6 de julho de 2018
por esmael
Comentários desativados em Uruguai eliminado. Agora Brasil é a América do Sul na Copa 2018

Uruguai eliminado. Agora Brasil é a América do Sul na Copa 2018

O Uruguai foi despachado no início desta tarde ao perder da França por 2 a 0. Dos sul-americanos, agora restou apenas o Brasil na Copa 2018. ... 

Leia mais

20 de junho de 2018
por editor
Comentários desativados em Pepe Mujica visita Lula nesta quinta

Pepe Mujica visita Lula nesta quinta

O ex-presidente do Uruguai, Jose “Pepe” Mujica, visitará Lula nesta quinta-feira (21). Ele virá ao Brasil especialmente para a visita e será acompanhado pela presidenta do PT, Gleisi Hoffmann. Após o encontro com Lula, Mujica participará da Vigília Lula Livre no final do dia. ... 

Leia mais

17 de junho de 2018
por esmael
Comentários desativados em Brasil enfrenta hoje a Suíça; veja onde assistir ao vivo

Brasil enfrenta hoje a Suíça; veja onde assistir ao vivo

Daqui a pouco, às 15h (horário de Brasília), o Brasil vai pegar a Suíça na Rostov Arena, em Rostov-on-Don, pela primeira rodada do Grupo E da Copa do Mundo Rússia 2018.  ... 

Leia mais

12 de fevereiro de 2016
por admin
8 Comentários

Coluna do Bruno Meirinho: ¿Feliz año nuevo?

Bruno Meirinho*

Hoje quero falar sobre a situação política na Argentina. Agradeço à preciosa contribuição do brasileiro-argentino Rodolfo Jaruga, que acaba de voltar daquele país, para as informações contidas no texto.

A eleição de Maurício Macri além de representar, obviamente, um retrocesso social na Argentina, modifica radicalmente o mapa geopolítico latinoamericano. Do ponto de vista político, nunca tinha havido, na Argentina, um alinhamento dos governos federal com os da Província de Buenos Aires (a mais rica) e da Cidade de Buenos Aires.

Mas o partido político de Macri, PRO, líder da correlação de forças denominada CAMBIEMOS, governa essas três instâncias, o que representa um certo acirramento da geografia política da Argentina, com o centro portenho alinhado com Macri contra a Krchnerismo hegemônico nas periferias e no interior.

Mesmo controlando poder na maior cidade e na província mais rica, Macri e seu partido não têm maioria no Congresso Federal, onde o peronismo tem ampla representação. Esse peronismo, ancorado sobretudo no partido justicialista, é disputado por Cristina Kirchner (que apoiou Daniel Scioli) e por Sergio Massa, que obteve um quinto dos votos para presidente.

Ou seja, a oposição a Macri ocorrerá no legislativo federal e os primeiros movimentos do presidente eleito mostram, de entrada que a relação não será republicana. Dentre os primeiros atos institucionais, dois revelam singular relevância, ambos praticados por decreto: a designação de dois ministros para a Corte Suprema e a destituição do titular da Autoridad Federal de Servicios de Comunicación Audiovisual (AFSCA), cujo mandato havia sido instituído por lei.

A primeira medida foi revogada, já que membros do próprio governo se escandalizaram com o decreto. A segunda foi levada a cabo e se trata do primeiro passo para reverter as conquistas populares da reconhecida Ley de Medios, que democratizou as comunicações argentinas e afetou diretamente o oligopólio do Grupo Clarín. Macri, eleito democraticamente, já mostrou que ignorará olimpicamente o Congresso Nacional e Leia mais

1 de dezembro de 2014
por esmael
14 Comentários

Uruguaios elegem Tabaré Vasquez sucessor de Mujica

via Agência Brasil

MujicayVasquez

Os uruguaios elegeram nesse domingo (30) o sucessor do presidente José Pepe Mujica: no dia 1!º de março, o médico socialista Tabaré Vasquez será reconduzido ao cargo, que ocupou de 2005 a 2010. Este vai ser o terceiro governo consecutivo da coligação de partidos de esquerda, Frente Ampla.

