para 46 (-44%). Houve crescimento de deputados ligados a setores homofóbicos e militares (do lobby da indústria de armas).

A presidenta Dilma, à  época das manifestações de junho de 2013, respondeu que para mudar é preciso mudar as instituições! e propôs uma Constituinte para uma reforma política.

A reforma política é fundamental para mudarmos os atuais mecanismos de representação no Congresso dominado pelo poder econômico e que trava pautas como reforma agrária, reestatizações, mais verbas para -e apenas- os serviços públicos, desmilitarização das PM’s.

No entanto, sem uma reforma política que acabe, por exemplo, com o financiamento privado de campanhas, estabelecendo o financiamento igualitário e público de campanha ou o voto em lista partidári