Senadora se autoproclama ‘presidente interina’ da Bolívia


A senadora Jeanine Áñez, segunda vice-presidente do Senado boliviano, se autoproclamou presidente interina da Bolívia. Há um vácuo de poder no país depois que a linha sucessória renunciou. A sessão convocada para discutir quem assumiria o poder nesta terça-feira (12) não obteve quórum. O partido de Evo Morales detém a maioria no congresso boliviano.

“Assumo de imediato a presidência e me comprometo a tomar todas as medidas necessárias para pacificar o país”, disse Jeanine no Senado.

“Trata-se de levar adiante o processo e convocar eleições o mais rápido possível”, acrescentou a parlamentar.

Segunda vice-presidente do Senado, Jeanine decidiu se declarar presidente depois que, além de Morales e seu vice Álvaro García Linera, a presidente do Senado, Adriana Salvatierra, e o presidente da Câmara dos Deputados, Victor Borda, que seriam os próximos na linha de sucessão de Morales, também renunciaram, assim como o vice-presidente do Senado, Rubén Medinacelli.

Segundo o portal G1, a autoproclamada presidente da Bolívia, Jeanine Áñez, declarou que “o povo boliviano está testemunhando que fizemos todos os esforços necessários para canalizar a presença dos membros da assembléia das três forças políticas”.

A parlamentar, sem muita expressão no país, informou que “os parlamentares do MAS não estavam presentes, expressaram publicamente sua decisão de não participar e todos sabemos que o presidente e o vice-presidente apresentaram sua renúncia, deixando o país, refugiando-se em asilo no México, o que constitui um abandono de suas funções”.

LEIA TAMBÉM:

Evo Morales já está no México

Nas ruas do país, segue o caos e a brutal violência das forças de segurança contra as manifestações populares.

*Com informações do G1 e de agências internacionais