No discurso em que festejou a vitória, Tabaré convocou a oposição a um diálogo. Convoco todos os uruguaios, não para que me sigam, mas para que me guiem e me acompanhem!, disse. Ao mesmo tempo prometeu que seu retorno ao poder não representará mais do mesmo! porque o país que vai presidir nos próximos cinco anos não é o mesmo de 2005 nem de 2010!.

Tabaré Vasquez disputou o segundo turno das eleições presidenciais com o candidato do tradicional Partido Nacional (ou Blanco), Luis Lacalle Pou. Ele obteve 53,6% dos votos, enquanto seu adversário ficou com 41,1%. A Frente Ampla ainda assegurou a maioria no Congresso, no primeiro turno das eleições, em outubro passado. Leia mais

13 de outubro de 2014
por esmael
30 Comentários

Evo Morales se reelege para terceiro mandato como presidente da Bolívia

via Agência Brasil

O presidente da Bolívia, Evo Morales, conquistou o terceiro mandato nesse domingo (12), de acordo com dados extraoficiais, e prometeu manter, até 2020, seu modelo de crescimento econômico, cujos resultados foram elogiados por organizações como o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial.

Morales fez discurso, agradecendo o apoio dos 6 milhões de eleitores, antes mesmo de os resultados oficias serem confirmados. Mas a vitória dele já era esperada: as primeiras pesquisas de boca de urna indicavam que ele tinha mais de 60% dos votos.

Primeiro presidente indígena da Bolívia e da América do Sul, em nove anos de governo Evo Morales erradicou o analfabetismo, reduziu a pobreza e a desigualdade e manteve alto índice de crescimento. Este ano, segundo a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe, a Bolívia será o país que mais vai crescer na América do Sul (5,5%) !“ mais que o dobro da média regional.

Leia mais

29 de julho de 2014
por esmael
22 Comentários

Mercosul deve endurecer posição contra Israel

via Brasil 247

Reunidos em Caracas para a 46!ª Cúpula do Mercosul, os presidentes dos cinco países que formam o bloco, Brasil, Uruguai, Paraguai, Argentina e Venezuela, devem discutir, além de outros temas, o conflito entre Israel e os palestinos na região da Faixa de Gaza. Os representantes das nações devem debater uma posição comum diante dos bombardeios das forças militares de Israel, que deixou mais de 1.000 palestinos mortos, a maioria civis, contra 53 soldados israelenses e três civis.

Israel foi o primeiro país fora da América Latina a ter um Tratado de Livre Comércio com o Mercosul, assinado em 2010. Na opinião do cientista político Emir Sader, chegou o momento de discutir a pertinência desse tratado e de o Mercosul “endurecer” sua posição contra o país, em um boicote aos produtos fabricados por Israel em assentamentos palestinos pelos bombardeios contra Gaza. “Países como Brasil e Uruguai têm um intenso intercâmbio militar com Israel. Coisa absolutamente indevida”, comentou.

“A ideia da condenação de Israel, especialmente pela postura em relação à  Gaza, acho que é algo absolutamente consensual”, acrescenta Sader, ainda sobre o Mercosul. O cientista político avalia como positiva a posição do governo brasileiro em relação a Israel, mas lembra que outros países da América Latina tomaram posições formais “mais duras”. A Argentina e a Venezuela, por exemplo, estão retirando embaixadores e rompendo relações.

O tema de uma resposta do Mercosul a Israel foi sugerido pelo Brasil para ser discutido na cúpula do bloco. Na semana passada, ao chamar de “ação desproporcional” e classificar de “inaceitável” a escalada de violência na região, o País foi chamado de “anão diplomático” pelo porta-voz da chancelaria israelense, Yigal Palmor. A cúpula em Caracas também vem em boa hora para que os países da América do Sul se unam em defesa do Brasil e contra a ofensa de Israel.

Leia mais