Richa não implantará 33% da hora-atividade em 2013; professores discutem greve neste sábado

Richa e Arns querem enrolar os professores outra vez.
Richa e Arns querem enrolar os professores outra vez.
Ainda não é desta vez que o governo de Beto Richa (PSDB) cumprirá a promessa de campanha de implantar as 33% da hora-atividade aos professores, como prevê a Lei Nacional do Piso, aprovada em 2008.

Por meio do vice-governador e secretário da Educação, Flávio Arns (PSDB), o governo propôs pagar a hora-atividade em carnê, a la Casas Bahias, em suaves prestações a perder de vista, começando com 5% de aumento.

Atualmente, os professores têm 20% de hora-atividade, ou seja, de 20 horas, 16 são em sala de aula e 4 são para atividades como corrigir provas, planejar aulas, etc. A proposta do governo amplia das quatro atuais para 5 horas-atividade.

A secretaria de Estado da Educação (SEED) se dispõe a reduzir de 16 para 15 aulas semanais. Nada mais.

Para cumprir 100% da Lei do Piso, os 33% das aulas hora-atividade teriam que chegar entre 7 e oito aulas. A SEED teria que reduzir para entre 13 e 12 aulas semanais.

Na prática, a proposta dos tucanos Arns e Richa consiste em conceder migalhas aos educadores para evitar, a qualquer custo, a possibilidade de greve no início do ano letivo de 2013. A categoria tem assembleia neste sábado (15), a partir das 8h30, na Sociedade Thalia, no Centro de Curitiba.

A distribuição de aulas para professores da rede pública estadual para o ano letivo de 2013 será feita entre os próximos dias 17 e 21 de dezembro.

Para evitar a greve, Richa e Arns até colocaram um mel na chupeta dos profissionais da educação ao anunciar que todos, efetivos e contratados por Processo Seletivo Simplificado (PSS), receberão o 13!º salário nesta sexta-feira (14).

Como disse minha atenta secretária, não fizeram mais do que cumprir a obrigação e a lei trabalhista!. Portanto, nenhuma bondade além da lei.

Veja também  "Vou me desfiliar do PT", diz Requião, após aprovação do BC independente

Comments are closed.