7 de fevereiro de 2014
por Esmael Morais
29 Comentários

Procurador-geral propõe 22 anos de xilindró para Azeredo, mentor do mensalão tucano

O Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, encaminhou hoje ao STF as razões para o pedido de 22 anos de prisão ao ex-presidente nacional do PSDB, deputado mineiro Eduardo Azeredo, por comandar o mensalão tucano; ele é acusado pelo procurador-geral de cometer crimes de peculato e lavagem de dinheiro, além de "subverter" o sistema político-eleitoral brasileiro em associação ao publicitário Marcos Valério; segundo o promotor, o mensalão do PSDB, em 1998, foi "a origem e o laboratório dos fatos" do mensalão do PT.

O Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, encaminhou hoje ao STF as razões para o pedido de 22 anos de prisão ao ex-presidente nacional do PSDB, deputado mineiro Eduardo Azeredo, por comandar o mensalão tucano; ele é acusado pelo procurador-geral de cometer crimes de peculato e lavagem de dinheiro, além de “subverter” o sistema político-eleitoral brasileiro em associação ao publicitário Marcos Valério; segundo o promotor, o mensalão do PSDB, em 1998, foi “a origem e o laboratório dos fatos” do mensalão do PT.

Em 84 páginas, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, fundamentou pedido de condenação a 22 anos de prisão ao mentor do mensalão tucano, deputado Eduardo Azeredo (MG), ex-presidente nacional do PSDB. O documento foi encaminhado nesta sexta (7) Supremo Tribunal Federal (STF). ... 

Leia mais