Sanepar sofreu "assalto" de R$ 8,5 milhões nos estertores de 2021; confira o comunicado

Sanepar sofreu “assalto” de R$ 8,5 milhões nos estertores de 2021; confira o comunicado

Quer saber porque a tarifa de água é cara para os consumidores do Paraná, além da distribuição de dividendos para acionistas? O Blog do Esmael explica abaixo.

A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) comunicou nos estertores de 2021 que sofreu um “assalto” de R$ 8,5 milhões referentes a desvios identificados pela Operação Ductos, do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), deflagrada a partir do município de Ponta Grossa, região dos Campos Gerais, que se estendeu em investigações de funcionários da estatal e empresários em:

  • Cornélio Procópio;
  • Castro;
  • Telêmaco Borba;
  • Nova Fátima;
  • Santo Antônio da Platina;
  • Santa Mariana;
  • Quatro Barras;
  • Cambará;
  • Ribeirão do Pinhal;
  • Balneário Camboriú (SC);
  • Guaratuba; e
  • Curitiba.

A Operação Ductos, deflagrada em julho de 2020 pelo Ministério Público do Paraná, investigou um esquema de corrupção envolvendo obras da companhia de água e esgoto.

O diretor financeiro da Sanepar, Abel Demetrio, comunicou ao mercado –como determina a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a contabilização de rubrica de R$ 6,5 milhões como perdas e mais R$ 2 milhões como provisões.

Os promotores pontagrossenses do Gaeco, que é o braço policial do Ministério Público, denunciaram 26 pessoas por diversos crimes, como associação criminosa, corrupção ativa e passiva, fraude em licitação, peculato e falsificação de documentos.

Na denúncia apresentada à Justiça, o Ministério Público estima que R$ 1,4 milhão foram pagos a funcionários da Sanepar, como suborno, por duas empresas de engenharia, com o objetivo de conseguir contratos. Um horror para os paranaenses que pagarão mais essa conta nas tarifas, embora as torneiras continuem mais secas que molhadas.

Confira o comunicado da Sanepar:

FATO RELEVANTE

A Companhia de Saneamento do Paraná – SANEPAR, em cumprimento ao disposto na Resolução CVM nº 44/2021 e em complemento ao Fato Relevante de 11 de novembro de 2021, comunica aos seus acionistas, investidores e ao mercado em geral, o andamento dos trabalhos em atendimento ao determinado na 10ª/2021 Reunião Ordinária Conselho de Administração, realizada em 21 de outubro de 2021, que deliberou pela (i) criação de um grupo de trabalho especial para mensurar possíveis ajustes adicionais nas demonstrações contábeis da Companhia e (ii) antecipação do plano de trabalho da Auditoria Interna para que no último bimestre de 2021 fossem realizados testes dos controles internos aprimorados.

Na 18ª/2021 Reunião Extraordinária, concluída nesta data, o Conselho de Administração tomou ciência dos trabalhos desenvolvidos pelas Comissões Especiais designadas pelas Resoluções nº 358/2021 e nº 645/2021 (Força-Tarefa Operação Ductos – Fase II) e nº 719/2021 (Grupo Especial de Trabalho – Medições do sistema de gerenciamento de manutenção nas gerências gerais) e determinou à Diretoria que realize o ajuste dos registros e provisões contábeis além de encaminhar soluções às recomendações, pendências e responsabilizações, em conformidade com as conclusões contidas nos Relatórios Executivos.

Desta forma, em atendimento à deliberação do Conselho de Administração, a Companhia contabilizará, em 31 de dezembro de 2021, R$ 6,5 milhões sob a rubrica de “Perdas” e provisão no valor de R$ 2,0 milhões, totalizando R$ 8,5 milhões.

A Companhia manterá seus acionistas, investidores e o mercado em geral informados sobre o andamento deste assunto.

Curitiba, 30 de dezembro de 2021.

Abel Demetrio
Diretor Financeiro e de Relações com Investidores