13 de julho de 2014
por Esmael Morais
8 Comentários

Alemanha é tetracampeã

Vinte e quatro anos depois e novamente com vitória sobre a Argentina, a Alemanha vence a Copa do Mundo e torna-se tetracampeã, assim como a Itália e com um título a menos que a seleção brasileira. Organização, disciplina, técnica e carisma marcaram a campanha dos europeus, que nas semifinais golearam o Brasil por 7 a 1, no Estádio do Mineirão. Autor do gol que deu o título para a Alemanha, a oito minutos do fim da prorrogação, Mario Gà¶tze foi escolhido o melhor em campo.

Os alemães terminam o Mundial invictos e com o melhor ataque da competição. Liderada por Lionel Messi, eleito quatro vezes melhor jogador do mundo, a seleção argentina segurou o ataque alemão até os sete minutos do segundo tempo da prorrogação.

Em 120 minutos de jogo, Alemanha e Argentina disputaram cada espaço do campo. Vindo de duas prorrogações – contra Suíça, nas quartas de final, e Holanda na semifinal !“ os argentinos aparentaram estar mais cansados nos instantes finais da prorrogação do que os alemães.

Com a proposta de jogar no contra-ataque, a Argentina também teve que correr mais do que os europeus. Mesmo assim, os hermanos tiveram grandes chances ao longo do jogo. Aos 20 minutos do primeiro tempo, a Argentina perdeu uma chance incrível. O meia Toni Kroos cabeceou para trás e deixou o atacante Higuaín livre, de frente para o goleiro Neuer, mas o argentino desperdiçou chutando para fora.

Aos seis minutos do primeiro tempo da prorrogação, o atacante argentino Palacio perdeu grande oportunidade ao receber dentro da área, matar a bola no peito e chutar para fora ao tentar encobrir o goleiro alemão.

A Alemanha também desperdiçou grandes chances. As principais foram uma cabeçada na trave do l Leia mais

13 de julho de 2014
por Esmael Morais
29 Comentários

Alemanha x Argentina: hoje à s 16 horas tem decisão da Copa das Copas

do Brasil 247
A grande final da Copa do Mundo de 2014 neste domingo (13), à s 16 horas, no Maracanã, confronta o espetacular e disciplinado conjunto da seleção da Alemanha com o talento e a raça da Argentina de Lionel Messi, empurrada por uma torcida enlouquecida, o que torna qualquer resultado absolutamente normal segundo a crônica esportiva. A Copa brasileira reedita as finais dos mundiais do México, em 1986, onde venceu a genialidade de Maradona, e de 1990, na Itália, quando a força de Lothar Matthà¤us garantiu o sucesso alemão.

A Argentina deve entrar em com o reforço de Di Maria, que forma com Messi a dupla ofensiva da equipe portenha. Ausente da semifinal devido a uma lesão na coxa direita, o jogador do Real Madrid treinou normalmente no sábado (12) e deve estar disponível para o técnico Alejandro Sabella, que faz mistério sobre a escalação do jogador. O grande personagem, porém, poderá mesmo ser mesmo Messi, astro do Barcelona. O atleta tem a capacidade de definir um resultado em uma jogada genial e sagrar-se como o grande herói do título.

A Alemanha, por sua vez, chega embalada para o jogo após a vitória de 7 a 1 sobre o Brasil naquele que foi eleito o jogo mais surpreendente de todas as copas segundo o canal BBC Sport. A confiança é tanta que o técnico Joachim Là¶w prevê que a Alemanha siga no topo das melhores do mundo nos próximos anos. O time de Thomas Mà¼ller, após uma profunda renovação que envolveu uma reorganização completa do futebol no país após cair na semifinal da Copa de 2006, em casa, tem os predicados necessários a levar a taça. Foi vice na Eurocopa de 2008, terceiro lugar na Copa de 2010 e terceiro lugar na Eurocopa de 2012.

O Maracanã deve presenciar uma disputa acirrada também nas cadeiras entre as torcidas argentina, que invade as cidades-sede a cada jogo da Celeste com animação extraordinária, e brasileiros, que, encantados com as gentilezas alemãs e movidos pela rivalidade histórica com os hermanos, vão se post Leia mais