Rússia ameaçou varrer a “Grã-Bretanha grosseira” da face da Terra

► Um conhecido apresentador de TV russo ameaçou usar o sistema de mísseis nucleares Sarmat para eliminar a “Grã-Bretanha grosseira” da face da Terra por apoiar a Ucrânia, escreve o The Sun

O apocalíptico míssil RS-28 Sarmat é capaz de atingir velocidades de mais de 17.700 quilômetros por hora e transportar 15 ogivas. Com apenas um acerto, este míssil pode devastar completamente uma área do tamanho do Reino Unido.

Em um aviso assustador, o apresentador de TV pró-Putin Vladimir Solovyov ameaçou varrer a Grã-Bretanha da face da terra com esta arma macabra.

– Acontece que um Sarmat é menos um da Grã-Bretanha – disse Solovyov.

Um âncora improvisado que serve como porta-voz de Putin em um dos canais de TV controlados pelo Kremlin disse que o Reino Unido foi “algo bastante rude” em referência à ajuda do Reino Unido à Ucrânia.

A Rússia já ameaçou atacar instalações militares no Reino Unido devido ao facto de enviar armas para a Ucrânia.

Os países ocidentais estão enviando ajuda humanitária, armas e equipamentos militares para a Ucrânia, mas até agora se recusaram a enviar seus soldados para lá ou criar uma zona de exclusão aérea.

A Grã-Bretanha está fornecendo à Ucrânia armas antitanque e sistemas de mísseis antiaéreos, e planeja enviar veículos blindados Stormer para ajudar o país em sua luta contra a Rússia.

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, disse que Moscou pode permitir ataques contra países membros da Otan. O ministério acusou a aliança de “adicionar combustível ao fogo” e enviar armas para a Ucrânia.

Em entrevista a Solovyov, o chefe da agência espacial russa Roskosmos, Dmitry Rogozin, que também é aliado próximo de Putin, disse que “no total, a Rússia terá 46 sistemas de combate estratégico Sarmat”.

Veja também  Bolsonaro define salário de fome em R$ 1.212 enquanto Diesse afirma que salário deveria ser R$ 6 mil ao mês

– Tudo está indo conforme o planejado – acrescentou Rogozin.

Putin chamou o desenvolvimento deste novo sistema de mísseis – que foi testado com sucesso em abril – “um grande e significativo evento” para a indústria de defesa russa.

Ele se gabou de que os mísseis Sarmat “vai pensar naqueles que, no calor da retórica frenética e agressiva, estão tentando ameaçar nosso país”.

– O novo complexo […] é capaz de superar todos os meios modernos de defesa antimísseis – continuou Putin.

– Não tem análogos no mundo e não terá por muito tempo.

Acredita-se que este míssil balístico intercontinental tenha o maior alcance entre os mísseis existentes.

Em abril, a Rússia realizou com sucesso um lançamento de teste do Sarmat. O vídeo desses testes mostra como esse foguete gigante sai de uma mina subterrânea, envolto em nuvens de chamas.

Ele voou quase toda a Rússia – são 5.800 quilômetros – em apenas 15 minutos, o que causou um sorriso satisfeito no rosto de Putin.

Então, de acordo com fontes do Ministério da Defesa russo, o míssil chegou a uma determinada área do campo de treinamento de Kura, na Península de Kamchatka.

As ogivas do míssil Sarmat são capazes de se desprender do corpo principal de 100 toneladas e então voar em direção a seus alvos em velocidades supersônicas.

Essas ogivas são 1.000 vezes mais poderosas do que as bombas que os Estados Unidos lançaram sobre Hiroshima e Nagasaki, no Japão, durante a Segunda Guerra Mundial.

Enquanto isso, o ministro das Relações Exteriores da Rússia alertou recentemente que já havia um perigo “real” de uma guerra nuclear mundial e que as armas britânicas e da OTAN já eram “alvos legítimos” na Ucrânia.

Veja também  Datafolha manda Lula encomendar terno novo para a posse; petista lidera pesquisa para presidente em 2022

Sergey Lavrov disse que o risco de iniciar uma terceira guerra mundial agora é bastante significativo, acrescentando que o Ocidente está realmente travando uma guerra por procuração contra Moscou com a ajuda de Kiev.

Lavrov acusou as forças da OTAN de “adicionar combustível ao fogo” e “bombardear a Ucrânia com armas”.

Terrível “Sarmat”: os russo vão usá-los e onde?

Em entrevista a agências de notícias russas, Lavrov disse: “Esta é a nossa posição de princípio, nós a partiremos”.

– Agora os riscos são muito, muito significativos.

– Eu realmente não gostaria que esses riscos fossem inflados artificialmente, e há muitos que os querem. O perigo é sério, é real, não pode ser subestimado.

Lavrov acusou o Ocidente de tentar deliberadamente esgotar o exército russo e privá-lo de sua capacidade de travar a guerra – um movimento que o ministro chamou de “uma ilusão”.

No entanto, Lavrov disse que a Rússia quer evitar uma guerra nuclear a todo custo.

Essas declarações ocorreram em meio a relatos de que um depósito de munição russo explodiu em um suposto ataque ucraniano na região de Belgorod.

Além disso, também foram divulgadas informações à imprensa sobre mais dois ataques que se transformaram em explosões nas regiões de Voronezh e Kursk.

O lado ucraniano não confirmou seu envolvimento nessas explosões.

Will Stewart, no The Sun