Secretário de Educação é preso suspeito de fraude em licitações

do G1 PR

quadro_negroO Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) prendeu, nesta terça-feira (15), o secretário de Educação de Sarandi, no norte do Paraná, Antonio Manoel Mendonça Martins. Ele foi preso no momento em que deixava o prédio da secretaria. O mandado de prisão temporária faz parte da continuação da operação Quadro Negro!.

De acordo com o Gaeco, Martins é suspeito de participar no esquema de fraudes a licitações. Ele deve ficar preso durante cinco dias, prazo para ser ouvido pela Justiça.

Ao G1, o advogado de Martins, Aristóteles Rondon Gomes Pereira, disse que, como o processo tramita em segredo de justiça, não tem como argumentar sobre o assunto. Nós não temos o conteúdo do inquérito para podermos nos pronunciar. Enquanto não terminar as investigações, ninguém tem conhecimento!, completou Pereira.

A operação foi deflagrada na sexta-feira (11) e investiga fraudes em licitações na área de educação. Foram cumpridos 11 mandatos de prisão e 11 de busca em apreensão no Paraná, nas cidades de Sarandi, Lapa, Araucária, Palmeira, Curitiba, e nos estados de Santa Catarina, Minas Gerais e no Distrito Federal.

Durante a operação, foi preso o ex-prefeito da Lapa, na Região Metropolitana de Curitiba, Paulo Furiati, que também é suspeito de participar das fraudes. O advogado que representa Furiati, Elias Mattar Assad, assegurou que o ex-prefeito nega qualquer irregularidade.

Segundo o Gaeco, os presos devem responder por fraude a licitação, peculato, corrupção ativa e passiva e formação de quadrilha. A estimativa é que as irregularidades nas licitações das duas cidades podem ter criado um prejuízo de R$ 400 mil aos cofres públicos.

O início das investigações se deu há cinco meses, no Gaeco de Londrina e depois se espalhou por outras cidades. A operação de sexta-feira tem o apoio Gaecos de Santa Catarina, Distrito Federal e Minas Gerais.

Veja também  Dia Nacional de Luto e de Luta das Centrais Sindicais dos Trabalhadores

Comments are closed.