9 de setembro de 2014
por esmael
10 Comentários

Pastoral Carcerária recomenda fim da privatização das penitenciárias

Ao contrário do que defende o candidato do PRTB (Partido Renovador Trabalhista Brasileiro), Geonísio Marinho, ao governo do Estado do Paraná, a privatização do sistema prisional não traz benefícios nem ao poder público, nem aos presos. Essa é a conclusão da Pastoral Carcerária depois de inspecionar oito dos 23 estabelecimentos prisionais administrados por empresas privadas em funcionamento no Brasil. A entidade recomenda que o processo de privatização seja imediatamente revertido.

A Pastoral concluiu que a privatização dessas unidades como alternativa à  incapacidade do Estado de garantir a segurança e o bem-estar dos presos não tem sido vantajosa para a administração pública nem financeiramente nem legalmente.

A entidade aponta falta de transparência dos contratos firmados entre governos estaduais e empresas e classifica como ilegal a iniciativa do Estado de delegar à  iniciativa privada atividades como custódia, segurança e vigilância interna de unidades prisionais. A Pastoral pede que o Poder Público encontre meios de tornar a administração penitenciária estatal mais eficiente.

Os estados devem romper imediatamente os contratos com a iniciativa privada e devolver a custódia dos presos a agentes públicos concursados!, recomenda a Pastoral Carcerária em um relatório obtido com exclusividade pela Agência Brasil. O documento reúne observações, conclusões e recomendações dos pesquisadores e agentes da pastoral que visitaram as instalações privatizadas e conversaram com detentos, funcionários e diretores das unidades de seis estados: Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Santa Catarina e Tocantins.< à€ época da visita, as oito unidades eram administradas por cinco diferentes empresas e abrigavam cerca de 20 mil presos de um total de mais de 520 mil pessoas privadas de liberdade em todo o país. Ao fim da pesquisa, coordenada pelo assistente jurídico da Pastoral, José de Jesus Filho, a entidade concluiu que não há como comparar os resultados alcançados em unidades privatizadas com aqueles obtidos pelos estabelecimentos públicos, uma vez que os dois modelos funcionam com lógicas distintas e diferentes recursos materiais, humanos e financeiros. Quando uma unid

21 de novembro de 2013
por esmael
96 Comentários

Assista ao vídeo e opine: acabou o governo Beto Richa?

Reportagem-testamento da RPCTV, de quase 5 minutos, mostrou nesta quinta (21) a agonia do governo Beto Richa; "São obras paradas, telefones mudos, viaturas sem combustível ou largadas em oficinas por falta de pagamento...", disse o âncora do telejornal, Jasson Goulart; em agosto, pelo Twitter, Requião havia "decretado" o fim do governo tucano; você acha que o senador tem razão?; você daria mais um mandato a Richa?

Reportagem-testamento da RPCTV, de quase 5 minutos, mostrou nesta quinta (21) a agonia do governo Beto Richa; “São obras paradas, telefones mudos, viaturas sem combustível ou largadas em oficinas por falta de pagamento…”, disse o âncora do telejornal, Jasson Goulart; em agosto, pelo Twitter, Requião havia “decretado” o fim do governo tucano; você acha que o senador tem razão?; você daria mais um mandato a Richa?

A RPCTV/Globo produziu uma reportagem de quase cinco minutos, nesta quinta (21), relatando o “sufoco” das finanças no governo do estado. Leia mais